Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A ARTE DE ENSINAR

No mundo hodierno, o exercício da docência está se descaracterizando para atender a demanda. A maioria dos professores universitários que lecionam nas universidades e faculdades são carentes de competência pedagógica. Hoje o profissional formado em bacharelado e que nunca freqüentou uma aula de didática se intitula “professor”, deixando muito a desejar na relação ensino-aprendizagem, onde o aluno é sempre o maior prejudicado. Um professor que dá as famosas “aulas pacotes” e encarna a forma de ensinar homogênea peca, e muito, pois todos sabemos que os alunos são seres humanos e portanto heterogêneos, cada qual com uma maneira peculiar de aprendizagem. O bom docente deve ter a perspicácia para observar isso em seus alunos.  Existe uma crença implantada no Brasil que parte do embasamento francês-napoleônico na qual se presume que quem sabe, sabe ensinar. Ledo engano cometem as universidades e escolas que adotam essa linha de pensamento , pois colocam em suas entranhas, profissionais inabilitados para o ensino, por mais capacitados que sejam estes em seus afazeres profissionais “extra universidade”. Outra falha terrível que esses “professores” cometem é quanto a avaliação do aluno, muitas vezes, reprovando-os por décimos de nota. Esse tipo de avaliação é muito simplória para um país que quer ser grande. Se o aluno consegue uma nota positiva ele está apto para exercer uma profissão e se caso consiga uma nota negativa estará inapto. Eu como professor que freqüentei o MAGISTÉRIO, antigo curso NORMAL e tive aulas de didática e estudei exaustivamente teorias de Paulo Freire e Jean Piaget não consigo ver a diferença intelectual em um aluno que é reprovado por uma nota 6,9 e outro que é aprovado por uma nota 7,0. Parece-me nesses casos, que o que ocorre é um erro grosseiro do avaliador que não tem nenhum conhecimento técnico-pedagógico para avaliar. Outro grave problema que também ocorre nas universidades é a falta ao trabalho e os atrasos constantes desses profissionais que mesclam a docência com outros afazeres, obviamente deixando a docência em segundo plano e mais uma vez prejudicando o aprendizado dos alunos. Ser professor é vocação aliado à técnica pedagógica. Para exercermos a Medicina, além de obtermos a graduação é obrigado ter o registro no órgão competente, para o advogado se procede da mesma forma, como também para o engenheiro e outros profissionais. Já para o professor, basta se graduar em qualquer área e “cair” de pára-quedas numa sala de aula. Precisamos reaver a função do professor, para não cometermos injustiças com o alunado em geral, para que no futuro não sejamos responsáveis por prejudicar muita gente boa em suas carreiras e para que nunca esqueçamos que ensinar é uma arte!
Telêmaco Marrace de Oliveira
Enviado por Telêmaco Marrace de Oliveira em 06/12/2007
Código do texto: T766672
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Telêmaco Marrace de Oliveira
Blumenau - Santa Catarina - Brasil, 45 anos
260 textos (59253 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 00:33)
Telêmaco Marrace de Oliveira