Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

do poeta, a raíz e o tempero / o inicio

Aqui se inicia o percurso do sentimento com raíz na vivência e no tempero da vida.

Sem a palavra despropositada e a retribuição desejada, a nossa homenagem a quem pelos valores da escrita se assume no que é, dando razão à amizade em palavras chegadas.

O nosso obrigado a...

A flor enigmática
Abilio Rodrigues
Aldo Lopes
Ana Karênina
Ana Maria Gazzaneo
Anderson Julio
Angélica Arantes
Angela Conde
Angela Rodrigues
Arão Filho
Bia Naue
Bruna Marques
Claraluna
Deley
Canto do Cisne
Carinhosa
Carmen Neves
Celeste Palma
Charlyanne Mirielle
Cintia
Cintia Lobato
Claraluna
Claudia
Cristina nunes
Fernanda Araujo
Dilma faria Terra
Deley
Deonice sampaio
Dionisio Dinis
Faria Terra
Fatima Froyes
Gianluca Gaubatti
Gil de Olive
Goreti Dias
HLuna
Henrique Mendes
Jorge Gil Gomes de Azeredo
Joana Araujo
Joselma Mendes
Juli Lima
Kia Rodrigues
Kyriadalua
Ledalge
Leila Lage
Lucia Lima
Lucibei
Marcia Br
Maria Luiza D Enrico Nieto
Maria Theresa Neves
Mário Roberto Guimarães
Marlene Vieira
Marta Resende
Martha Carbonieri
Maurélio Machado
Mel de Carvalho
Melissa Lorenti
Milla Pereira
Nilda Severin
Norma Barros
Paulo Sérgio Medeiros Carneiro
Rosa Pena
Sandra Remedi
Silasol
Socorrinha Castro
Sonia Ortega
Suelen Angélica
Suzanna Martins
Tania
Vanuza
Veridiana Rocha
Vilma Belfort
Vitoria Lerinha
Zélia Nicolodi

Todos, directa ou indirectamente, fizeram chegar o seu carinho, a sua amizade, a sua solidariedade, o seu incentivo para que continuí.

A nossa resposta é e será: Muito obrigado!
 
Vamos prosseguir, sem retóricas, sem falsos professorismos ou intelectualismos.

Sabemos que só existimos para quem nos ama e para quem comunga de valores que nada têm a ver com a hipocriasia da palavra encenada.
 
É por esses e para esses que estamos aqui.

O que vai seguir-se é para eles e para todos aqueles que vierem por bem.
 
Durante esta jornada, poupem-nos o comentário matemático.
 
Ele é falso e não se coadugna com a nossa maneira de ser, a nossa maneira de estar.

O apreço ou não, nunca será, uma soma de comentários desprovidos de critica.
 
Para vocês e os  que hão-de chegar, um abraço do
 
João Videira Santos


 
 
   
 
João Videira Santos
Enviado por João Videira Santos em 18/09/2007
Reeditado em 15/04/2008
Código do texto: T657914

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (João Videira Santos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
João Videira Santos
Lisboa - Lisboa - Portugal
234 textos (16931 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 23:15)
João Videira Santos