CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Lavras, agosto de 2011
 
Querida amiga  MN
 
 
Eu estava aqui pensando em você e como eu gostaria de estar ao seu lado amanhã, que é o seu aniversário, para dar-lhe um abraço bem forte, um abraço que não deixasse nenhuma dúvida sobre o quanto é importante para mim a sua amizade. Afinal foi você quem me ajudou a aprender o valor do abraço. Lembra-se de como eu ficava rígida quando tinha que abraçar alguém, como se colocasse um escudo a minha frente para afastar de mim quem queria abraçar-me? Mas não foi só isso que você ensinou-me, não foi só isso que aprendi durante os anos de nossa convivência.

O relógio da sala de jantar acaba de bater a décima segunda badalada: então já é o dia do seu aniversário – 14 de agosto, o que faz de você uma leoa altiva e corajosa sempre pronta a enfrentar qualquer coisa por aqueles a quem ama: seus filhos e noras e seus netos, seus irmãos e sobrinhos, mas também seus amigos. Ah, sim, foi você que, com suas atitudes, me mostrou o valor da amizade. Eu achava o seu conceito de amizade interessante, mas acabei absorvendo-o completamente e por isso ele tornou-se meu também. Hoje posso dizer que tenho amigos em todos os graus de amizade, cada qual em seu compartimento, nenhum melhor que o outro, mas diferentes. E mais: não hesito em cortar as cabeças daqueles que não merecem esse nome: amigo, como você sempre fez.

Aprendi tanto com você e sem dúvida por isso tornei-me uma pessoa melhor. Aprendi a mudar de opinião sem receio de parecer fraca, mas compreendendo que só as pessoas corajosas e inteligentes mudam de opinião porque são capazes de reconhecer os próprios erros de avaliação e mudar a direção dos pensamentos e dos atos. Aprendi que idade não é empecilho para sonhar nem para recomeçar, porque você nunca deixou de sonhar e quando foi preciso, recomeçou a viver com mais qualidade de vida deixando para trás tudo que tolhia o seu desenvolvimento pessoal.

Hoje é Dia dos Pais. No rádio toca uma música que sempre lembra o meu e foi composta por Sérgio Bittencourt em homenagem ao seu falecido pai, Jacó do Bandolim – Naquela mesa. Penso hoje no meu velho pai que nem era tão velho assim e sei também que você pensou no seu Quinzinho, a quem sempre bendiz. Pois olha que mudando algumas palavras eu senti vontade de cantá-la para você, assim:

 Naquela sala ela sentava sempre/E nos dizia sempre o que é viver melhor/Naquela sala ela contava histórias/Que hoje na memória eu guardo e sei de cor/Naquela sala ela juntava  a gente/E contava contente o que fez de manhã/E nos seus olhos era tanto brilho/Que mais que sua amiga/Eu fiquei sua fã./Eu não sabia que doía tanto/Um lugar vazio, uma casa e um jardim/Se eu soubesse o quanto dói a vida/Essa dor tão doída, não doía assim/Agora resta uma cadeira vazia/E onde éramos as quatro, só ficamos três/Naquela sala está faltando uma
E a saudade dela sempre dói em nós.

 
Tudo bem,  não estou sendo melodramática, estou apenas com saudades. Sei que você está bem viva e de vez em quando até dá para matar o tempo perdido. Mas é preciso que saiba, você está sempre naquela sala, que agora é  outra, todas as terças feiras. E sua presença é forte, muito forte. Você é uma pessoa que marcou a vida de muita gente e sabe disso. Contando casos seus, ninguém acredita. Quem tem uma amiga, por exemplo, que levou as duas mais próximas amigas para testemunharem o próprio divórcio? Quem tem uma amiga que saiu de um casamento de anos mais forte do que antes e com a cabeça erguida? Costumo dizer que HM e eu sentimos mais a separação de vocês do que você mesma demonstrou sentir. Naquele dia em que o seu casamento teve um fim oficial só você parecia normal, nós e ele estávamos profundamente tristes e eu chorei por dentro. E depois você simplesmente inventa de passar férias em Divinópolis e não volta mais?
 
Não vamos falar de coisas tristes, vamos falar de coisas boas, dos livros que está comprando, das coisas que está fazendo. Ou pelo menos vamos pensar nessas coisas para por o papo em dia quando formos aí visitar você. HM e eu estamos planejando, espero conseguir dar um jeito em nossas agendas, já que agora sou uma mulher muito ocupada, com dois pequenos para cuidar.
 
Espero que seu dia tenha sido bom, não, que tenha sido ótimo. E até qualquer dia, pra gente se abraçar e conversar a noite inteira.
               Beijos agradecidos da
 
                                             Merô
 
                            

 

 

 

Para uma amiga que faz aniversário

Maria Olimpia Alves de Melo
Enviado por Maria Olimpia Alves de Melo em 14/08/2011
Reeditado em 14/08/2011
Código do texto: T3160188

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para http://marilim.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre a autora
Maria Olimpia Alves de Melo
Lavras - Minas Gerais - Brasil
1107 textos (301763 leituras)
1 e-livros (250 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/14 05:11)