Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Viva a independência!!!

Nossa História está tão recheada de estórias e supostos heróis, que fica difícil saber o que é ficção ou realidade. O episódio da independência, por exemplo, mas parece um daqueles velhos contos de “capa e espada” ou um quadrinho do Zorro. Trocamos bacalhau por hambúrguer, falamos um português cada vez mais saxão, nossa TV digital é japonesa, nossos computadores são americanos, nossos remédios... Nossos celulares... Nossa Amazônia... Nosso provincianismo...

Algumas privatizações nos fazem lembrar o rei Midas e o seu inverso, o político Sadim, uns dizem que transformamos titica em ouro, outros afirmam que trocamos ouro por titica. Só as “forças ocultas” sabem do “real”. Saindo da alquimia neoliberal, caímos no não menos neoliberal “conto de fadas” do “sapo” que, beijado pela princesa democracia, se transformou no príncipe salvador da pátria. Porém... Uma maldição das tais “forças ocultas” recaiu sobre ele, que não sabia de nada que se passava a seu redor. Assim, os poderosos ficaram cada vez mais poderosos, os mais pobres receberam bolsa família; o resto pagava mais e mais impostos, relaxava e gozava nos aeroportos, enquanto sua alteza em seu tapete mágico propalava as virtudes do biocombustível. Por falar em tapete mágico... Lembrei-me das “mil e uma noites” por conta do emblemático número de 40 indiciados pelo STF como supostos mensaleiros. Só me ficou uma dúvida: O Alibabá está entre eles? Ou escapou???

Entre factóides históricos, construímos a ilusão de um país eternamente do futuro, onde pacífico e passivo tornaram-se sinônimos para designar um povo que “ganhou” o direito de falar e votar, mas não o de ser verdadeiramente ouvido e respeitado. Vivemos um interminável faz de conta, nossos políticos mais se assemelham ao Voldemort do Harry Potter do que a qualquer rascunho de heroísmo nacional ou importado. Mudam os nomes na grande ideologia de ter por ideologia a conveniência. Trocamos seis por meia dúzia, constatando que esquerda e direita são “farinha do mesmo saco”, oposição e situação não passam de “gatos do mesmo balaio” nessa dependente e subserviente independência globalizada.

Salute to Brazil!

Salute to independence day!
Antonio Pereira APON
Enviado por Antonio Pereira APON em 01/09/2007
Reeditado em 14/07/2010
Código do texto: T633960

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (http://www.aponarte.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Antonio Pereira APON
Salvador - Bahia - Brasil, 53 anos
158 textos (38531 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 16:57)
Antonio Pereira APON