Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Presente para Você!

"Por causa de um prego se perde a ferradura, por causa da ferradura se perde um cavalo, por causa do cavalo não se entrega a mensagem, e se não se entrega a mensagem se perde a guerra."

Amigo leitor! Esteja atento às oportunidades. Poucas pessoas conseguem encontrá-las e muitas não aproveitam como deveriam.

Algo de aspecto surrealista, abstrato, sinistro, estranho, louco ou outros termos encontrados no dicionário ou não, podem identificar o melhor Presente para Você!

Certo pato selvagem cansado de voar pelo limitado perímetro do local onde habitava, decidiu botar as asinhas de fora, e, aumentando o percurso rumou para áreas desconhecidas.

Chegando a uma chácara, comprovou que os animais eram sustentados pelo dono, não precisando se esforçar para conseguir comida. Aproximou-se justamente do cevadouro, local onde os bichos que estavam sendo preparados para a engorda, recebiam maior quantidade de alimento.

Grua e Américo, terminaram o curso de administração em uma importante faculdade de São Paulo. Estavam justamente aguardando aquelas comemorações dezembrinas, quando decidiram o que fariam da vida. Deram tchau às famílias e foram morar juntos, como caseiros em uma fazendola, no estado do Goiás, nas proximidades da capital.

-- Grua, meu amor! Você sabe cozinhar pato selvagem? Então vamos preparar aquele que espontaneamente se candidatou à nossa panela. Assim comemoro de modo rústico meu aniversário.

-- Américo, você vai ficar bem – respondeu a moça como quem dubla um filme. E continuou:

-- Quer ouvir a minha caixinha de música. Quando me formei, pensei que fosse ganhar um carro zero, uma viagem para Índia, Dubai, Islândia. Saí de casa por causa desse presente de mendigo, que o homem que eu amei “tantíssimo”, papai, me deu. Que droga!

Ligaram a caixa de música e o som que se ouvia não era de música e sim uma mensagem:

-- Queridíssima filha, Grua. Você tem 12 meses para dar a resposta. Quero colocar em seu nome minha principal indústria. Para isso, fiz questão de transformá-la em uma administradora. Espero que goste da caixinha de música que trouxe de Moscou. Não precisa invejar o "Papito", vou liberar também para você uma passagem até esse lugar. É claro, que o roteiro de viagem fica por sua conta. Esse é o meu Presente para Você!

-- Agora já era. Como vamos conseguir a passagem para São Paulo? -- disse Américo.

-- Você não disse que é versado em: empreendedorismo, vendas, marketing? Não era o aluno mais brilhante da faculdade? Tome uma atitude! Façamos algo!

Um assentamento dos sem mato, inspirou o casal a investir todas as suas últimas economias em pastel, que, vendido aos ocupantes das terras, rendeu o dinheiro que precisava para comprar os bilhetes aéreos para São Paulo.

O novo cenário fez o pato selvagem escapar da panela, pelo menos dessa vez.

No avião, Grua perguntou a Américo:

-- Você nunca falou do presente dezembrino. Posso saber qual foi?

Américo com cara de decepção, desânimo e vergonha, entregando-lhe uma bíblia disse:

-- Isso.

Baseada na experiência da caixinha de música, Grua foi mais cautelosa em criticar e abrindo o livro com delicadeza, leu a seguinte dedicatória:

Super filho. Além dessa bíblia, transfiro 100 por cento da sociedade que tenho com o pai da Grua para você. Aguardo sua resposta em até 12 meses.

Quase foi preciso chamar um médico, tão grande foi o remorso que que assolou o rapaz. Como tinha sido injusto com seu pai, seu amigo. Que saudade, que falta sentia de alguém tão bondoso, correto e justo. Não conseguiu ouvir o resto da dedicatória, porque pranteava muito.

No aeroporto o jovem casal era esperado por suas famílias. Lágrimas de arrependimento juntaram-se às de perdão. A alegria visitou a todos.

Américo agora estava consolado, sua alma estava em paz. Sua amada chegou feito uma gata e sem arranhar, falou suavemente ao seu ouvido:

-- Faltou ler a última frase que seu pai escreveu na dedicatória. Posso?

-- Espero que goste. Este é o meu Presente para Você!
Gilberto Landim
Enviado por Gilberto Landim em 07/12/2007
Código do texto: T768219
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gilberto Landim
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 68 anos
528 textos (25689 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 06:16)
Gilberto Landim