Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ao Querido Pai

Aqui vai indo. Por luzes, por meia-lua. Mas há sempre orvalho à noite e meadosde sol durante o dia.

Escurece cedo.

As árvores de nosso bosque, parecem se encolher com a proximidade do inverno.Tal como você gostava. Elas estremecem e chiam quietas e soturnas, mas parecemsuperar tudo ao amanhecer, quando despontam em copas coloridadas e com seuseio margeado de pássaros simbilantes, que azulam nossas janelas com seu ir evir, rebatendo seus penachos nos vitrais.

A gente dorme de seu jeito: comum e embriagado, com o mundo, ou uma parte davida, que acabou de acontecer.

Cumprimos nosso dia, nossa faina, nos morosos e, às vezes, entediantes deveres,mas cumprimos e amamos, pois aprendemos com você que tudo o que se faz com amor- frutos deles despontarão em nosso corpo, igual à fadas encantadas que nosharmonizam com suas varas mágicas e coloridas.

Assim, segue a vida. Purpurina, azulada, e, por vezes, até caótica, pois nossasidades se confundem, pois crescer é um ato de tanta intensidade que, às vezes,nos perdemos nele, e sabemos que também estamos perdendo parte do tempo, que,pouco a pouco, nos leva a algum lugar.

Depois das tarefas do dia, reunimo-nos na velha sala de jantar. E nela, emsilêncio, nos damos as mãos e, juntos, rezamos:para que sua paz eterna sejanossa inspiração para um novo dia de aventuras que o mundo nos abraça.

Com sua inspiracão de vida, temos certeza de cumprir a missão a nos confiada.

E, depois, em lágrimas fortes, rezamos por você.

Que no céu, ou onde Deus nos reservou um lugar para nosso espírito, nosencontremos um dia e sejamos, de novo, a família mais feliz do mundo, tudoreflexo de um pai maravilhoso e terno.

Um beijo de todos. Sua morte revitaliza nosso pão, e nos açoda celestiais, paraum novo dia que deve seguir.

Perdemos você, nosso pai, mas a herança de amor que nos deixou, ultrapassarazões e limites. E já não somos sombras: somos imagens reais do que você era.

Tudo isso gerado por você. Com sua graça espiritual espalhou em nosso corações,a semeadura de um novo tempo. Tempo que é obrigado a seguir em frente.

Gente simples, como nós, que entendemos cedo, o que é o verdadeiro amor e apaixão de um homem pelos seus filhos, sua mulher, mulher de seus filhos.

E, por fim, todo um beijo, de sua mulher, a mulher de seus filhos.

Que de eterno sejamos.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 12/04/2006
Código do texto: T137747
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26780 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:16)
José Kappel