Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Crianças Índigo - Maria de Fátima Hiss Olivares - Psicóloga

 

Nos últimos tempos recebi muitas perguntas sobre este tema, e quando o José Roberto pediu para que eu escrevesse sobre o assunto, notei que seria a hora certa. Falar sobre as crianças índigo não é uma tarefa fácil, pois se trata de um fenômeno que muitos observam, mas cada um com um olhar diferente.

Os místicos as vêem de uma forma, os educadores de outro, os pais de outro. Enfim, se eu escolher uma visão para expor o assunto, as outras perderão espaço. Portanto, tentei resolver este dilema estudando o assunto nas diversas vertentes e tentarei expor a vocês de uma forma resumida, alguns pontos de vista.

Não quero agradar a gregos e troianos. A esperança é que desta maneira amplie-se à forma de entendimento sobre estas pessoinhas especiais. Vamos primeiro entender quem são estas Crianças Índigo. Observou-se que desde a década de 70, muitas crianças têm apresentado características especiais bem diferentes do que se estava acostumado a ver e conviver até então.

A partir desta observação, notou-se que entre estas crianças, ditas especiais, havia certos padrões de comportamento que se repetiam. Elas apresentavam comportamentos diferentes das crianças ditas normais. O fenômeno não foi registrado em somente uma área populacional, mas sim em diferentes países, em diferentes comunidades ao mesmo tempo.

Por exemplo, não ocorreu só nos Estados Unidos, e sim no Brasil, na África, em Portugal, no Japão, enfim em vários pontos do planeta ao mesmo tempo. Embora estas crianças se encontrassem em pontos distantes do planeta, elas possuíam características em comum.

O nome Crianças Índigo foi designado pelos místicos e espiritualistas, pois dizem que esta seria a cor predominante de sua aura: o azul índigo. Esta cor de aura também seria atribuída aos grandes mestres. Mas como a aura muda sua cor conforme o humor e o estado emocional, a cor azul índigo seria percebida quando a criança está em um estado de paz e quietude interna. Portanto, mesmo na presença de outras cores, este tom de azul predominaria.

Ainda para os espiritualistas, estas Crianças Índigo são espíritos evoluídos que estão chegando para ajudar na transformação social, educacional, familiar e espiritual de todo o planeta, independentemente de fronteiras e de classes sociais. Elas possuem uma estrutura cerebral diferente, tendo o hemisfério esquerdo menos desenvolvido, e o direito mais desenvolvido. Isso quer dizer que elas são mais intuitivo, vão além do plano intelectual, além do racional.

Se olharmos do ponto de vista da evolução humana, poderíamos encaixar estas crianças como sendo fruto do nosso desenvolvimento. A tecnologia promoveu grandes mudanças e o ser humano hoje estão expostos a muito mais estímulos do que há séculos.

Hoje uma criança pequena já domina o computador e se notarmos, os adolescentes estão cada vez mais altos, provavelmente devido a melhores condições alimentares a que temos acesso na atualidade, bem como à cura mais rápida de certas doenças e vacinas eficazes. Estas crianças especiais poderiam ser frutos desta evolução? Bem, tudo são suposições e diferentes pontos de vista.

Notou-se que as Crianças Índigo apresentam uma inteligência excepcional e muita energia para brincar, o que pode ser extenuante para os adultos. Não aceitam ordens, principalmente as do tipo: “faça isso porque estou mandando ou porque eu quero”. Elas sempre procuram debater e negociar cada instrução, cada ordem.  

E só a seguirão se encontrarem uma razão para isso. Não é correto impor nada e sim dar escolhas para a criança e conversar sobre qual será a melhor. A família que tem uma criança dessas, deve se reestruturar para tentar educá-la não seguindo os moldes tradicionais, pois estes não trarão efeito algum sobre elas. Requer emocionalmente estabilidade e segurança de adultos em volta dela.

Entendem que todos os seres humanos são iguais e por isso não entendem figuras de autoridade. Entendendo profundamente que somos todos iguais quando se deparam com comportamentos ditatoriais, sejam eles de pais, professores, de quem for, apresentam nestes momentos uma ira incomum.

São muito ricas em sentimentos, amam os animais e respeitam qualquer forma de vida, por isso muitas já se tornam vegetarianas desde cedo. São muito sensíveis a toxinas, rejeitando certos alimentos. Têm alta sensibilidade, sentem tudo a sua volta como se possuísse uma lente de aumento.

Tudo o que dizem deve ser ouvido, pois muitas vezes estas crianças mostram claramente onde estão às dificuldades dos pais, sendo muitas vezes o espelho da casa. São serelepes, tem muita energia, são rápidas no raciocínio e com respostas bem criativas. Apesar do bom nível de inteligência, não vai muito bem na escola, distraem-se facilmente ou tem baixo poder de concentração.

Aprendem através do nível de explicação, resistindo à memorização mecânica ou a serem simplesmente ouvintes. A escola ideal para elas seria aquela que desenvolveria seus potenciais criativos e não imporia tarefas monótonas e enfadonhas, sem sentido para estas crianças. Possui maneiras preferenciais no aprendizado, particularmente na leitura e na matemática.

São criativas, possuem grandes idéias. Adoram leitura e podem se entreter por muito tempo nesta atividade. Elas freqüentemente encontram uma melhor maneira de fazer as coisas, tanto em casa como na escola, o que as fazem parecer questionadores e inconformistas.

Não conseguem ficar quietas ou sentadas, a menos que estejam envolvidas em alguma coisa do seu interesse, por isso, muitas vezes a estas crianças são atribuídos déficit de atenção, ou hiperatividade. É sempre necessária muita cautela na atribuição destes diagnósticos, sendo prudente deixar para profissionais capacitados.

Outra característica marcante destas crianças é que elas possuem um sentimento de realeza e freqüentemente agem desta forma. Mostram e falam claramente o que querem e o que precisam.

Tem uma boa auto-estima e falam de seus valores abertamente e não entendem porque as outras pessoas não fazem isso também. (Acho que temos muitos a aprender com elas).

Um trecho do livro ”The índigo Children” de Lee Carroll e Jan Tober de 1999, diz o seguinte: "Se você está constantemente obtendo resistência de um Índigo, cheque você primeiro.

Eles podem estar segurando um espelho para você ou estar pedindo, de uma forma inconformista, ajuda para descobrir novos limites, ajustamento fino nas suas habilidades ou talentos, ou ir para o próximo nível de crescimento", "Índigos já nascem Mestres, todos sem exceção!".

Nós temos que entender que eles esperam que todos nós façamos o que eles fazem de forma natural e, se não fizermos, eles permanecerão pressionando nossos botões até que cumpramos nosso papel de forma correta. Ou seja, até que nos tornemos mestres de nossas próprias vidas.

Portanto, quando meu filho fez suas coisas, ele ensinou a todos uma lição silenciosa, incluindo a mim mesmo. Eles vivem de forma intensa e têm um sentimento de "desejar estar aqui" e ficam surpresos quando os outros não compartilham isso.

Drª Maria Fatima Hiss Olivares
Enviado por SBernardelli em 03/12/2007
Reeditado em 13/05/2015
Código do texto: T763819
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
SBernardelli
Caraguatatuba - São Paulo - Brasil
914 textos (301538 leituras)
25 e-livros (11547 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 19:12)
SBernardelli