Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ir manando textos...

1) ALÍNEA COR_RESPONDENTE

Já ouviste dizer «tudo tem solução, menos a morte», o fim não tem solução mas, matematicamente falando: é uma resolução.
Eu sentei-me com uma frase na cabeça "Apetece-me apaixonar e deixar que o dia comece agora de tarde", uma frase boa, estava eu a pensar. Boa para pôr na cabeça dum hipopótamo, por hipótese, depois de comer, satisfeito da vida.
Depois li o teu email, segui uma "linha de raciocínio"... Fiz o micro-conto para amanhã!
 
Quem escreve desdobra-se noutro, não porque seja ou se veja um outro, porque há sempre um outro fim para o texto. Outrar-se, o verbo "outrar" aplica-se ao Verbo, num verbo. Desenvolver esta ideia, dá para uma vida inteira! Haja heterónimos, pseudónimos, ortónimos e até anónimos que a queiram pensar eu deixo-a a pastar. Quando me apetecer chamo-lhe: minha vaca, amor da minha vida, puta, queres dar leite?... Logo se vê o efeito... coice, adultério, qualquer outro sacrilégio: o teatro é sempre... o mistério da representação! O bom da coisa... é que o Teatro é como o Carnaval, levado a sério: ninguém leva a mal! Abraços!!

2) *BEIJO

Leio teus versos, confesso
ficar intrigado e seduzido...
Intrigado como quando leio
a bela intriga dum romance
e seduzido... como quando
escrevo a poesia nu poema
 
Dispo-me em palavras para
fazer a resposta aos versos
com os quais chegas vindo
para me deixar sentir viver
a tua presença no momento
 
Tento pois despir no tempo
os dizeres como se formam
da fala ganhando a língua
com os lábios tendo a boca
 
Para dizer um beijo intacto
capaz do tacto numa ciência
onde a imaginação realiza
 
A sensação a devorar fome
dum prazer que nos consome
 
Mas... o final: poema-beijo:*

3) ACA/BAR ou POEMA DO NUNCA

Acho que sei uns versos
dos quais mais ninguém
ainda sabe, até ler...

que começam aqui
e hão acabar...

nunca

(apontei escrevendo de pé...)
[o Assim esqueceu assinar...]

{Notas: unem e irmanam os três textos.
(entre o já e o agora: na hora)
(no logo e aqui: mesmo a seguir)
(de pé: antes de me pôr a andar...)
(ir manando textos... todos de ontem!)
Queridas(os) amigas(os) do Recanto... e arredores, se comentarem não se importam de me dizer em qual das alíneas tiveram mais prazer? Qualquer coisa do género: eu noto, voto, boto, go(s)to... nº). Este detentor da escrivaninha 656, fica penhorado, agradecido, encantado! Mais não digo: tudo isto é vida, tudo isto é fado...
Abraços Recantuais!!}
Francisco Coimbra
Enviado por Francisco Coimbra em 18/05/2006
Reeditado em 18/05/2006
Código do texto: T158199
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Coimbra
Portugal
785 textos (310483 leituras)
37 áudios (39565 audições)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 18:20)
Francisco Coimbra