Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 

                                                          INCOERÊNCIA.

O ser humano é incoerente ao extremo. Ficamos chocados e traumatizados com acidentes aéreos quando morrem 154 e 186 pessoas como nestes dois últimos acidentes ocorridos no Brasil. A comoção nacional é tamanha que chegamos a desestabilizar o governo. Entretanto, as nossas péssimas rodovias mataram, só em 2006, mais de 20.000 pessoas. Para citar, apenas, as mortes de transito, sem falarmos na terrível violência que aniquila o país.
É isto mesmo, mais de 20.000 pessoas e a sociedade não reage com o mesmo vigor, com a mesma energia, com a mesma indignação, a sociedade não põe a faca no peito de nossos governantes como deveria ser e como está fazendo no caso destes dois acidentes aéreos.
Somos incoerentes, porque temos medo da morte, o único fato que sabemos, antecipadamente, que irá ocorrer em nossa vida. Só temos um destino certo, a morte, de resto podemos mudar os acontecimentos sempre que queremos, pois temos a bênção do livre arbítrio. Como diz a teóloga Maria Clara Bingemer, somos contraditórios, pois " não pedimos para nascer, mas não desejamos a morte, sofremos nesta vida, mas temos pavor do desconhecido da morte". Temos medo do vazio do futuro. Tudo isto, porque somos apegados as coisas deste mundo.
Nossa incoerência chega ao limite máximo, quando temos enorme respeito pelos mortos, mas nutrimos um grande desprezo pela vida de nossos semelhantes. Eu fico abismado, quando vejo na televisão e nos jornais, as belíssimas cerimonias fúnebres dedicadas aos soldados mortos na guerra do Iraque e, ao mesmo tempo, a quantidade de jovens cheios de vida, embarcando para a morte na mesmíssima guerra. Nossa incoerência chega a ser ridícula !
 

 

 
Leandro Cunha
Enviado por Leandro Cunha em 03/10/2007
Reeditado em 03/10/2007
Código do texto: T678856

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Leandro Cunha - www.leandrojcunha@oi.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Leandro Cunha
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 68 anos
595 textos (106898 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 14:08)
Leandro Cunha

Site do Escritor