Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Com meus botões

A aflição em ter uma profissão não tem nada a ver com o desejo vocacional. Desejo vocacional é o projeto íntimo, enquanto profissão é uma forma de conseguir bens monetários, sociais e prestígio. Já o projeto íntimo, tem um significado bem maior, pois abrange profundamente nosso ser e nos envolve espiritualmente, de modo que, quem sintoniza com seu projeto íntimo não se abala diante dos obstáculos e não teme as tempestades, simplesmente ajusta as velas e leva o barco da existência a águas mais calmas. Mas, para acessar o verdadeiro desejo íntimo é necessário muito mais que aprender por meio do intelecto, é preciso realmente assimilá-lo e utilizar-se das vias intuitivas presente na nossa alma.

Essas intuições chegam ao nosso consciente sutilmente, basta estarmos atentos que aos poucos as identificaremos claramente. Tudo o que está no nosso interior tende a se manifestar exteriormente e geralmente da vazão de forma lenta e equilibrada. É o que nos faz agir racionalmente viver em sociedade. Reter os impulsos considerados anti-sociais e morais, requer significativo despender de energia, mas evitar legítimas sensações do espírito é desperdiçar energia produtiva, é alienar-se. Uma pessoa alienada perde o contato consigo mesma e com o que acorre ao seu redor, ou seja, vive naturalmente num estado doentio.

Não reconhecer os sinais da alma, evitar sensações, pensamentos, impulsos ou lembranças que chegam ao nosso consciente é uma forma de recusar nosso mundo Íntimo. Ignorá-las e agir como se não nos pertencessem, seria rejeitar o autoconhecimento, o crescimento pessoal. É anular-se como individuo e projetar nos outros, a própria vida, bloqueando o consciente dos sinais internos, deslocando para o mundo externo qualquer fato ou acontecimento inadequado.

É comum encontrar pessoas que, ao invés de dedicarem-se a tarefa de se conscientizarem da própria vida Íntima, apontam as imperfeições do outro, conseqüentemente potencializam a incapacidade de compreender seu íntimo, obscurecendo ainda mais sua visão do mundo interior. Vivem na ilusão alheia à própria realidade, a verdade do seu próprio ser, adotando um papel que não corresponde a sua vocação interior. São pessoas que vivem mentindo, mesmo não sendo mentiras verbalizadas, mas por serem mentiras contadas para o seu próprio inconsciente, projetadas para si mesmas, causando enormes danos que os impedem de elevarem-se espiritualmente.

O Crescimento pessoal exige coerência, como também, e acima de tudo, devemos estar equilibrados numa relação harmônica entre o que se sente e o que se vive, deve haver uma sincronia entre as partes. Ocultar, falsificar a própria realidade é usar máscaras, é prejudicar a própria intimidade e viver na angustiante sensação de impostor ou farsante, além de estarmos sempre aprisionados ao medo de um dia descobrirem o que realmente somos.

Segundo as teorias Jungianas “o Si-mesmo não é apenas o centro, mas também toda a circunferência que contém em si, tanto o consciente, quanto o inconsciente”.Portanto, a relação harmônica que me referi acima, é necessária não só para o crescimento espiritual e pessoal, mas também para que não falsifiquemos nossa realidade, vivendo num mundo ilusório, projetado por nos mesmos.

Para pararmos de projetar, precisamos primeiramente nos voltar e despertar para o mundo íntimo, Iluminando a consciência não apenas nas áreas externas, sendo que os olhos externos não são suficientes para essa tarefa, pois oferecem uma visão muito parcial.

Assim, é necessário aceitar-se e trabalhar para promover mudanças que nos levem ao crescimento. Não podemos nos adaptar ao conformismo e o modo triste como tudo vem acontecendo, nem suportar e permitir qualquer tipo de desrespeito, nem tampouco desrespeitar os outros. Não somos atores que ficam interpretando a vida, somos a vida inventando o mundo melhor. Não somos mais do que somos, mas seremos muito mais do que pensamos ser, quando encontrarmos nosso verdadeiro ser. Pense nisso.

Jair A Pauletto
Enviado por Jair A Pauletto em 22/11/2007
Código do texto: T747610
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Pauletto J. A.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Jair A Pauletto
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
801 textos (192701 leituras)
1 e-livros (2673 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 13:40)
Jair A Pauletto

Site do Escritor