Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CARTA PARA MARILENE

           Goiânia-GO, 26 de agosto de 2006
            Querida irmã Marilene Azeredo

São exatamente 01:00 hora da madrugada. Você já deve ter ouvido falar que os poetas não dormem, apenas dão um tempo. Eu estava com o meu texto de resposta prontinho, e de repente, perdi tudo. Acho que deu um pique de energia... O jeito é começar de novo. Bom, que devo dizer? Já sei, este negócio de escrever poesias surgiu em mim após a realização do Encontro de Casais com o Cristo. Foi um momento muito significativo e de elevado teor espiritual. Houve em mim uma grande transformação no tocante aos sentimentos e a minha sensibilidade  poética aflorou num passe de mágica. Assim sendo, comecei a escrever sob inspiração, (acho que de Deus) e de uma maneira indireta a ajudar as pessoas com os meus textos. Isso começou no ano de 1982. Devo informar que já mandei para a Priscila, via Internet a poesia O Encontro. Em certa ocasião o padre da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, Padre Felix, me disse que estava evangelizando através da poesia. Para falar a verdade, eu não me considero um poeta, eu apenas escrevo os meus sentimentos em forma de versos, e as pessoas pensam que estou escrevendo poesias. Já participei de diversos concursos de poesia no Brasil e no exterior e acabei ganhando o título de Acadêmico da Academia Internacional de Letras e o título de doutor honoris-causa,. dessa mesma academia.   Isto quer dizer o seguinte: doutor pela causa da poesia. Entendeu? Participando de um concurso em Portugal, acabei recebendo o título de Acadêmico Benemérito do Centro Cultural Literário e Artístico de Gazeta de Felgueiras – Portugal. Sou também, membro da União Brasileira de Escritores – Seção de Goiás e membro da Associação Cultural Lavourartes, sediada em Goiânia-GO. Você já viu que esse seu irmão não é pouca porcaria... Bom, porque estou falando tudo isso? Por vaidade? Não, por necessidade de dizer para os meus familiares quem sou e para que vim. Esse pessoal da família Azeredo é bastante esforçado e consegue alcançar os seus objetivos. Estou vendo o exemplo dos meus sobrinhos, eles com certeza alcançarão todos os objetivos traçados. Eu ainda não publiquei nenhum livro de poesias, e é possível que eu venha publicar um livro virtual pelo Recanto das Letras. A bem da verdade, participei de quatro Antologias de Poetas Brasileiros, publicadas pelo Grupo Brasília de Comunicação. Você pode, e deve se cadastrar no Recanto. Não paga nada e você terá livre acesso aos trabalhos nele publicados, poderá fazer comentários que não sejam depreciativos, e até mesmo, publicar textos de sua autoria. Escrever prosa poética, por exemplo, é muito fácil. Ela é um texto comum, com ou sem rimas, e não é necessário separar por estrófes. Será que estou falando grego? Não se preocupe, você encontrará textos explicativos a respeito da matéria que deseja publicar.  É uma pena, que eu tenha perdido o texto que escrevi anteriormente. Estou tentando lembrar... Quando os casais se separam, surgem na vida dos filhos problemas  de diversas ordens, e eles, acabam sendo vítimas de uma situação desagradável e até mesmo constrangedora. Você viu o que aconteceu conosco.

 É comum ouvirmos dizer, que nada acontece por acaso, e que Deus, tem propósitos maiores para as nossas vidas. Gostaria que você e os nossos familiares, refletissem um pouco sobre essas coisas. Gostaria de dizer também, que senti muita falta da presença do nosso pai na minha vida.  O que fazer? O destino nos separou, e ele acabou constituindo uma nova família. Não existe em mim, nenhuma mágoa ou ressentimento por essa coisas terem acontecido. Como a Elvira sempre diz, as pessoas fazem as suas escolhas ... e naturalmente assumem a responsabilidade dos seus atos. Os filhos, neste caso, nada podem fazer. Chega de falar de coisas tristes.
Você perguntou a idade do Jorge Renato. Ele nasceu no dia 22 de novembro de 1962 e o Marcelo, no dia 17 de dezembro de 1963. Quando a Elvira casou comigo, ela tinha apenas 16 anos de idade e cursava o 3o. ano de curso ginasial. Depois de casada eu a incentivei a fazer o Curso de Pedagogia e Administração Escolar. Ela fez também, vários cursos de extensão, de Especialização para o Ensino Especial e Docência do Ensino Superior.
Acho que já chega de escrever por hoje. Bom dia para todos.
Seu irmão Jorge Gil.

Jorge Gil
Enviado por Jorge Gil em 16/09/2006
Reeditado em 13/04/2007
Código do texto: T241374

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o lin para a obra total.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Gil
Goiânia - Goiás - Brasil, 79 anos
867 textos (45732 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 14:44)
Jorge Gil