Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A coisa dá brava.

Caro leitor,

O amigo pode achar que á gozação, mas a coisa é séria. A situação tá preta. Tão preta que nem mesmo uma lâmpada de 100 Watts  tá dando conta. Ainda mais com os preços subindo e nosso dinheiro acabando antes do meio do mês. Antes o dinheiro ia até a última semana antes do pagamento. Agora o dinheiro se esvai todo e nosso último amigo é o crédito. Pena que não dá para parcelar conta de energia. Que por sinal é cotada, em seus reajustes, em Dólar!

Fantástico isso não? Ganhamos em Reais e nossas contas são reajustadas com base no Dólar! Nosso querido Fernando Henrique nos deixou tal herança. Mas voltando à escuridão que nosso país se encontra, já temo que daqui a algum tempo nossos ônibus, nosso gás e nossos pães estejam sendo reajustados com o Dólar.

Pelo menos a gente pode pensar de modo positivo! Nossas contas poderiam estar sendo reajustadas em Libras Esterlinas. Ia ser um caos maior. Os ingleses são muito mais metidos e iriam exigir trajes mais formais nos locais de trabalho, pois sua moeda não poderia ficar nos reajustes sem honrarias formais.

O principal problema seria, com certeza, o tradicional pontualismo inglês. Com o nosso sistema de transporte a coisa iria ficar séria em pouco tempo. Já que como vivemos atualmente por aqui as coisas não iam dar certo. É engarrafamento para todos os lados. E em pouco tempo as Libras Esterlinas estariam indo embora, exportadas para algum outro país que seja mais pontual.

Mas não é por que a coisa poderia estar pior que vamos nos acomodar. Esse reajuste é injusto com o povo brasileiro que ganha em Reais. Vamos lutar pela privatização do Banco Central. Aí ele passaria a emitir, como se fosse uma filial, Dólares e nossos pagamentos se dariam na moeda de nossos reajustes. O problema seria se o Dólar iria continuar se chamando Dólar ou algo condizente com a filial Brasil de distribuição da moeda internacional. Bólar? Talvez seria bom! Já que lembra bola e o futebol é o esporte brasileiro. Do lar! Lembrando as nossas queridas senhoras que passam a vida cuidado das casas. Ou algo totalmente novo, revolucionário, algo como Scravo. Imagina chegando lá na venda para comprar um tomate e perguntando “Quanto tá o tomate?”, respondendo “São 2 Scravos por quilo.”. E lá se iam mais dois Scravos para pagar pelos tomates.

Isso é ridículo! Reajustar minha conta de luz com a cotação do Dólar! Onde já se viu isso?

Disseram que uma senhora de idade, que mora em Curitiba, ao tomar conhecimento de tal alarmante dado de nossa vida se revoltou e mandou um carta para os EUA, endereçada ao congresso dizendo para deixar o Dólar mais manso porque sua conta veio que não podia pagar. E o pior é que não tinha aumentado o consumo. Desde então ela tem raiva do tal do Dólar. Mas falou que se alguém quiser mandar um bolinho de notas de 100 Dólares pra casa dela ela reavalia suas opiniões.

A vida tá dura minha gente! Agora que o Papa morreu a coisa tá ao Deus-dará. Ninguém sabe o que fazer, a quem pedir perdão, como vai ser o próximo Papa, enfim, a Igreja Católica sentiu a perda. O bom é que, como aqui não acontece, o número de peregrinos para ver o Papa no papa-caixão aumentou enormemente o número de Dólares no Vaticano. Eles disseram até que vão pensar em prolongar mais um pouco os festejos fúnebres, para ver se conseguem mais alguns.

Assim como as coisas andam, acho que seria bom a gente começar a recolocar dólares debaixo do colchão. Daqui a pouco o tomate vai ser cobrado em Dólar, e sabe-se lá quantos escravos teremos que sacrificar para comer. É minha gente! Tá brava a coisa.
leandroDiniz
Enviado por leandroDiniz em 02/07/2005
Código do texto: T30337
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
leandroDiniz
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 34 anos
260 textos (273036 leituras)
3 e-livros (430 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 14:35)
leandroDiniz