Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Esconder-se na Religião

Esconder-se na Religião

Quero desenvolver um assunto que as vezes observamos que acontecem e com muita freqüência. Varias  pessoas pôr certos desequilibro em sua vida pessoal, familiar seja pôr quais questões forem a financeiras, seja adultério, doenças na família, vícios buscam através de uma espiritualidade a solução do problema, a justificação. Nestes momentos as pessoas recorrem a diversas espiritualidade procurando respostas e de certa maneira escondendo-se nelas. É a partir daí que entra a reflexão a qual quero levar. Qual o fenômeno disto ocorrer?
Procuro encontrar algumas explicações e gostaria de expor até mesmo para ampliar uma reflexão sobre este fenômeno. Pois é como se todo um conceito construído, verdades anteriormente acreditadas passam a ser o motivos das desgraças.
Antes de abordar pretendo fazer uma observação inicial. Muito embora as pessoas professem uma fé, na realidade isto não é uma fé concreta e sim uma superficialidade. Sempre observamos que é uma espiritualidade superficial, vazia, sem consistência que tem mais haver com costumes, educação, cultural.    O que percebemos também é que a maioria destas pessoas dizem ser cristãos católicos, mas na realidade não participam ativamente  da vida de comunidade, não participam dos Sacramentos. Em suma tem uma espiritualidade de rotulo.
Uma das característica do ser humano é o mecanismo de defesa e realmente todos nós servimos dele para aliviar as nossas culpas, justificar os nossos atos, fugir do enfrentamento e assim pôr diante.
Vejo que muitos buscam através de mudanças de doutrinas, usando de mecanismos de defesa para justificar atos cometidos no passado como que tudo houvera ocorrido negativamente estava ligado a ação do demônio (anjo caído) tornando-o assim um alibi perfeito. Tenta justificar os atos cometidos, dando ao “demônio” a qualidade de sujeito e responsabilidade que não é dele, e assim, se esconde no poder do mal tornando apenas um objeto dele. Desta forma então todas as conseqüências não eram de minha responsabilidade, mas sim induzido pôr ele  pois estava nas trevas, e agora que mudei de religião fiquei livre do julgo e assim a pessoas não poderão me questionar.
Em muitos casos as mudanças e o vai e vem nelas nas religiões tornaram-se uma fulga e uma forma de sair ileso perante a sociedade. De um homem mal, passa a ser um santo. É também uma maneira que a pessoa encontra para se justificar para ela mesma, uma auto manipulação construída com objetivo de aliviar- se suas culpas e recomeçar.
Até que ponto isto é verdade ou é um mecanismo de defesa? Ou será ma forma de auto manipulação ou um ato de manipular os outros?
Existe a verdade de cada um. E acredito que esta verdade humana é atingida quando o homem conhece a si mesmo.  E a outra e a VERDADE que é Deus e Sua ação no homem e na historia como também  a ação no mal (demônio) no homem e na historia  Existe o bem e o mal, a vida e a morte que está em cada um. Hora somos impulsionado para um lado, hora para o outro e não raro simultaneamente.
Não estou afirmando que não existe o mal demônio ( anjo caído ) e não afirmo também que ele não tem sua intervenção de modo a desestabilizar o homem, mas é importante frisar que o homem é um ser livre, tem seu livre arbítrio e deve assumir suas responsabilidade sem ficar atribuindo de forma a esconder-se de seus atos, limitações e fraquezas  e querer justificar numa doutrina o motivo de estar vivendo erradamente, ou mesmo querer justifica-la para uma manipulação a outros. Em muitos casos estas atitudes são inconsciente.
Ataíde Lemos
Enviado por Ataíde Lemos em 25/03/2005
Código do texto: T7833
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Ataíde Lemos
Ouro Fino - Minas Gerais - Brasil, 51 anos
5255 textos (1211904 leituras)
5 e-livros (11710 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/09/16 17:45)
Ataíde Lemos

Site do Escritor