Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Fronteira e seu papel de falso paradigma

Fronteira? Palavra ampla, com um requinte de crueldade em sua essência, quando tratada em âmbito físico-político. Termo "chave" para a concretização de interesses imperialistas e expansionistas, é também conhecido estopim de conflitos que envolvam o derramamento de sangue, majoritariamente, de inocentes e oprimidos. Mas, entretanto, esse texto não trata dos conhecidos conflitos e suas conseqüências: trata de conflitos que são muitas vezes silenciosos, surgindo como imponentes realidades imutáveis.

Realidades imutáveis na aparência, mas que podem ser voláteis no conteúdo; paradoxos que já se tornaram falsos paradigmas, que podem ser alterados com a eliminação das fronteiras, sociais e morais, que impedem a concretização e o estabelecimento da igualdade entre os povos no mundo inteiro. É fato que a sociedade atual impõe uma série de fronteiras a todos aqueles que se encontram à margem da mesma, não só através do conhecido processo de favelização, mas também de várias outras maneiras, seja no preconceito racial, seja no preconceito sexual; mas, por que não podemos mudar isso? Acredite, esta não é uma tarefa exclusiva para visionários.

Parece incrível que no mundo atual ainda exista a separação entre "bom" e "ruim", "norte" e "sul", quando o que parece ruim pode vir a se tornar ótimo e quando as fronteiras entre norte e sul são estabelecidas de maneiras arbitrárias... Como carro-chefe dessas separações existem as pseudo-unificações, representadas pela criação de gigantescos blocos econômicos (vide União Européia): do mesmo modo que unem determinados países, separam-se espontaneamente do resto do mundo subdesenvolvido. Estas são situações que se encaixam, de certa forma, em um campo de conflitos silenciosos: cada um no seu "devido lugar", conhecendo sua respectiva função perante aos comandantes do globo, lutando de forma quase infantil para se tornarem como eles.

Existem também diversas formas de fronteiras, sejam elas fronteiras pessoais, culturais ou políticas, que também merecem ser analisadas e, muito mais que isso, serem eliminadas! Fronteira, como definido, é uma palavra ampla, e muitas análises seriam cabíveis em torno de sua importância, significados e objetivos; fronteira, na verdade, é uma grande bobagem, inventada como mero mecanismo de obstaculização da igualdade.

Termino aqui, portanto, com um desafio: pensemos nas nossas fronteiras, analisemos o que pode ser mudado. Vejamos as fronteiras que nos cercam e, se isto não for o suficiente, vamos dar uma uma olhada para o mundo. É isto o que nós queremos que perdure num futuro próximo? A mudança começa por você. Por mim. Não vamos fazer feio, han?
Lucas Peths
Enviado por Lucas Peths em 04/11/2007
Reeditado em 13/02/2008
Código do texto: T722884
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar o nome do autor, juntamente com o link/local em que a obra foi publicada originalmente). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lucas Peths
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil, 27 anos
35 textos (16710 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 05:42)
Lucas Peths