Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FUTEBOL

Quando é que o Brasil ou qualquer país do mundo vai criar juízo e parar de se comportar como se o futebol fosse uma religião? Ou será um vício ?
Não é possível que um povo pobre, que não tem futuro para oferecer aos filhos, mal uma inocente criança acabe de nascer e a enfiem em uma camisa de clube. Será que esse pai e essa mãe não vêem que estão matriculando o filho para ser gandula, torcida organizada desorganizada, fogueteiro, biriteiro, vândalo _ qualquer coisa dessas _ porque Pelé só tem um, Maradona,  só tem um  e Romário também. Só Ronaldinho que tem dois. Quem tiver de ser craque será, não precisa de escola. Pelo que se sabe, os maiores jogadores de futebol se fizeram nas periferias e campinhos de areia.
É impressionante ver senhoras de cinqüenta, sessenta e até mais anos de idade ficarem em filas para comprar ingressos e em outras filas para entrar no inferno de um estádio cheio. Pais com filhos no colo em meio à aglomeração de enlouquecidos torcedores. Homens que não derramam uma só lágrima por qualquer motivo e choram copiosamente porque o time perdeu. O que ganham essas pessoas com a vitória do time? Será que não percebem que voltam para suas casas em ônibus superlotados _ e que até são apedrejados _ enquanto os jogadores, técnicos, juízes voltam em confortáveis aviões? Será que alguns não se envergonham profundamente quando o filho não tem um pão para o café da manhã (o pai priorizou o bilhete para o jogo) enquanto muitos jogadores comem lautamente em hotéis de luxo?
Os jogadores de futebol que vivem em mansões e nadam em dinheiro não são tantos, mas inúmeras pessoas perdem seus dias de vida desejando que o filho venha a ser um desses, o que é uma utopia.
É uma lástima ver crescerem as estatísticas da violência nos estádios, as inúmeras mortes, as tristes cenas de enterros de jovens mortos no vício  do futebol _ e tudo continuar como se fosse algo natural. Triste é também o quanto milhares de pessoas gastam, sem a menor cerimônia e sem nenhuma dor na consciência _  rios de dinheiro _ adquirindo camisas, shorts, bebidas, comidas para comemorar partidas de futebol, e são, às vezes, incapazes de dar um pão a quem tem fome.
Até quando o povo vai ouvir com emoção o Hino Nacional em eventos esportivos, confundindo nação e povo com competições de qualquer tipo?
Nem Freud explicaria uma aberração como a que presenciamos, a alegria de tantas pessoas que gritam "O Brasil ganhou" quando na verdade o Brasil perdeu, amanheceu quebrado e ressacado, além de só conversar sobre um tema. O Brasil é uma coisa e a Seleção de futebol é outra totalmente diferente. E não quero que me represente, não autorizo.
Uma professora, indivíduo de uma classe descaracterizada, humilhada, pisoteada não precisa ser assim representada.
Não sei se o futebol é "um mal necessário", não desejo mal aos jogadores. Devem ganhar pelo que fazem, mas a educação precisa colocar as consciências no lugar e mostrar que cidadania é um bem que deve ser igualmente distribuído entre todos os profissionais. Um país deve pensar menos redondo e criar possibilidades para todos os seus filhos. Que invista em futebol, mas não em primeiro lugar.
Na Grécia antiga, os meninos que não serviam para a guerra deveriam ser sacrificados. Se a moda volta...
TÂNIAMENESES
Enviado por TÂNIAMENESES em 03/12/2007
Reeditado em 05/12/2007
Código do texto: T762470
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
TÂNIAMENESES
Aracaju - Sergipe - Brasil, 69 anos
1682 textos (175256 leituras)
1 áudios (102 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 21:33)
TÂNIAMENESES