Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Monteiro Lobato (José Bento Monteiro Lobato, 1882-1948)

MONTEIRO LOBATO (1882 - 1948)

JOSÉ BENTO MONTEIRO LOBATO nasceu em Taubaté, cidade do interior paulista, em 18 de abril de 1882. Após passar sua infância entre a cidade de Tremembé, onde residia seu avó, e a fazenda de seu pai em Taubaté, onde cursou as primeiras letras, transferiu-se para São Paulo para dar continuidade aos seus estudos. Em 1888 perdeu o pai e, logo em seguida, a mãe. Sua educação ficou por conta de seu avó que impôs-lhe o curso de direito, embora o jovem mostrasse inclinação para as artes.

Em 1900 ingressou na Faculdade de Direito do Largo São Francisco e ficou amigo de Godofredo Rangel, com quem se correspondeu por cerca de 40 anos (Essa correspondência está reunida na obra "A Barca de Gleyre"). Junto com Rangel e outros companheiros Monteiro Lobato fundou o grupo literário "Marinete". Depois de formado, exerceu o cargo de promotor público em Areias. Em 1908 casou-se com Maria Pureza Natividade e em 1911, após herdar a fazenda do seu avó, dedicou-se a agricultura por cerca de três anos.

O inverno rigoroso de 1914 aliado a uma série de outras dificuldades fizeram com Monteiro Lobato pensasse em vender a fazenda por várias vezes. Durante esse período escreveu um manifesto intitulado "Velha Praga" e a enviou para o Jornal O Estado de S. Paulo. Devido ao valor desse trabalho, a Redação resolveu publica-lo, fato que gerou muita polêmica. Alguns estudiosos da obra de Lobato dizem que o sucesso desse artigo serviu de inspiração para que o escritor escrevesse o livro de contos "Urupês", que trazia o famoso personagem "Jeca Tatu".

Em 1919, após vender sua fazenda, fundou a editora Monteiro Lobato e Cia, que tinha o objetivo de "Inundar o País de livros". Esse sonhou durou pouco. Em 1924 a editora foi a falência. Em 1927 Lobato foi nomeado adido cultural do Brasil nos Estados Unidos. Nesse período já acreditava que a salvação do Brasil estava no aço e no petróleo. Ao retornar ao País, em 1931, fundou o Sindicato do Ferro, a Cia. Petróleos do Brasil, pois acreditava que havia petróleo no subsolo brasileiro, contrariando os técnicos que afirmavam o contrário.

Devido a essa posição, teve que enfrentar o governo brasileiro e as multinacionais, que levou-o a escrever o livro "O escândalo do petróleo". Durante essa luta, acusou de corrupto o Conselho Nacional do Petróleo e, por isso, foi preso pela ditadura Vargas por seis meses. Após sair da prisão fundou a Editora Brasiliense e passou a dedicar-se à literatura infantil, em livros como "Reinações de Narizinho" e "Caçadas de Pedrinho", que fazem parte da série do "Sítio do Pica-Pau Amarelo". Em 1946, descontente com o Brasil, mudou-se para a Argentina, retornando um ano depois. Em 5 de julho de 1948 faleceu, devido à problemas cardíacos, na cidade de São Paulo.

Apesar de Monteiro Lobato ser classificado por vários críticos literários como pertencente ao Pré-Modernismo, pois sua obra denúncia uma realidade brasileira, que até então era marginalizada, o próprio Lobato assumiu uma postura antimoderna ao criticar, com o artigo "Paranóia ou Mistificação?", a exposição de Anita Malfatti, realizada em 1917. Além disso, Lobato fez questão de não participar da Semana de Arte Moderna de 1922.

Apesar de tudo isso, antecipou a preocupação social e a linguagem bem-humorada e coloquial dos modernistas nas suas obras mais significativas: Os contos regionalistas "Urupês" (1918) em que cria a figura do caipira Jeca Tatu, e "Cidades Mortas" (1919). Para conhecer mais sobre a vida e a obra de Monteiro Lobato visite o seu site oficial na Internet: www.lobato.com.br

PRINCIPAIS OBRAS:

Obras Adultas
·Urupês;
·Cidades mortas;
·Negrinha;
·Idéias de Jeca Tatu;
·A onda verde e O presidente negro;
·Na antevéspera;
·O escândalo do petróleo e Ferro.

Obras Infantis
·Reinações de Narizinho;
·Viagem ao céu e O Saci;
·Caçadas de Pedrinho e Hans Staden;
·História do mundo para as crianças;
·Memórias da Emília e Peter Pan;
·Emília no país da gramática e Aritmética da Emília;
·D. Quixote das crianças;
·O poço do Visconde;
·Histórias de tia Nastácia;
·O Picapau Amarelo e A reforma da natureza;
·O Minotauro;
·Os doze trabalhos de Hércules
TalitaBello
Enviado por TalitaBello em 03/10/2006
Código do texto: T255460
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
TalitaBello
Santos - São Paulo - Brasil
137 textos (14741 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 16:51)
TalitaBello