Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Querida amiga,
          Não sei se escrevo pra você ou pra mim mesma. Entendo sua tristeza imensa e sua confusão total. Entendo que você não consiga entender absolutamente nada na cabeça do homem que te parecia tão certo, determinado e confiante no amor que ele acreditava sentir por você e que agora se enche de dúvidas e confusões e diz que precisa de um tempo pra pensar e pôr as idéias em ordem, lembrando inclusive que quando você quis ter seu tempo ele respeitou. Relativamente, é claro. Porque, tal como você está tentando fazer agora, buscando o tempo sim, mas não o afastamento total para que as coisas não esmoreçam de vez, ele está devolvendo na mesma moeda e quem sabe, com alguns juros.
          Posso entender sua dificuldade em entender. Mas não há nada há fazer. Esperar? Sentada, sem nenhum movimento, sem nenhuma reação? Sei que não é fácil. Mas não precisa ser assim. De certa forma, ele está te fazendo um favor. Está mostrando de maneira clara que ele não era exatamente o que parecia ser. Que a concepção de amor dele é bastante centrada em si próprio,apesar de jogar pra você a responsabilidade de querer ser o centro de tudo, sem entender suas dificuldades. Além do que, passa de ser comum, é prática usual masculina took the love for granted.
          Como você mesma disse, não dá pra ficar vendo a vida passar. A vida é play e não stop. Saia do caminho. Você é grande, muito maior do que pensa. Desinteressante? Só se for pra ele. Há mais coisas entre o céu e a terra do que ser cult e articulada. Homens costumam se deslumbrar com mulheres muito cult e articuladas e, é lógico, a convivência diária traz aquelas coisas da rotina que não são nem cult nem articuladas. Você acreditou que podia ter nele o grande companheiro. Pode ter exagerado na dose. Mostrar-se demais, expor-se demais é só pra quem tem culhão pra aguentar.
          Tira a bunda da cadeira, a cara do travesseiro (que pode até ser um bom conselheiro,mas nem sempre) e vá a luta. Muitas pessoas não acham você assim, desinteressante, aliás, bem ao contrário. Muitas companhias, embora você prefira a dele, podem ser bem mais úteis e light neste momento.
          Ele deve ter neste momento,muitos ratos  nos porões dos quais nunca se deu conta e o alvo mais fácil é você, que está mais perto. Sem falar nos inúmeros macaquinhos no sótão. Deixe que ele cuide do zoológico dele e vá viver. Lembre-se : a vida é PLAY  e não STOP.
com carinho,
d
Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 18/03/2006
Código do texto: T124948

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154028 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 18:15)
Débora Denadai

Site do Escritor