Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Segredos de um coração

Já não é mais aquele a quem jurei amor eterno, a quem naquela tarde fui apresentada na empresa onde o conheci... Me ensinaste tudo o que deveria realizar na minha profissão, e muito mais, pois acabamos nos casando...Lembra? Mas não estou reclamando, porque também não sou a mesma... Já não trago comigo os sonhos, as ilusões, porque cresci neste espaço de tempo e os doces planos foram se perdendo... E segurá-los por uma vida inteira, não é fácil, sabe?
Porém, o seu sorriso é o mesmo, seus olhos continuam com o mesmo brilho até mesmo quando chega em casa cansado do trabalho. Seus cabelos ficaram mais claros, mas não demonstram marca do tempo e nem calvície... Somente sua barba ficou um pouco grisalha provando que o tempo passou pra você também... Mas, quer saber? Muito sensual...Sei que sou suspeita para falar, ainda te amo como no primeiro dia, ou até mais...
Temos um coração que parece bater uníssono, e, não ficamos feridos por muito tempo quando algumas vezes nos desentendemos... Cá pra nós, seria monótono demais se não houvesse as divergências, porque é uma delícia fazer as pazes com você. Me leva aos céus e desce aos infernos ao mesmo tempo quando nos amamos...
Nosso coração é nobre demais para se preocupar com coisas pobres, sem relevância... Temos a certeza de que não há desamor, e, como se pode ver, até nos contos de fadas existem atropelos...
Valorizamos o riso, o chôro, o hoje sofrido, o amanhã exultante. Aprendemos que a renúncia, as noites mal dormidas, não foram em vão. Nossa consciência está tranqüila, pois tentamos criar nossas filhas dentro dos padrões morais, ensinado-lhes que o amor é o melhor sentimento que podemos partilhar com alguém.
Sempre usamos o benefício da dúvida, não decidimos por elas, lhes damos oportunidades para que possam escolher e seguir seus caminhos e escreverem sua própria história.
Entendemos que mesmo amando-as, não podemos cerceá-las, temos que deixá-las alçar vôos e aceitar nossa limitação. Quando capengamos nessas resoluções que nos assalta pelo medo de perdê-las, carregamos o que dá e deixamos de lado o que não dá...Sabemos que não vale a pena relutar...
A vida é um palco e nela traçamos nosso caminho... É um eterno acertar, sem embaçar a cena um do outro. Segundo plano, não, dividimos em atos. É possível que algumas vezes sem percebermos nos anulamos... E, o peso da humanidade paira sobre nossos ombros...
São tantos segredos que o coração não diz...
Respeito suas decisões, é sábio, profundo... Deixa transparecer apenas as emoções do amor que produz, das verdades que sobrevivam para desfrutarmos da alegria e das cores matizadas pela natureza que correspondem e alimentam a chama, a harmonia, o afeto que nos une até o momento... Temos a certeza de que nenhum de nós está sózinho, mas envolvidos um no outro de tal maneira, como um nó apertado pela igualdade, idealismo, e principalmente pela cumplicidade comum entre o homem e a muher.
Não somos perfeitos. Mas o amor nos uniu assim: coração, cabeça e corpo...E isto é sentirmos amados, ou então, cabeçudos...
bette vittorino
Enviado por bette vittorino em 13/08/2006
Reeditado em 06/08/2015
Código do texto: T215185
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
bette vittorino
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil, 62 anos
278 textos (30183 leituras)
1 áudios (15 audições)
4 e-livros (250 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 02:36)
bette vittorino