Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sou diferente de uma máquina?

Já faz muito tempo que pensei, pela primeira vez, a respeito da Inteligência Artificial.
As pessoas sempre dão risada quando se fala a respeito de uma máquina pensar ou ter sentimentos.
Muitas pessoas nunca pararam para pensar o que é "pensar", isso quer dizer que essas pessoas, de certa forma, não pensam.
Então elas dizem, por puro preconceito, que é impossível uma máquina pensar.

Sabendo que os humanos são preconceituosos, Alan Mathison Turing, pensou em uma forma de provar se uma máquina pode pensar ou não, ele criou "o jogo da imitação".
Existem três participantes nesse jogo, dois humanos e uma máquina. Um dos homens tem que descobrir quem é a máquina e quem é o outro homem. Para isso ele faz perguntas, por meio de um mensageiro, para os outros dois participantes.
Se o humano não descobrir quem é a máquina, a máquina será considerada inteligente.

Muitas vezes eu pergunto o que é ser inteligente? O que é pensar?
Geralmente falamos que uma pessoa é inteligente pelo fato dela saber muitas coisas, mas o que ela sabe é "decorado". Se decorar é ser inteligente então uma máquina é inteligente.
Jogos de raciocínio lógico são considerados "jogos para pensadores", o xadrez é um exemplo. Se é necessário pensar para ganhar o jogo, então uma máquina pensa. Porque ela pode analizar possíveis jogadas, prever qual será o pior movimento e fazer movimentos menos perigosos.

Na verdade, eu não sei se uma máquina pode realmente pensar, porque eu mesmo nem sei o que significa "PENSAR". Mas sei que uma máquina pode imitar o humano.
Então, pensando na teoria de Turing, se uma máquina imita o homem, torna-se impossível reconhecê-la, logo ela é "inteligente".

O meu verdadeiro interesse não é saber se uma máquina pensa. Eu desejo saber o que me torna diferente das máquinas.
As pessoas riem das máquinas, porque as máquinas nuncas terão sentimentos, mas essas pessoas nunca viram que elas mesmas são como máquinas.

Uma máquina poderia fingir que ama, porque isso é fácil. Porque beijar é uma coisa lógica. Porque falar coisas que as pessoas querem ouvir também é uma coisa lógica.
Sempre filosofei muito sobre isso, e foi aí que acabei destruindo minha vida amorosa. Uma máquina pode fingir um amor, então eu decidi ser humano e não fingir.

Então não fico com alguém se não amo essa pessoa. Mas acredito que para amar uma pessoa, eu preciso conhecê-la antes.
Essa última linha é LINDA na teoria, mas é HORRÍVEL na prática.

Na teoria é lindo porque não vou brincar com o amor dos outros, porque não é meu objetivo ficar para depois poder dizer "Fiquei com aquela gostosa!"

Na prática é horrível, porque para amar leva tempo. E as pessoas têm pressa, elas querem tudo para hoje. Para o agora. Se eu espero amar alguém, a pessoa simplesmente diz que estou fazendo ela de boba. E por isso ela me odeia.

No fundo, as pessoas querem ser enganadas. Querem beijos vazios e mecânicos.
Elas querem poder reclamar que foram usadas como objeto.

No fundo, as pessoas querem as mentiras. Porque a verdade é construída de várias mentiras.

Por fim, descobrí que tentando ser mais humano, me tornei insensível e estúpido. Porque nunca amei ninguém!
LameDuck
Enviado por LameDuck em 26/11/2005
Código do texto: T76871
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
LameDuck
Rio Claro - São Paulo - Brasil
124 textos (4852 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:53)