Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PARA TODOS OS RECANTISTAS

     BRASÍLIA, 18 DE SETEMBRO DE 2006

     AMIGOS RECANTISTAS,

     Está acontecendo uma coisa com algumas pessoas, não sei se é só aqui em Brasília, mas o mal se espalha rápido e deve até ter vindo já de outros grandes centros.

     Meu cunhado recebeu um telefonema, a cobrar, no sábado dizendo que era da polícia e que havia acontecido um acidente envolvendo quatro carros e que foi horrível, que tinha gente morta, muitas gravemente feridas e que uma pessoa pediu para ligar naquele número para falar com alguém e perguntaram: "Com quem mesmo estou falando?" Diante da situação e da pressão, meu cunhado não pensou e deu o nome e a pessoa do outro lado da linha: "É é o senhor mesmo que a pessoa disse." O senhor tem um filho? Como o meu cunhado tem um filho e tinha saído de carro para ir à fazenda, disse: "Sim, o que houve com meu filho?" e do outro lado: "Olha, seu filho não está muito ferido, os para-médicos o estão atendendo, fique calmo." Depois que meu cunhado tinha dado o tipo do carro, a placa e o celular dele e do meu sobrinho e outros dados, eles disseram que eram de um crime organizado de São Paulo e que tinham vindo a Brasília para seqüestrar um filho de um deputado e como a ação não deu certo, então pegaram o filho dele  para não ficarem no prejuizo e que estavam com o filho dele e se não desse cinco mil reais, que eles iam enterrar o filho dele vivo ou fazer coisa pior, mas se ele pagasse o resgate que eles não iam fazer nada disso. Meu cunhado, apavorado disse que não tinha os cinco mil reais e foi negociando até chegar a quinhentos reais. Depois da negociação, meu cunhado pediu para falar com sua filha, porque ela que ia dar o dinheiro. Nesse meio tempo, eles conseguiram ligar para um delegado que é da família e ele falou que era golpe. Conseguiram ligar para a fazenda e o rapaz estava lá são e salvo.

     Com a graça de Deus, meu cunhado conseguiu sair sem pagar nada, mas muita gente aqui em Brasília já caiu. Eles mandam por créditos em celulares.

     Logo depois, ligaram para o rapaz dizendo a mesma coisa, já com todos os dados, telefone fixo, celular, nome, mas aí ele já estava sabendo e deu um fora neles.

     Tiveram que trocar os celulares, pois deram os números para os bandidos.

     Meu cunhado comentando comigo, dizendo que se julgava esperto, cair numa dessa, então eu disse pra ele que é humanamente impossível uma pessoa achar que é trote, porque eles começam dizendo que são da polícia e que aconteceu um acidente envolvendo vários carros. Acho que não há quem caia. Eles tiveram sorte por ter um delegado na família e conseguiram ligar para ele a tempo.

     No mundo de hoje, onde vivemos com medo de tudo e de todos é muito fácil cair em tal armadilha, mas fiquem atentos, não vão dando dados sem primeiro certificar do ocorrido, em que local. Diz que em vez de falar pelo telefone já está se deslocando para o local, etc.

     Que ninguém seja vítima de tal pressão psicológica porque mais do que a física, estraga qualquer um.

     Um abraço para todos.

     Maria Lúcia.
Maria Lúcia Flores do Espírito Santo Meireles
Enviado por Maria Lúcia Flores do Espírito Santo Meireles em 18/09/2006
Código do texto: T243408
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Lúcia Flores do Espírito Santo Meireles
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 58 anos
152 textos (4027 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:28)