Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

     

Mais belo que Camões

                      Rosa Pena



  Querida Najah


Ontem depois que aquele homem perverso disse que sou quase uma débil mental fiquei pensando se mandava ele à merda ou se fazia charminho. Na primeira opção eu teria tomado uma atitude feminista, na segunda feminina, daí eu não ter feito nadica na hora, posso até escrever nadinha agora que não passo por boiola. Acho que sei o porquê dele se tão recalcado.Ele é muito feio e nada pode fazer em relação a este fato. Afinal eu posso pintar o cabelo de vermelho sem pagar mico, posso usar peruca sem dar vexame, posso ser uma loura séria ou uma morena burra de acordo com meu humor, enquanto ele vai ter que encarar aquela quase calvície horrorosa dele forever, senão vai pagar um gorila. Em relação ao físico então? Tadinho, não pode por um silicone pra dar uma empinada nos peitinhos e disfarçar aquela magreza mal-amada. Imaginei-o com a unha encravada sem poder se dar ao luxo de usar uma sandália de dedinho, cheia de tirinhas bem combinandinha com um vestido rosa-choque, ta na moda miga! Ele não pode usar nem sandália de saltinho que dirá cor-de -rosa.Imagina que situação! Dedo espremido num sapato marrom totalmente out.

Fiquei triste por ele.Reparei que ele adora mandar no mundo, mas não conseguiu um cargo de relevância por total falta de capacidade e também por falta de chances. Se a gente casa com um presidente vira primeira-dama, mas marido de presidenta é um zero à esquerda. Dá dó.Imaginei a vida solitária daquele homem em casa, nós podemos ser do lar e ficar horas na net, ele coitado, passa por desempregado coçando o saco. Até nisso levamos vantagem, não temos o tal pra coçar. Acho que fiz bem em ser benevolente com ele, por desconhecer totalmente os traumas que ele já viveu. Algumas certezas e privilégios apenas nós temos.Que o filho é nosso sem precisar fazer DNA, de ficar cheia de tesão sem dar bandeira e não ter nenhuma na hora H sem precisar justificar.

Nossa broxada é invisível!

Pois é amiguinha, fui tolerante sim, apesar dele me ter posto de saia justa em público.Imaginei na hora uma de couro preto do Frank & Amaury. Chiquérrima!

Se quiser te empresto um dia. Bota com aquele seu top de camurça verdinho!

Ele também disse que eu tenho excessos de altos e baixos. Meu marido concordou. Meus altos são da Arezzo (está em liquidação), os baixos eu compro na feirinha Hype da Gávea. Baratíssimos!!!! Por isso que tenho mais baixos.

No mais lindona ainda temos outras vantagens, como poder dizer que nos amamos, andarmos de mãos dadas na rua, sem passarmos por sapata (to fixada em pisante hoje). Ontem era em cabelo. Vou fazer chapinha amanhã, que você acha?A Martha Medeiros fez e ainda é cronista, isso me dá uma certa esperança. Quem sabe se não era isso que me faltava pra deslanchar nas letras? Falei em lanche me deu fome. Termino aqui, pois vou comer uma barra de cereal diet, saiu uma nova de morango com zero de calorias. Agora falei em zero, lembrei que ele vai me zerar. Juro que não vou chorar. Compro um lingerie pra compensar.Vazia por vazia fica a conta do meu marido!


Em tempo: Se ele tivesse lirismo seria lindo. Era eleito Cachito mio! Mas é só crítico. Será que quebrou espelho, gato preto passou na frente dele ou ele passou debaixo de escada? Ó azar! Não é poeta e é feio de dar dó e acha que é mais belo que Camões, pois tem os dois olhos. Mal sabe ele que o L V C, autor de Lusíadas via, escrevia pra lá de lindo. Acho que ele tem a maior  inveja do classudo do Camões. Quem escreveu no classicismo é clasudo  ou classudo com dois s? Vou perguntar pra minha amiga Adelaide e te falo depois no celular. Deixa ele ligado e vê se aprende a falar mais baixo nele. Gentinha é que grita em celular.

 
 Vou nessa, pois vou trocar o toque do meu pra funk por elise ta?

Uma beijoca e inté!
Rosa
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 13/04/2005
Reeditado em 21/10/2008
Código do texto: T11087
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Rosa Pena
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
960 textos (1419143 leituras)
48 áudios (24767 audições)
33 e-livros (29020 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:19)
Rosa Pena

Site do Escritor