Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Qual a melhor maneira de tratar um dependente químico

Qual a melhor maneira de tratar um dependente químico
O que ajuda a pessoa que se encontra dependente a vencer a doença não é o nível intelectual do profissional que o assiste; não é a beleza ou o conforto de uma entidade clinica ou Comunidade Terapêutica; não é o passar de mão na cabeça de um recuperando ou dependente químico; não é hostilizando-o agressivamente com palavras de baixa auto estima, mas é um amor responsável; um amor coerente. É olhar para uma pessoa que precisa de ajuda e ser seu amigo sem cobranças, sem questionamentos. É levá-lo a perceber que ele é um Ser amado e importante apesar de todo caminho percorrido. É não ficar apontando dedos e defeitos; é ser ouvido e aproveitar-se das deixas levando-o a reflexão.
É evidente que esperar da família tais atitudes é exigir demais, pois ela encontra-se tão doente quanto a aquele que esta fazendo uso de drogas. É pedir demais em determinado momento, é ela que sofre todas as conseqüências de um ente dependente.
Uma pessoa que se encontra com problemas de dependência está carente, esta com sua auto estima baixa; esta com seu organismo disfuncional; está precisando desabafar.
Uma pessoa que se encontra dependente nos dias de hoje devido a tantas informações tem uma real consciência de sua situação. Ela pode até querer passar uma outra imagem, no entanto, sabe que as coisas não estão bem para ela. O que ocorre é que estão doentes e não encontram pessoas para ajudá-los, só recebendo criticas, lições de moral, como se eles não soubessem que tudo que lhe falam é verdade, porém, isto não resolve, o que pode ajuda-los é encontrar pessoas que lhe aponte caminhos; que lhe mostre horizontes; que vê suas recaídas como algo profundamente natural e tente ajudar a levantá-lo.
Vivemos uma sociedade ainda cercada de mitos, que cobra, mas é inerte em apontar soluções. Que ainda não tem em profundidade o conhecimento sobre drogas porque ainda é extremamente ignorante no assunto, não por falta de informações, é ignorante por não se informar.
Cria-se enormes dificuldades e barreiras para aproximar de alguém que está com problemas com drogas. Exigindo isto, aquilo, olhando ele como se fosse um Ser extra terrestre e que somente determinadas pessoas são habilitadas para lidar com elas, como se o fosse um aparelho eletrônico, um automóvel que somente um especialista pode resolver seus problemas. Em dependência não é bem assim que funciona.
O que leva alguém a deixar as drogas é ser seu amigo; é não discrimina-lo; é ajudá-lo na sua integração social; é não excluí-lo como se dependência fosse algo contagioso; é ter certo conhecimento sobre o Ser Humano; é ter um mínimo de noção das características da dependência química; é ter a simplicidade das palavras. Enfim, é ter muito calor humano.
Vemos tantas pessoas que conseguem deixar a dependência química sem necessidade de internação, sem necessidade de ficarem horas e horas em divãs sendo analisados. Isto vem demonstrar que é na simplicidade, na amizade, na solidariedade, no compromisso com o Ser humano que se tem ajudado muitos vencerem seus males psíquicos e orgânicos.
Ataíde Lemos
Enviado por Ataíde Lemos em 28/09/2005
Reeditado em 13/02/2006
Código do texto: T54675
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Ataíde Lemos
Ouro Fino - Minas Gerais - Brasil, 49 anos
5099 textos (1143705 leituras)
5 e-livros (11199 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/14 23:31)
Ataíde Lemos

Site do Escritor



Rádio Poética