Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Marcos Vilaça

Marcos Vinicios Rodrigues Vilaça, advogado, jornalista, professor, ensaísta e poeta, nasceu em Nazaré da Mata, PE, em 30 de junho de 1939. Eleito em 11 de abril de 1985 para a Cadeira n. 26, na sucessão de Mauro Mota, foi recebido em 2 de julho de 1985, pelo acadêmico José Sarney.

É filho único de Antônio de Souza Vilaça e de Evalda Rodrigues Vilaça. Fez os cursos primário e ginasial no Ginásio de Limoeiro, o curso clássico no Colégio Nóbrega, em Recife. Bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco (1962), onde também fez Mestrado.

Ingressou no magistério em 1958, quando foi professor de História do Brasil, no Ginásio de Limoeiro. No ensino superior, é professor concursado de Direito Internacional Público e Direito Administrativo na Universidade Federal de Pernambuco. Fez cursos na Universidade de Harvard, EUA. Desde a época universitária, quando foi diretor do Departamento Cultural do Diretório Acadêmico da Faculdade de Direito, exerce intensa atividade cultural e universitária em Recife.

Na imprensa, é colaborador da Revista Acadêmica, da Faculdade de Direito de UFPe; da revista Política, da Fundação Milton Campos (Brasília); do Jornal do Comércio e Diário de Pernambuco (Recife); do Correio Brasiliense (Brasília) e Última Hora (Rio de Janeiro); e da revista Nordeste Econômico (Recife).

Exerceu funções públicas no seu Estado e junto ao Governo federal, e como membro do conselho deliberativo de instituições assistenciais, culturais e jurídicas, destacando-se os seguintes cargos: chefe da Casa Civil do Governo de Pernambuco (em 1966) e secretário de Estado do Governo de Pernambuco (de 1971 a 1973); presidente da Fundação Legião Brasileira de Assistência LBA (de 1985 a 1988); membro efetivo do Conselho de Justiça, Segurança Pública, Direitos Humanos e Defesa das Vítimas de Delito, do Governo do Estado do Rio de Janeiro; membro do Conselho Curador da Fundação Nacional Pró-Memória, do Ministério da Cultura, tendo sido seu presidente; membro do Conselho Diretor da Fundação Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais (MEC), nos períodos de 1966-72, 1978-84 e 1984-90, tendo ocupado também cargos na Procuradoria Jurídica e na Assessoria Especial desse Instituto; secretário da Cultura do Ministério da Educação e Cultura; membro do Conselho Federal de Cultura; presidente da Fundação Nacional Pró-Memória, do Ministério da Cultura; presidente da Fundação Nacional de Arte Funarte, do Ministério da Cultura; membro do Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste Sudene, representando o Ministério do Trabalho (por um período de 10 anos); membro fundador do Partido da Frente Liberal PFL e membro do Diretório Regional em Pernambuco; membro da Comissão de Avaliação e Acompanhamento do Programa de Apoio à Pesquisa na Área de Ciências Políticas e Sociais, da Câmara dos Deputados.

Tem desempenhado inúmeras atividades oficiais no exterior, como chefe das Delegações brasileiras às 6a, 7a e 8a Reuniões do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco (Paris, 1982; Florença, 1983; Buenos Aires, 1984); XIII e XV Congresso Internacional das Entidades Fiscalizadoras Superiores (Berlim, 1989; Cairo, 1995); I Encontro dos Tribunais de Contas dos Países de Língua Portuguesa (Lisboa, junho/1995); chefe da Delegação brasileira na Conferência Interamericana sobre Probidade Cívica e Ética (Caracas, Venezuela março/96); Acordo de Cooperação Técnica, Científica e Cultural assinado com a Controladoria Geral da República da Venezuela (março/96).

É ministro do Tribunal de Contas da União (desde 1988), do qual foi presidente em 1995; membro do Conselho Diretor da Organização Latino-Americana e do Caribe das Entidades Fiscalizadoras Superiores OLACEFS; e vice-presidente da International Organization of the Supreme Audit Institutions INTOSAL.

Entidades a que pertence: membro da Academia Pernambucana de Letras (cadeira 35) e da Academia Brasiliense de Letras (cadeira 1); sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa (Câmara de Letras); sócio titular do Pen Clube do Brasil; sócio correspondente da Academia Catarinense de Letras; membro associado do Instituto Hispano-Luso-Americano de Direito Internacional; membro da Sociedade Brasileira de Direito Internacional; membro da Associação Argentina de Direito Internacional; membro fundador do Instituto dos Advogados de Pernambuco; associado da Ordem dos Advogados do Brasil, seção de Pernambuco; membro da Associação de Imprensa de Pernambuco; sócio correspondente do Instituto Histórico de Goiana, PE; sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal; membro da Associação dos Servidores da Legião Brasileira de Assistência; membro honorário da Academia de Letras dos Funcionários do Branco do Brasil. É detentor de inúmeras condecorações, no Brasil e no exterior.

Prêmios: Prêmio Joaquim Nabuco, da Academia Pernambucana de Letras, pelo seu livro Em torno da sociologia do caminhão (1961); Troféu Cavalo Marinho Recife (Empresa Pernambucana de Turismo); Troféu "Cultura Viva" (Governo do Estado de Pernambuco); Prêmio Tendência Categoria Desenvolvimento Social (Bloch Editores); Prêmio Destaque 1987 (Cebrae Centro Brasileiro de Apoio à Pequena e Média Empresa); Prêmio Cidade de Brasília.

Obras: Conceito de verdade, ensaio (1958); A escola e Limoeiro, educação (1958); Americanas, crônicas de viagem (1960); Em torno da sociologia do caminhão, ensaio (1961); Presença na Faculdade, discursos (1962); Cooperação, cultura e ruralismo, ensaio (1964); Coronel, coronéis, sociologia (1965); Da manjedoura de Igarassu ao magistério revolucionário Votos e ex-votos, discursos (1967); Nordeste brasileiro, história (1968); Política internacional e trópico, política (1970); Nordeste: secos & molhados, sociologia (1972); Falas do ofício, discursos (1973); Palavras e letras, ensaios (1977); O tempo e o sonho, conferências (1983); Olinda, Olindíssima, discurso (1983); Por uma política nacional de cultura (1984); Estado e cultura (1985); O idoso e a ânsia de viver (1986); Intenção e gesto, ensaios (1989); No território do sentimento, ensaios (1992). Sua bibliografia registra ainda uma extensa relação de discursos e conferências, constantes no Anuário da ABL 1993-1997.
Milton Nunes Fillho
Enviado por Milton Nunes Fillho em 03/11/2006
Reeditado em 23/12/2012
Código do texto: T281208
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Milton Nunes Fillho
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 55 anos
1141 textos (460537 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:54)
Milton Nunes Fillho