Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Invasão saudável


Invasão saudável

   Ao longo dos séculos, a mulher foi subjugada e maltratada pelo homem. No início dos tempos, pode ter sido algo em função de falta de células genéticas corretas no cérebro do homem, que a partir desta anomalia imaginava (alguns ainda continuam contaminados) que a condução do mundo estava em suas mãos. Mas as mulheres começaram a externar suas idéias de maneira tímida em vários momentos da história. Suas fracas e desordenadas tentativas em obter um merecido lugar dentro do contexto da sociedade sempre esbarraram na falta de diálogo de seus parceiros e nos dogmas fabricados em "livros sagrados" (escritos por eles). Elas preferiram não entrar em conflito mais intenso talvez por falta de prática guerreira e amor integral aos filhos. Esperaram demais e o mundo chegou ao caos atual. Uma análise mais profunda deste contexto consumiria umas dez páginas. Deixo esta tarefa para os historiadores mais capacitados e pacientes.
   Ainda hoje, os vestígios do machismo desenfreado se fazem presentes em várias partes do mundo. Muitas apanham caladas, diversas sofrem "cirurgias" em suas partes íntimas ainda adolescentes, outras são impedidas de estudar e outras são mal remuneradas mesmo quando trabalham melhor que o homem. Mas elas contam com as fortes redes de comunicação e já conseguem demonstrar suas capacidades mentais e físicas para exercer atividades que muitos "machões" não encaram. Em diversos pontos do planeta nascem entidades e movimentos que fazem questão (justa) em defender seus direitos roubados ao longo do tempo. Já não ficamos surpresos em encontrar uma dama manipulando uma escavadeira numa obra pública ou particular. Ou mesmo numa incursão policial noturna em busca de foragidos da Lei dentro de favelas.
   No final de junho de 2003, tivemos a grata satisfação de observar não uma, mas quatro mulheres comandando pela primeira vez (pelo menos no Brasil) um espetáculo de futebol! O jogo entre São Paulo e Guarani, realizado em Campinas no dia 29/06/2003, foi arbitrado por Silvia Regina, auxiliada por Ana Paula e Aline Lambert. A 4a. árbitra não teve seu nome destacado. E o melhor de tudo é que elas desempenharam um trabalho quase perfeito, com poucos erros (toleráveis aos seres humanos – os homens costumam errar 3 vezes mais do que elas fizeram).
   Os cargos públicos começam a abrir espaço (ainda timidamente) para que as mulheres demonstrem à sociedade de quanto são capazes de superar a dificuldade de conciliar o lar com a vida pública. Dezenas de jornalistas já possuem suas colunas respeitáveis em periódicos de credibilidade, como Ana Paula Padrão que adquire a oportunidade na rede de tv SBT para exibir sua competência comandando noticiário em horário nobre, trazendo as notícias com simplicidade.
   Este fato é um marco importante não só no Brasil. Mostra ao mundo do quanto nossas beldades são capazes. Temos de acabar com o mito de que nossas nativas são eficientes apenas para exibir suas belas silhuetas para fins comerciais e turísticos. Espero que em curto espaço de tempo tenhamos a maioria delas no poder (precisamos votar nelas), inclusive na presidência. E que não demore muito a chegar o dia em que teremos uma Papisa no Vaticano.
   Um grande grupo de inseguros alega que elas possuem menos neurônios e por isto não estão habilitadas a participar de decisões sobre o rumo da humanidade. Até concordo que temos mais neurônios que elas. Vejamos a tabela abaixo (números hipotéticos).
A mulher possui 10.000 neurônios, que se dividem em 4.000 "maus" e 6.000 "bons".
O homem possui 40.000 neurônios! Que beleza! Do seu lado, alinha 12.000 "bons". Que maravilha!!! Apenas não conseguem superar os 28.000 "maus" que infestam seu corpo, corroendo sua mente com a intolerância, a ganância, ateimosia e a insensibilidade!
   De Anita Garibaldi ao trio Jandira Feghali, Denise Frossard e Heloisa Helena, nosso povo já tem o que venerar em termo de heroínas que transcendem seu importante papel de preservação da espécie humana (ainda que necessitem por ora, da sociedade com o homem). Estas (e outras não citadas) exibem uma coragem acima da média, por defenderem com dignidade suas posições convictas da verdade que, ao lado da educação para análise da informação, é o único caminho que pode nos conduzir para fora do abismo escuro que nos mantém eterna colônia dos abutres internacionais que tentam comandar nossos destinos através do aval dos corruptos profissionais e dos inocentes úteis deslumbrados pelo brilho efêmero das lantejoulas do podre poder. Com a conivência de um povo domesticado por uma cultura pífia exibida pela tv que se prende ao lucro material em detrimento do lento apodrecimento de nossos valores culturais e morais. Já não tão lento atualmente.
   Elas não querem lutar contra eles, mas ao seu lado. Se o homem sozinho não foi capaz de criar um mundo agradável para nós ao longo dos tempos, que seja esperto e faça parceria com aquelas que possuem maior facilidade para enxergar caminhos iluminados pela esperança, regados pela ternura e floridos pelo amor.
    Está mais do que na hora deste país passar o comando às mãos das mulheres, tendo em vista que nos últimos 500 anos (com maior força nos últimos 100), os homens jamais colocaram como prioridade a busca da afirmação de nossa dignidade. Mostraram-se servos dóceis daqueles que manipulam as altas somas do capital turístico que passeia pelo mundo e hiberna em algumas localidades pelo período necessário a exaurir as riquezas locais através do suborno que corrompe neurônios defeituosos oriundos de um sangue sem fibra!
 
Referendo de sucesso será o que permitir expurgo no Congresso!
Nós podemos fazer a diferença na verdade do futuro.
Haroldo
Enviado por Haroldo em 27/11/2005
Código do texto: T77033
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Haroldo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 71 anos
678 textos (24805 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:24)
Haroldo