Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SINCERIDADE X FRANQUEZA

 
 
Outro dia vi na televisão, um pequeno depoimento de alguém, que infelizmente, não consegui registrar  o nome, pois gostaria de dar-lhe os devidos créditos, falando sobre a Sinceridade.
Esplanou ele, de forma tão clara, que abriu-me o modo de pensar, fazendo-me refletir muito sobre o Tema e chegando a conclusão que há algumas diferenças entre SINCERIDADE e FRANQUEZA, o que muitas vêzes não percebemos.

Essa reflexão que fiz é que vou  expor aqui, na esperança que possa ser útil para alguém.
Antes, porém, preciso colocar algumas definições que encontrei no Dicionário.
 
Segundo o "Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa" de Aurélio Buarque de Hollanda Ferreira, eis alguns conceitos que penso ser preciso refletirmos um pouco sobre eles:
 
Sinceridade: é o mesmo que Sincero, ou seja, "Que diz com franqueza  o que sente"; franqueza; lisura de caráter.
Sincero: Que diz com franqueza o que sente; verdadeiro; sem dissimulação ou disfarce; sem malícia.
Franqueza : Qualidade daquele ou daquilo que é franco; liberalidade; sinceridade.
Liberalidade: Qualidade de liberal; generosidade.
Liberal: Generoso; franco; dadivoso.
Verdade: Conformidade com a realidade; exatidão; sinceridade; coisa verdadeira; princípio certo; representação fiel de alguma coisa existente na natureza; caráter.
Verdadeiro: Em que há verdade; que fala verdade; real;exato;autêntico; genuíno;sincero;que tem as qualidades essenciais à sua natureza.
 
Não querendo ter a pretensão de questionar e, muito menos de tentar querer ser mais verdadeiro do que o próprio dicionário, venho apenas colocar aqui, a minha opinião, dizendo que me  parece, de certa forma, haver uma ligeira contradição em algumas das definições citadas acima, o que, parece-me,  fica um pouco confuso para compreendermos a definição dessas palavras que são tão importantes em nossas vidas.

Vejamos.
Na minha visão, e me perdõem, se eu estiver errada, a idéia soberana é a que define a VERDADE, e logo após ela, o que realmente SENTIMOS, QUEREMOS e EXPRESSAMOS com essa VERDADE DENTRO DE NÓS, que vem a ser na minha opinião, a  SINCERIDADE.
Já a FRANQUEZA eu entendo que seja  a forma ou o modo como expressamos esse sentimento.
 
Em todos os momentos de nossa vida, penso eu, devemos ser sempre Sinceros, isto é, sermos coerentes com o que sentimos e com o que queremos, pois isso estará expressando a nossa Verdade.
 
Entretanto, em muitos momentos de nossas vidas, nos deparamos com situações em que se torna difícil sermos tão claros e explícitos em nossa Sinceridade, pois poderíamos estar magoando outras pessoas, o que não queremos.
Mas queremos ser Verdadeiros e Sinceros!
Como fazer?
Penso que devemos usar sempre de sinceridade, porém, nem sempre poderemos, talvez, usar de toda a franqueza, pois pode ser que em alguns momentos ou em determinadas situações isso não seja possivel, o que não implica em falta de sinceridade.
Vou tentar me explicar.
Quando somos sinceros, mesmo dizendo a verdade sem usar de total franqueza, isto é, sem revelarmos a crua e nua totalidade da franqueza , não estamos mentindo, pois estamos expressando o nosso verdadeiro modo de pensar. Apenas estamos omitindo algumas particularidades que naquele momento poderiam magoar o outro, e não queremos que isso aconteça.
 
Vou colocar um exemplo para ficar mais claro:
Ex - Uma criança de 3 anos te mostra um desenho todo rabiscado que ela fez, e te pergunta se está bonito. Como você reagiria com sinceridade e verdade perante essa situação?  A gente olha diz  "Está lindo!" , porque vemos ali o seu esforço em fazer o seu melhor, e omitimos o restante do nosso pensamento que seria, normalmente o seguinte: " Está lindo para a tua idade, dentro das tuas limitações". Entende?
Esse pensamento restante seria a "crueza e a totalidade da nossa franqueza" que poderia magoar aquela criança que , naquele momento, não estaria preparada ainda para esta avaliação.
 
É lógico que ninguém gosta de ser enganado, e portanto é importante conhecermos bem o outro  para vermos quando poderemos ser totalmente sinceros com ele, sem jamais mentir, pois ser enganado, machuca... magoa... dói... e acaba naturalmente com qualquer relacionamento, pois ocasiona a falta de uma das bases mais sólidas em sua construção que é a confiança mútua.
 
Também penso que o fato de sermos totalmente sinceros e francos ao expor o nosso pensamento, não nos isenta de que o façamos com carinho, delicadeza e respeito para que não venhamos a magoar o outro, com uma verdade nua e crua, dita de uma forma descuidada e impensada, muitas vêzes, vindo a gerar sofrimento em quem a ouve.
 
Para isso é preciso haver muito conhecimento e entendimento entre as partes, além de compreensão e muito diálogo, onde um busca entender o porquê das coisas, e, o outro, com carinho e delicadeza tenta também explicar sem magoar.
Dizendo dessa forma, com carinho e educação, nós podemos ir colocando aos poucos, o nosso pensamento sincero e verdadeiro,  buscando sempre respeitar o tempo de entendimento do outro, e , com isso, até mesmo ajudá-lo a crescer, ajudando-o a alargar seus horizontes, procurando fazer com que ele mesmo compreenda aonde ele estava errando.
Isso, é claro, desde que o outro também queira crescer, evoluir, reconhecer suas falhas e propor-se a mudar para melhorar-se, por mais difícil e dolorido que seja no início, e por maiores que sejam os esforços empregados em sua transformação.
 
Por mais difícil que seja mantermos um diálogo desses, em profundidade, com o outro, devemos sempre dizer a verdade, sermos sinceros sempre, embora, no início, até possamos omitir alguns pequenos detalhes que, de antemão , sabemos que poderão magoar o outro, mas que fique bem claro: isso não é mentir, é apenas omitir, o que é muito diferente; ao menos, até o outro estar preparado para poder aceitar a totalidade da verdade sem que haja mágoas ou melindres, havendo então, nessa ocasião, um diálogo aberto, sincero, verdadeiro, franco, com carinho e respeito de ambas as partes.
 
Devemos também, penso eu, procurar nos colocarmos no lugar do outro, para ver como ele se sente e como gostaria que transcorresse  essa situação.
Tal atitude facilita, e muito, para que se chegue ao equilíbrio necessário entre os dois lados, evitando assim, que, um ou outro, se sinta magoado posteriormente, vindo a sofrer.
 
Entretanto  é necessário que fique bem claro que não estamos sugerindo ninguém a mentir.
Nunca!
Mentir é diferente de omitir, e do que estamos colocando aqui, pois Mentir seria o fato de eu querer, sentir e pensar de uma forma totalmente diferente do que eu estaria dizendo para essa pessoa, e isso sim, abalaria qualquer relacionamento, pois destrói toda a sua base, que é a confiança mútua.
E nessa confiança presume-se que houve um ato de entrega de sentimentos de um para o outro, e se alguém mentir, esse relacionamento estará fadado a sua destruição, pois dificilmente ele resistirá à mentiras e à falta de confiança.
 
Por isso eu digo que nunca devemos falsear a verdade!
Ela é única.
E a sinceridade também.
Só na franqueza, que é o MODO como expressamos a nossa sinceridade, é que podemos poupar o outro, quando vemos que ele ainda não está preparado para compreender a totalidade da verdade. Nesse caso, não devemos nunca mentir, apenas podemos omitir uma parte, e , aos pouquinhos, vamos conduzindo o pensamento daquela pessoa para que ela mesma, por si própria, possa amadurecer e vir, aos poucos, a aceitar a totalidade da verdade e da sinceridade. E ela assim o fará quando chegar ao seu tempo certo de amadurecimento e compreensão.
 
Vemos, pela própria definição do Dicionário ( citado acima ) que Franqueza é definida também como Liberalidade , e esta, por sua vez, é definida como Generosidade.
 
Portanto, vemos então, que essa nossa pequena omissão de certos  fatos, até que o outro esteja em condições de compreende-los e aceitá-los, vem a ser essa generosidade para com o outro.
Conseqüentemente, podemos ficar tranqüilos, pois a nossa pequena e passageira omissão não é, e nem deve ser nunca uma mentira.
 
Com essa revisão dos conceitos e a reflexão aprofundada que fiz, consegui compreender com clareza o que antes , para mim significava, mais ou menos, a mesma coisa.
 
Espero poder estar contribuindo, de alguma forma, para maior clareza desses conceitos, para que nos tornemos cada vez mais verdadeiros e sinceros em nossos relacionamentos, melhorando em muito a qualidade dos mesmos.
 

Lúcia-Lms
(21/01/08)
 


LúciaLms
Enviado por LúciaLms em 10/02/2008
Reeditado em 01/09/2010
Código do texto: T853898
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
LúciaLms
Caxias do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil
409 textos (90418 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/10/14 17:10)
LúciaLms



Rádio Poética