Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gregório Fonseca

Gregório Porto Fonseca, engenheiro militar, poeta, biógrafo, ensaísta e conferencista, nasceu em Cachoeira, RS, em 17 de novembro de 1875, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 23 de abril de 1934. Eleito em 16 de julho de 1931 para a Cadeira n. 27, na sucessão de Dantas Barreto, foi recebido em 29 de outubro de 1932, pelo acadêmico Alcides Maya.

Fez estudos elementares na cidade natal. Desde cedo amava os livros e gostava de poesia. Com 15 anos de idade, trabalhando como caixeiro, recitava sonetos de Olavo Bilac à hora da sesta e quando não houvesse fregueses a atender, e por isso foi demitido do emprego. Abandonou o comércio e buscou seguir a carreira militar. Estudou engenharia na Escola Militar de Porto Alegre. Ali ligou-se ao poeta Aníbal Teófilo e publicou o volume de poesias Templo sem deuses (1907). Transferiu-se para o Rio de Janeiro, aproximando-se dos escritores da época, entre eles Olavo Bilac. Preterido no exército, mais de uma vez, apesar de ser engenheiro, reformou-se como tenente-coronel. Foi diretor da Secretaria da Presidência da República durante os primeiros anos do governo Getúlio Vargas (1930-1934). Pertenceu à roda de literatos em torno de Alcides Maya, no Rio de Janeiro, da qual participou também Lima Barreto.

Obras:
Templo sem deuses, poesia (1907);
Duas conferências: "A estética das batalhas" e "Ciúme dos deuses" (1914);
Vida e obra do Marechal Bento Ribeiro (1922);
Heroísmo e arte, ensaio (1936).
***********
Milton Nunes Fillho
Enviado por Milton Nunes Fillho em 30/09/2006
Código do texto: T252835
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Milton Nunes Fillho
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 55 anos
1141 textos (460482 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 16:26)
Milton Nunes Fillho