Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta do coração

                   
                 Carta do Coração
Não sei o que você espera dessa carta, pode ser que nem leia; não a culpo se fizer isso; eu espero tudo e ao mesmo tempo não espero nada. Tudo por que se a ler ficarás sabendo o quanto tua presença faz bem pra mim e quem sabe assim me dê a chance de me aproximar mais de você. Nada por que o fato de eu estar escrevendo essas linhas já significa uma enorme diferença na minha vida.
Antes de você eu estava sentado na beira do caminho, da grande estrada da vida; e lá permaneci por muito tempo desiludido e sem alegria. Havia o vento, mas ele não refrescava meu rosto, ouvia os pássaros, no entanto o gorjeio deles não passava de um som em meus ouvidos, o sol brilhava forte e mesmo assim eu sentia frio, haviam várias pessoas e mesmo assim eu estava só. As noites eram melancólicas e quando olhava as estrelas  via o quanto estava distante de mim meu coração, tão longe e pouco palpitante  que as vezes nem o sentia em meu peito. Assim eu vivia dia após dia.
Um dia tudo isso mudou, uma brisa suave soprou em meu rosto e trouxe uma fragância agradável e totalmente desconhecida para mim e de repente me vi olhando a estrada tentando descobrir o que seria esse novo cheiro, mas nada vi que fosse novo. Continuei sentado, mas aquele cheiro cheiro gostoso  e suave não passava e na verdade se tornava mais forte e foi então que ouvi; ouvi o som dos pássaros cantando com suas vozes lindas enchendo o ar de alegria e mesmo eu sabendo que todos os dias já ouvira aquelas vozes, não conseguia mais ignorá-las, eu as ouvira antes, mas só naquele momento passei a sentí-las e conhecê-las, pois junto com elas estava amalgamado o som de tua voz e era um som tão meigo  e cheio de carinho que meu ouvido já tão saturado de ouvir as mazelas da vida não podia ignorar a mensagem de felicidade que acompanhava sua voz. E então me levantei e tentei ver mais ao longe querendo encontrar a dona da voz e novamente só vi os mesmos rostos frios e preocupados com as frivolidades da vida, sentei-me de novo, porém mais perto da estrada. Agora a adorável fragância e o som daquela voz embalavam-me e me vi sentindo vontade de cantar e percebi que estava sorrindo e quase sai pulando de alegria gritando com todos para que parassem e tentassem sentir o mesmo que eu estava sentindo; mesmo que naquele momento eu não soubesse o que era; mas me contive, pois a situação era nova para mim e certamente pareceria ridícula aos olhos das outras pessoas contudo, levantei e fiquei de pé olhando a estrada.
O tempo foi passsando, segundos pareciam minutos e minutos lavavam horas pra passar e as horas se arrastavam com se fossem as flores que crescem sem pressa no campo. E nunca antes eu havia sentido a presença do tempo como naquele momento e foi então que percebi o quanto havia desperdiçado de minha vida ficando ali parado, porém não me movi, pois sentia que naquele momento devia ficar esperando.
O crepúsculo chegou, com ele as estrelas raiaram no céu. Contudo, não senti rancor em olhar para elas, meu coração batia forte em meu peito e sentia que mesmo  estando tão longe eu poderia alcançá-las e me envolver no seu brilho. Baixei os olhos para a estrada e percebi uma luz, um fulgor que se destacava entre as luzes que todas as noites da minha vida eu sempre vi, esse brilho; que mesmo sendo tão forte não machucava meus olhos e me atraia para si; foi crescendo  tanto e envolvendo tudo que parecia querer se transformar num novo sol. Um sol que irradiava um calor novo e humano, calor que aquecia corações e atingia o âmago da alma transformando temor em coragem, desilusão em esperança, rancor em carinho, dor em prazer, lágrimas em riso, tristeza em felicidade e ódio em amor. Esse novo sol surgiu para mim no meu céu naquele momento e a luz que irradiava dele me atingiu plenamente eliminando toda escuridão que havia dominado meu ser e foi nesse momento que meus olhos realmente se abriram e pude ver teu rosto lindo e tive certeza de que nunca mais eu estaria sozinho ou permaneceria parado e inacessível as coisas belas da vida, pois eu sai da beira do caminho.
Você veio até mim e seu olhar foi um abraço carinhoso me envolvendo me fazendo sentir a vida. Tua voz era um encanto de amor e liberdade quebrando as correntes da amargura que me prendiam. Naquele momento me tornei um novo ser, cheio de alegria e desejoso de conhecer o verdadeiro amor.
Por isso estou lhe escrevendo, sei com toda as forças de meu coração que você é tudo o que preciso na vida, se eu estiver contigo nunca mais saberei o que é ser triste e sequirei meu caminho pela longa estrada da vida e cada passo meu será dado te amando minha querida.
 
 
Petrus Stone
Enviado por Petrus Stone em 30/03/2006
Reeditado em 15/03/2016
Código do texto: T131134
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Petrus Stone
Belém - Pará - Brasil, 39 anos
92 textos (12294 leituras)
1 e-livros (26 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 18:03)
Petrus Stone