Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

É ISSO AI!...

Neli Neto

O mundo se encontra tão inconstante, cercado pela insegurança, doente com tantas ocorrências estranhas, naturais, que sinceramente, não sei aonde vamos parar.
 
O caminho que surge à nossa frente, já foi nos dito há muito tempo atrás. É o apocalipse que invade, devastando a natureza, destruindo os povos, banindo com a consciência, degredando os sentimentos que vieram inatos em nós.
 
A humanidade está completamente falida, com seus valores alterados. O desrespeito é muito grande, começando sempre por cima, pelo mais alto escalão. Chefes de nações alienados, políticos corruptos exacerbados pelo poder, que teriam que dar o exemplo, sendo espelho de dignidade, de respeito aos cidadãos.
 
A cada dia que abro o jornal e vejo as notícias locais e mundiais, me apavoro. O aumento da maldade humana é bem visível, fato público e notório. Corrupção de políticos; catástrofes naturais que se agigantam, tornando-se quase diárias, como verdadeiros algozes; o terrorismo se impondo desordenadamente numa atitude hostil, destruindo em nome de uma ideologia nociva, matando inocentes em atentados febris; drogas alucinógenas invadindo a sociedade, aprisionando seres incautos, levando alguns deles à morte, outros a cometerem crimes sórdidos em nome de um êxtase momentâneo; polícia matando o mocinho em nome do bandido, enfim, a degeneração moral como parceira, em todos os nossos dias.
 
Desde que me entendo por gente, que nunca tinha visto tanta desgraça junta, tantas desavenças, tanta perturbação mundial, tanto caos social, tanta violência, tanta perversidade com requintes de crueldade, como tenho visto agora.
 
As famílias que deveriam ser unidas não estão, o que seria a principal razão, para se poder enfrentar qualquer mal que a venha atingir. Não é a toa que dizem, que a união faz a força! Desunidas se enfraquecem, e a desarmonia toma conta, deixando que a discórdia aconteça e se dê início a uma peleja sem fim. Os filhos desestruturados, cada qual pensando em si e não no todo, só pensam em se dar bem, não importando a quem atingir, a quem magoar, a quem irão violentar, para conseguir seus reais e nefastos objetivos.
 
Os amigos, seres unidos por um sentimento, pelas forças do bem, não mais se amparam e sim, se isolam, cada qual por si, gerando desavenças tolas, sem qualquer razão de ser. Deixam que desentendimentos tomem conta de sua razão e emoção provocando contendas inúteis, para não mais ficarem do mesmo lado, coesos e sim, se tornarem adversários, na luta do bem contra o mal.
 
As pessoas se digladiam impondo uma supremacia, fazendo prevalecer seus interesses, suas idéias e vontades na conquista do poder financeiro. O dinheiro ao invés de ajudar, alimentar, vestir, calçar, promover saúde, educação, gerar empregos, passa a ser motivo de desajustes, de cobiça pelos seres ávidos, que acabam usando de estratagemas ardilosos pensando em ganhar mais e mais, cada vez mais.
 
Se inúmeras vidas serão ceifadas para que seus objetivos sejam atingidos, se o sangue derramado através de uma batalha inútil, irá formar um mar de extermínio em seus devaneios de conquistas, não importa!
 
O que importa é sair vitorioso mesmo que em detrimento de uns, mesmo que com o sofrimento de outros, passando sempre por cima de tudo e todos.
 
A ganância, uma ambição desmedida, provoca a maior predominância ao seu império de perversidades, com agravantes perniciosos que estimulam seus comportamentos, os afastando da sua real crença de vida, de sua fé em um poder divino existente acima de todos nós.
 
Até mesmo a fé, hoje em dia, é usada como subterfúgio, no estímulo do manifesto de uma crença, que, através de artifícios maliciosos, de palavras enganosas só buscam lucros. E é através delas, que o aumento de seus rendimentos acontece, para continuarem a usar o luxo em suas andanças.
 
Só esqueceram de um pequeno detalhe: Jesus quando veio ao mundo, veio despido de qualquer cobiça. Ele saia em pregação na maior simplicidade, procurando praticar sempre o bem, doando suas palavras de amor, sem se preocupar com riquezas, de ostentar roupas caras e sempre, de pé no chão!
 
Já pararam para pensar, que se todas as sedes religiosas do mundo, de todas as tantas religiões existentes, doassem só um tantinho da fortuna acumulada no correr de todo o tempo, aos povos sacrificados pelas intempéries, aos seres agonizados por fome, sede, peste saída de escombros, doenças em sua maioria sem cura, outras que nunca existiram e hoje surgem nascidas da profundeza da terra como uma praga silenciosa, a miséria humana deixaria de existir.
 
Será que é isso que eles querem? Será que isso é viável? Para que dividir se é melhor ficar com tudo! Onde está a misericórdia? Será que não sentem qualquer compaixão pelo ser humano afetado, seu irmão? Sim, porque perante a Deus somos todos irmãos, independente de credo ou raça. Será que foi para isso que Jesus veio ao mundo e pregou com suas sábias palavras um dia? Será que foi para isso que Deus criou o mundo, o homem? Para ver seu planeta sucumbido pelas suas mãos?
 
Se os clérigos se intitulam representantes do Senhor na terra porque não agem como tal? Não usam o mesmo comportamento que pregam, que tanto enaltecem em seus púlpitos frente a centenas de fiéis que engolem seus dizeres, suas palavras santas em verdadeiro delírio.
 
E nós? Porque assistimos e escutamos calados a tudo, a toda uma desorganização socio-política de braços cruzados? Porque nos afastamos de nossas crenças interiores, nossa fé? Porque?
 
Não seria mais digno colocarmos a boca no trombone e sair colocando em pratos limpos o que nos incomoda, o que nos enfraquece, que mina nossa confiança na vida, no planeta, no ser humano de modo geral? Porque sermos cúmplices silenciosos de toda uma ruína armada, verdadeiras teias preparadas por homens inconscientes e irresponsáveis que só pensam em tirar proveitos de tudo e todos? Calados, nos tornamos também responsáveis pelos seus atos insanos.
 
Que tal mudarmos nossos conceitos, sermos mais determinados em nossas ações? Usarmos mais nosso poder de persuasão, maior compreensão nas atitudes a serem tomadas?
 
Olharmos ao nosso redor com mais complacência, sem agressões desnecessárias. Ter o perdão e a caridade sempre espelhados em nossa alma e coração. Orarmos por aqueles impiedosos que se encontram cobertos pela nuvem negra da luxúria, implorando que Deus seja misericordioso e ilumine seus pensamentos e seus atos, quem sabe até, acabando por se tornarem homens dignos.
 
Emanarmos pensamentos de bondade para aqueles que se encontram desajustados, desorientados, acometidos pela febre do poder. Que eles consigam se desprender da vida material e perder um pouco de sua atual arrogância, expiando seus pecados, acordando para a existência com a firmeza de permanecer, sem desvios, no grande compromisso assumido com a verdade.
 
Cuidarmos melhor do nosso planeta, de suas matas, de seus rios, oceanos e de todos os seres que nele habitam. Não deixarmos que a natureza morra através de nossas mãos, minimizando seu desgaste, ao espalhar sementes de esperança através de nossas idéias, de uma mudança radical de vida aos quatro cantos do universo, em todas as línguas se possível for. Assim, de certo faríamos a nossa parte. Poderíamos dormir tranqüilos com a certeza do nosso dever cumprido, o que nos traria em conseqüência, muito mais paz de espírito.
 
Se isso acontecer, quem sabe o protesto divino se cale, e a Sua complacência se espalhe ao nosso redor, nos dando uma maior vitalidade e energia para vencermos o veneno daquele ser impiedoso que seria o causador, com todo o seu desprezo, pelo fim da humanidade: o próprio Homem.

Neli Neto
03.11.2005
19:03 hs - RJ
Neli Neto
Enviado por Neli Neto em 05/11/2005
Código do texto: T67627

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Neli Neto
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 64 anos
98 textos (45249 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:28)
Neli Neto