Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

       Março  1913 - Agosto 2007 

     Mamãe foi descansar. Ela estava merecendo este descanso.    Nós filhos, Eu , a Jacira, a Jandira e a Nenem continuamos aqui enquanto lá ela está junto ao Pai  e com o nosso pai, com o Zeca e com a Rosinha. 
     Nós ficamos aqui ,  completando a missão que Deus nos deu. 
Fica a saudade e a lembrança. E no fundo , uma musica que, crianças, nos teatrinhos de casa, cantávamos no dia das mães .
Ela é a dona de tudo, 
Ela é a rainha do lar,
Ela vale,  mais para mim
Que o ceu , que a terra e que o mar

Ela  é a palavra mais linda
Que um dia um poeta escreveu
Ela é o tesouro que o pobre 
Das mãos do senhor recebeu ! 

Mamãe, mamãe, mamãe
Tu és a razão de meus dias
Tu és feita de amor e esperança.
Ai Ai Ai mamãe 
Eu segui o caminho e perdi
Volto a ti e me sinto criança
Mamãe, mamãe, mamãe
Eu me lembro  o chinelo na mão 
O avental todo sujo de ovo
Se eu pudesse eu queria outra vez mamãe
Começar tudo de novo !


A letra é  antiga e muito conhecida. E diz tudo !

Fulgencio
Enviado por Fulgencio em 22/10/2007
Reeditado em 24/10/2007
Código do texto: T705141

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fulgencio
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 78 anos
229 textos (12013 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 17:34)
Fulgencio