Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RAUL, O MALUCO BELEZA


Dedico este artigo
À amiga Naza Breeman,
Talentosa, debochada,
E irreverente menina,
Detentora de gloriosa discórdia
Que enobrece a arte poética.


É com muito orgulho e sem falsa modéstia que destôo sobre o maluco beleza, rei do rock e autêntico representante de uma geração. Raul Seixas ensandeceu a todos, com sua indelével arte criativa e interpretativa.  Sobrepôs-se ao caótico modismo e ditou o ritmo de várias décadas, ofertando generosos deboches entrelaçados com arte poética. Viveu intensamente cada melodia, brilhou com seu trinado distribuindo a conjunção de sonhos e preencheu o espaço com notas musicais. Mais, muito mais que cantor e compositor, foi um visionário, pressentiu o belo, onde havia rancor, disseminou esperança - onde o torpor reacionário imperava, fincou a bandeira da paz. Trouxe alento ao mundo bélico. Assintomático, fez alusão ao renascimento de um movimento musical que desprezava o modismo e afirmou que havia nascido há dez mil anos atrás e tornou-se imortal, perpetuando sua irretocável imagem por gerações subseqüentes. Ganhou o mundo, emprestou seu talento para causas humanitárias. Sendo garimpeiro da cultura, Raul Seixas ofertou ouro aos tolos que estavam hipnotizados pela metamorfose ambulante e numa bela manhã, tomou o trem das sete e bateu asas, planando por todo o universo, levando alegria e musicalizando milhões de almas em todos os planos do cosmo.
Paulo Izael
Enviado por Paulo Izael em 07/12/2005
Código do texto: T82129
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Izael
São Paulo - São Paulo - Brasil
206 textos (27425 leituras)
1 áudios (171 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:33)
Paulo Izael

Site do Escritor