Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PLATONICIDADE

Sabe:
Você nunca saberá qual a extensão do meu amor
Quem sabe, quando olhar o horizonte, possa
Vislumbrar uma estrela, a solidão, uma estrela só !
Mas,
Você nunca sentirá o calor do meu abraço!
Nunca lerá as minhas cartas de amor.
Quem sabe,
Quando a vida te desiludir, possa olhar sem medo
As pedras do teu caminho!
E,
Você nunca saberá do meu melhor carinho!
Você nunca saberá dos meus sonhos, das
Minhas fantasias, da minha poesia... dos poemas
Que fiz e rasguei e fiquei sozinha...
Quem sabe, quando minha imagem
Atravessar teu pensamento  brote uma saudade,
De passagem, uma silenciosa curiosidade: Uma lembrança,
Mas,
Você nunca saberá do meu pedido de amor!
Quem sabe quando, me olhar a primeira vista,
Desperte para a verdade crua e... da maciez
Da minha pele nua: Você nunca saberá!
Quem sabe,
Um dia,
Ao ouvir uma canção inouvida,
Possa perceber que te amei, em vida,
A vida inteira... Por toda vida!


Obra publicada na 3ª MARSEM – Belém _ PA, 2001
Di Mattos
Enviado por Di Mattos em 25/09/2007
Código do texto: T667175

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Di Mattos
Belém - Pará - Brasil
75 textos (3133 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 21:01)
Di Mattos