Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UMA CARTA SOBRE POESIA

SÃO PAULO, 12 DE JULHO DE 2006


AMIGA CAROL:


POSSO TER SIDO INFELIZ  EM MINHA EXPRESSÃO "ENCHER LINGÜIÇA", PORÉM,  NA INTERNET SEMPRE EXISTIU PESSOAS QUE USAM O MEIO PARA OUTRAS FINALIDADES: - OUTRO DIA APARECEU-ME UMA PESSOA DIZENDO QUE IRIA PROCESSAR-ME PORQUE HAVIA DITO A ELA QUE SUA POESIA ESTAVA COM UM ERRO DE ORTOGRAFIA: CHAMOU-ME DE ATEU INSENSÍVEL; OUTRO MANDOU EU E O MEU FUTURO FILHO IREM À MERDA E QUE NÃO ERA PROBLEMA DELE O FATOR "CONTROLE DE NATALIDADE". - ENVIAM LINKS COM SPYWARES; CLONAM PERFIS, ENFIM, O MEU ULTIMATO EXPRESSIVO FOI PARA AFASTAR OS TAIS.
ADOREI QUE FIZESTE, MESMO QUE SUPERFICIAL (ACHO VÁLIDA SIM, APOSTOU CERTO) UMA PRÉVIA LEITURA DO QUE ESCREVI. - NÃO! NÃO EXISTE UM "NÃO" A MAIS EM MEU POEMA QUE ESCOLHERA. ESTÁ DA MANEIRA QUE O PENSEI E O CRIEI.
O INCRÍVEL NA POESIA É QUE ENXERGAMOS E ENTENDEMOS TUDO OU NADA, DEPENDENDO DE NOSSA VISÃO, INSTRUÇÃO E SENSIBILIDADE. VOCÊ, EM MEU PONTO DE VISTA, ESTOURA UMA TÉCNICA QUE ACHO QUE NEM MESMO ENTENDE, POR OUTRO LADO, HÁ UMA SENSIBILIDADE NEUTRA... – COMO SE FOSSE UM TRABALHO SEU E  NÃO TIVESSE QUE COLOCAR OS SENTIMENTOS NA FRENTE... ACHO ISSO! – MAS ENTRE TODOS OS QUE ME ESCREVERAM, FOI A ÚNICA QUE DISSE ALGO DE INTERESSANTE, MESMO QUE COM TODA ESSA TÉCNICA (QUE INSISTO EM DIZER QUE NÃO ENTENDE AO TODO, MUITO MENOS EU) E TALENTO!
VOCÊ TAMBÉM PODE SER UMA FARSA, EU POSSO  SER OUTRA! – MAS O QUE REALMENTE INTERESSA NISSO? – SINCERAMENTE, NÃO SEI! SEI QUE GOSTEI E SIMPATIZEI-ME CONTIGO E PEÇO: LEIA OUTRA VEZ OS MEUS VERSOS E ME DIGA, COM TODO O SEU TOM TÉCNICO-POÉTICO: QUAL É O LIMITE DA TÉCNICA E O COMEÇO DE UM VERSO ESCRITO  POR UM ANALFABETO QUE APRENDEU A GRAFAR SUAS PRIMEIRAS PALAVRAS EM UMA FOLHA? - A POESIA NÃO É A QUE ESTÁ ESCRITA, E SIM AS OCASIÕES DESCRITAS DE TODAS AS FORMAS; E DIGO: O IMPORTANTE EM UM POEMA NÃO SÃO TONS, MEIOS, ÉPOCAS, MÉTRICAS, LIBERDADE,  E SIM, A “SINCERIDA-EMOTIVA” CONTIDA NA OCASIÃO E NA CAUSA POSTA EM VERSOS... – NÃO ACREDITO EM POESIA!  - ACREDITO NA ARTE E NA EXPRESSÃO SENTIMENTADA QUE ELA CAUSA NO INDIVÍDUO; AGORA PARA ENTENDÊ-LA E CATALOGÁ-LA, ISSO DEIXAMOS PARA OS CRÍTICOS QUE ESTUDAM E CRIAM SUAS TESES . EU FICO COM O ANALFABETO.



CORDIALMENTE,

DE QUEM TE ADMIRA,


DOUGLAS GOMES CREMASCO.





DOUGLAS GOMES CREMASCO
Enviado por DOUGLAS GOMES CREMASCO em 10/08/2006
Código do texto: T213611
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DOUGLAS GOMES CREMASCO
São Paulo - São Paulo - Brasil, 35 anos
66 textos (2151 leituras)
5 áudios (212 audições)
2 e-livros (95 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 08:55)
DOUGLAS GOMES CREMASCO