Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O poder de sedução na Meia Idade...


O poder de Sedução na Meia Idade
                   As meninas são treinadas para exercer a sedução desde pequenas.Houve época em que as crianças vestiam-se como mini-adultos, depois fizeram tudo para criar roupas leves, confortáveis, alegres:nascia a “moda infantil”, hoje responsável por consumos , gastos e...lucros, para os  fabricantes e vendedores...Mas retornou, com a inflluência da apresentadora Xuxa,a tendência a fazer as meninas se vestirem quais pequenas mulheres, enquanto ela perdia idade vestindo-se qual criança.Hoje, após a maternidade, desistiu dessa tolice,talvez anteriormente fosse influenciada pela Marlene Mattos.Hoje, tendo rompido com a empresária, ganhou em bom senso.Ser mãe faz dessas coisas.De qq forma, após sua era inicial, as garotinhas não abrem mão de batons, bijouterias,requebros e beijinhos.Mas vá a púbere fazer as mesmas coisas.Proibidas de se expor ao bicho homem, as ninfetas ao crescer,voltam a seguir modismos, mas não sabem o que fazer com seu poder de sedução.
                  “Filha minha não senta em colo de tio algum”, decreta o pai, sem explicar bem o porque à assustada garota.Embora louvemos todos os cuidados que demonstram precaução contra impertinências sexuais de adultos que podem chegar a abusos mais sérios, como estupros,sabemos que essa forma velada e definitiva de bloquear a sexualidade latente , tem conseqüências sérias para seu desenvolvimento perfeito.Limites devem ser colocados,mas com explicações que as pessoas em formação possam entender/atender. Em pequena, a criança é constantmente instada a  jogar beijos,beijar,cativar.Depois, fica perplexa porque já não pode fazer nada disso.E então começam os namoricos escondidos, as teimosias da adolescência que acabam por expor, desnecessariamente a inocência,até para adultos desviados de conduta...
                  Mas a mulher é gerenciada para o casamento, não para o exercício livre da sexualidade.Poucas são as mulheres, ainda nos dias atuais, que podem deixar fluir seus direitos sobre o corpo.Mesmo o mais simples deles, o de ir e vir, garantido na Declaração Universal dos Direitos Humanos.Mulher “usada” não tem o mesmo valor.”Rodada”, taxam os mesmos que as rodaram...”Galinha e vassoura”:a que abaixa-se para qualquer um .A que varre muitos chãos.Virgindade, já exercida como prova de honra e seriedade, mas na verdade, a forma encontrada para garantir que os herdeiros de alguém fossem realmente seus filhos...O velho e irônico dito:”Filhos de minha filha, meus netos são...Filhos de meu filho, meus netos serão?”E outro:”segure suas cabritas que meu bode está solto”.Ou seja, o homem, podia a mulher,nunca.
                 Elas chegam ao casamento de várias maneiras.Em geral, uma idéia imposta de que está na hora.Nem todas têm certeza de que a escolha é a mais correta e muito menos se será para sempre.mas esperam que sim.Antes, “até que a morte os separe”.Hoje, “Até que a sorte os separe”.Muitas mulheres se mantêm infelizes ad aeternum.Não têm coragem de deixar o cônjuge.Temem os demais.a família.Os filhos.Mesmo agora,que a maioria delas estuda, trabalha, não depende de umprovedor para viver.No tempo de minha avó uma jovem não casada ou enviuvada cedo,somente podia ser costureira ou professora.Se não arranjasse trabaçjo fora, costurariou bordaria em casa, faria doces para vender, crochet.trabalhos manuais,que pouco lhe rendiam...Mas muitas criaram e formaram assim os seus filhos.No fundo, um desejo:tendo filhas, casá-las e conseguir um bom provedor que as tirasse do sufoco.De preferência,  o genro levando a sogra.
                Casada, a moça devia agradar ao marido:atendê-lo, servi-lo.Inclusive na cama.Dias de ter relações(leia-se “obrigações”) conjugais, determinadas pelo padre, depois pelo marido.Não podia demonstrar amor.Não ficava bem para uma senhora distinta.Ou esposa de alguém, em qualquer classe social.O prazer negado, ficava para as prostitutas, as “perdidas”(muitas expulsas de casa paterna por terem engravidado sem saber nada de concepção, de sexualidade.apenas cediam .Não eram os homens os detentores do poder?As francesas importadas para propiciar aos senhores coloniais , a luxúria, os truques sexuais, nada negando-lhes e vestindo-se de forma bastante provocante.Algumas esposas ardiam.E depois se confessavam aos padres, humilhavam-se para os pastores.Entre os judeus, a moça casa e usa peruca de matrona.Nunca mais poderá ser graciosa.Somente o esposo verá seus cabelos,na intimidade.Até hoje, vemos exemplos de mulheres com a sexualidade coartada por um ou outro motivo...Não ceder ao desejo do marido, impossível.O dela , ele ignora.O corpo não é visto.Nem sempre a roupa é retirada.Longas camisolas velam as formas.Após um parto, quarenta dias de resguardo.para que o corpo se recupere e possa novamente,engravidar.Há esposas que desgostam do cônjuge por um motivo-que vai dos hábitos de higiene ao nojo do membro virl, do dissabor causado por ele-puladas de cerca,grosserias, sovinices-mas não são capazes, por toda a vida, de contar o porque de seu “Não” tão detestado pelo marido,ou do fato de ceder sem gozo, entre um sem números de atitudes que são, para elas, punições a ELE, esquecendo de que, negando-se à sexualidade sadia, negam a elas próprias a chave do prazer...
II
     
                     Hoje, com tantas separações, há muitas mulheres de meia idade sozinhas.Há ainda as que preferem investir na carreira.Cabeças livres, já não se coíbem a livre expanção dos desejos, que podem ser satisfeitos mesmo sem o casamento sagrado.Há muitas formas de união.cada qual no seu apartamento.Amizades coloridas.Encontros circunstanciais, por exemplo, em congressos, viagens de negócios, férias.No entanto, surge,muitas vezes, uma bitola pessoal:ao perceber que a hiper valorização do corpo físico exige mulheres jovens ou magras muitas retraem-se e negam a si próprias experenciar as alegrias do romance.
                     Algumas viram escravas das academias, malhando às vezes até adoecer, para conseguir modelar um corpo novo.Há as lipo-aspirações,os implantes de silicone,o botox, as cirurgias reparadoras, estéticas.A maioria pode então, esquecer-se de amar e fazer amor, ser amada, com a alma e o esírito também.Nada contra a pessoa ser cuidadosa, buscar o melhor para si.Gostar-se e valorizar-se é positivo.Mas...o que muitas não sabem é exercer o naturalpoder de sedução que a mulher tem.
                       Intuitivamente, ela sabe que o ditado “peixe se pega pela boca”, ainda em uso, evidentemente, sozinho, é um fraco meio de conquista.Vá estar o peixe com molho de alcaparras ou o Tiramisu perfeitos, sem o perfume marcante, parecido com quem o usa,sem a roupa íntima bonita e sexy, sem o batom provocante, sem a magia das palavras sussurradas, sem o encantamento das promessas, sem a performance na cama(ou no chão...)
                       Os homens hoje esperam um pouco de sedução agressiva(no sentido de positiva).Que elas tomem a iniciativa.Se amarram um novo encontro-e até o primeiro-respiram aliviados,Se falam de suas próprias qualidades,eles as fixam.Se urram na hora do amor, sentem-se poderosos.Se mandam flores, lisongeiam-se.Se pagam a conta ou dirigem o carro numa estrada para que cochilem um pouco, gabam-se aos amigos.Trocando pneu então, maravilha...
                          Para a nova mulher, um homem novo.Respeito aos pontos eróticos da parceira,tempo gasto em provocar-lhe orgasmos, atenção na hora de vestir a própria roupa de baixo,habilidade em promover sexo criativo, tudo isso entra no romance,hoje...
                          Para um encontro, a mulher deve relaxar, ser autêntica, usar o próprio  corpo para dar e sentir prazer.No banho, já pode deliciar-se antecipando o encontro.Ou mastubar-se ou imaginar o comportamento do parceiro.Este, escolhido.O odor deve ser o mais provocante possível,Se o corpo não é mais o de uma jovem, use velas, meia luz, sempre tão excitantes.A celulite não é levada em consideração, se o tesão é grande, os sentidos estão envolvidos por tudo que um corpo oferece a outro.A vaidade feminina, posta ali, a serviço das relações amorosas, instaura a autoestima, a auto-confiança.A idade passa a ter um caráter secundário.Eu, que atendo em psicoterapia ,homens e mulheres,sei que , realmente, a idade não importa para o perfeito desempenho sexual.
                             Rotina deve ser evitada, talvez num dia de inverno,um casal bem ajustado possa colocar meias de lã e vestir moletons, sem perder nada ,admitindo com graça e humor, que sente frio, mas em geral, nada feio deve entrar na relação amorosa.Bom lembrar que, fazendo amor, o sangue esquenta:a temperatura sobe, os parceiros suam.Depois, que vistamseus agasalhos,mas estes devem provocar palavras afetuosas(“meu ursinho”,” minha gatinha angorá”).Muitas pessoas de meia idade e mesmo os idosos,se tinham já uma certa preguiça de fazer amor,justamente por sentimentos de menosvalia(pessoais ou do parceiro), quando encontram novos companheiros, sentem-se renovados.Rejuvenescem.Os complexos desaparecem.O amor é um grande renovador de comportamentos!
                           Adoro estar no Rio de Janeiro, em Copacabana, onde a concentração de idosos é enorme e ver passar pessoas de meia  e terceira idade , bronzeados, vestidos com cores alegres, sorrisos no rosto, conscientes de seu poder , seja levando cãezinhos a passear, seja andando de mãos dadas ou abraçadinhos com quem estão ficando ou vivendo...Tive uma paciente cinquentona, que ia quase toda semana para o Rio apenas para sentir outra vez que era olhada e desejada.Acabou conhecendo um homem mais novo com  quem manteve um ardente caso amoroso...  Ela não era rica, nem especialmente bonita,mas charmosa e alegre, permitiu-se ter oportunidades e não as deixou escapar...Alegre, contava-me que hospedava-se na casa de uma amiga com mais de setenta e que esta tinha também um  namorado fixo.Aqui também quero considerar que Amor entre pessoas mais velhas é um fato,existe, realizando e alegrando a vida dos amantes-os que se amam, lembrem e que sexo mesmo sem amor,com afeição genuína, pode ser bastante nutritivo,digamos...
                            Neste milênio, com a Internet, houve um “boom” de conhecimentos orientais.Estuda-se-e pratica-se sexo tântrico, faz-se uma releitura-inclusive braileneanamente, ao vivo-do Kama Sutra,alonga-se o corpo para que as posições possam ser as mais variadas possíveis.Ler muito, de tudo, ou navegar pela Internet,para saber o que é “da hora”, vão ampliar seu arsenal de assuntos.Embora, às vezes, se possa falar com a vagina(nessa época, não é à toa que a peça “Monólogos da Vagina” tenha logrado tanto sucesso!)e/ou ficar totalmente em silêncio a dois, apenas respirando juntos,saber conversar pode ser mesmo uma arma de sedução ...
                          Algumas mulheres queixam-se que não “arranjam”(lembram?Os casamentos relmente arranjados...Outrora!A expressão é herança colonial!)namorados.Mas ficamà espera de que alguém (quem?) apresente alguém.Não vão ao cinema, ao teatro, não se sentam em praças para ler e...papear com o homem que está ao seu lado,não sorriem para não parecerem “atiradas”, consomem-se de inveja das pessoas mais jovens que “ficam”... E criticam as “assanhadas”...Os tempos são outros.É possível ser digna e séria rindo e cantando, conversando, sendo genuinamente simpática.Bom viajar,ir a apresentações públicas, sentar no parque para ouvir um concerto e puxar conversa com o vizinho.Se não   virar namoro e muito menos amizade, a pessoa terá com quem passar o tempo.Só não vale deixar o tempo passar..
BH
(Resumo da palestra dada no Curso de Atualização Cultural de Eloísa Paiva, na Associação de Engenheiros de Belo Horizonte )*(2003)

N:Se quiser falar mais comigo, sobre o assunto, escreva para clevaneplopes@yahoo.com.br

clevane pessoa de araújo lopes
Enviado por clevane pessoa de araújo lopes em 26/03/2005
Código do texto: T8102

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autor e o link para o site "www.sitedoautor.net(Clevane pessoa de araújo lopes;(www.clevanepessoa.net/blog.php)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
clevane pessoa de araújo lopes
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 69 anos
555 textos (176731 leituras)
21 e-livros (13423 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 22:44)
clevane pessoa de araújo lopes