Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CARTA SOBRE O CASAMENTO




Prezados ...
Queridas Pessoas,

Sempre é motivo de alegria sabermos que um casal de namorados, de noivos vão se unir no casamento!
Desejo que vocês sejam felizes! A felicidade na vida a dois é um bem a ser preservado, a ser cuidado com carinho, com amor, com delicadeza. Duas pessoas, duas cabeças, duas sentenças tão próximas uma da outra no dia a dia pode ser até mais fácil de cuidar. Como exemplo cito o que eu chamo de “terreno pra plantar grama e florzinhas”. Cair no chão duro é difícil, a queda dói. Quando caímos num terreno gramado e perfumado pelas florzinhas, o machucado é muito menor.
O "terreno da grama e das florzinhas" é construído por um bate-papo à noite, de mãos dadas olhando o céu estrelado; uma saída só pra tomar um sorvetinho na padaria perto de casa; um encontro pra almoçarem juntos e olhando um nos olhos do outro; uma parada num barzinho pra tomar um refri e colocar a conversa em dia; um “perái que vou com você te ajudar no serviço de casa”. Muitas são as ações que se transformam em florzinhas plantadas e em gramado cultivado.
A mais importante das ações entre o casal é o diálogo. Não aquele diálogo que contamos o que fizemos ou deixamos de fazer durante o dia mas o diálogo dos sentimentos pessoais, dos sentimentos que unem o casal. Este é o verdadeiro diálogo que importa no casamento: os sentimentos de um diante do outro.
Eu diria que o casamento é como uma mesa de quatro pés, onde um pé é o diálogo dos sentimentos entre um homem e uma mulher. Os outros dois pés se dividem entre respeito, companheirismo, confiança mútua, sinceridade, amor, carinho, tantos mais quantos vocês se lembrarem. O último pé da mesa é como vocês dois juntos equilibram estes três pés. Quando os quatro pés fazem cada um a sua parte, a mesa estará equilibrada e sustentará tudo o que for colocado em cima dela.
Mais um exemplo sobre casamento, comparando com o que nos rodeia: vejo que o casamento é como um pé de jabuticaba. Depois de plantado temos que aguar, adubar, cuidar durante anos mesmo! O tempo passa e nada de jabuticaba! Já descrentes do plantio, depois de anos e anos de cuidados sem resultados, começa a colheita! Farta colheita, durante anos e anos. Mais anos de colheita do que anos de cuidados no plantio.
Para finalizar quero lembrar a vocês que as pessoas se aposentam do seu trabalho depois de uma longa jornada mas de família ninguém se aposenta. Portanto, cuidem dela!
Depois de viver, de pensar, de repensar, de buscar exemplos no meu dia a dia penso que estes são o caminho para uma feliz vida a dois!
Sejam felizes!
Deseja
Isabel Chaves Resende
Enviado por Isabel Chaves Resende em 17/01/2010
Reeditado em 04/10/2012
Código do texto: T2035059
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar a autoria "Isabel Chaves Resende" e o site http://recantodasletras.uol.com.br/autor_textos.php?id=66137). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Isabel Chaves Resende
Cataguases - Minas Gerais - Brasil
126 textos (16113 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/10/14 03:33)



Rádio Poética