Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta aberta a Luciane Makario e Elisabeth Miciasci

As jornalistas Luciane Makkario e Elisabeth Misciaci organizaram o Projeto ZaP,do qual participei como jurada:mulheres
encarceradas participavam de um concurso literário(prosa e verso).A maioria,claro,falavam da própria vida.Muitas madrugadas,lia os textos sem poder impedir que as lágrimas corressem...A carta abaixo
responde a um depoimento delas,que está  abaixo.Minha intenção,aso transcrever os dois texto é fazer com que se reflita sobre o sistema carcerário em nosso País .

                Belo Horizxonte,03/08/2003
               Queridas e sensíveis fadinhas:sei que juntamente com a satisfação do verdadeiro significante e significado desse trabalho especialíssimo que vcs estão realizando( às vezes dirigindo sua bondade e sensibilidade feminina, sua intuição pela estrada do sistema, na contramão, correndo todos os riscos de embates, regulamentos, carência, incompreensões, revoltas-ora das reeducandas, ora dos guardiãos, ora da Lei),vocês têm de enfrentar a miséria humana, a dor, o arrependimento, a culpa,a revolta,a doença, a idade,a tristeza e tantos sentimentos mais que essas mulheres expressam...É penoso, é duro, mexe com a alma, o espírito, o coração...Vocês estam dentro, vendo e decodificando tudo...Nós estamos de fora,na frente da tela de um computador, cumprindo um papel tão mais simples, mesmo sendo dessa forma tocados, que esse papel fica muito fino e frágil, perto do tecido duplo que representa o trabalho das duas...
               Acredito que os demais jurados, como eu, neste momento, terão a maior abertura possível a textos diferenciados dos do Butantã.Vocês estão preocupadas e nos preparam, demonstrando o quanto o grau de conscientização profissional que as domina é imensurável.Obrigada por isso.Eu, que já lidei com o lado do cidadão margianal/marginalizado, posso compreender.Mas alcanço o quanto o que experenciam tem maior dimensão...
               corajosa mulheres,fantásticas,são vocês.Semeiam grãos de experança onde antes havia apenas demanda deprimida, amargura,rebeldia coartada, felicidade negada.O preço pago por crimes é muito mais alto do que se pensa...Imaginar pessoas na umidade, com frio, sem seus apetrechos de conforto, nos dá um nó na garganta, faz queimar o estômago, enche nossos olhos de lágrimas.Podemos desejar que todas se reeduquem de verdade e não apenas na aparência:afinal, a maior tarefa dos ser humano neste nosso Mundo, é buscar a felicidade.Mas só podemos desejar, daqui, em frente ao computador.Mas vocês abriram as comportas da vontade e se foram junto com as águas da inovação:nadando em boa-vontade, lá chegaram.Vocês sentem cheiros,friagem, ouvem e decifram códigos de olhares e gemidos, vocês se assustam com alguém que tenta se matar pedindo socorro, expressando insatisfação, querendo liberdade.
              VOCÊS ESTÃO NO COLO DE DEUS,ENERGIA PURA, ONDE SE REFAZEM PARA FAZER TAIS VISITAS.VOCÊS RECEBEM A INSPIRAÇÃO DOS BARDOS, QUANDO TECLAM AS PALAVRAS TRISTES, AS PALAVRAS DE ESPERANÇA, OU MEDO, OU SEJA O QUE FOR QUE EXPRESSEM.VOCÊS CARREGAM UMA BANDEIRA QUANDO PULAM DO COLO DELE, PARA IR ATÉ À MISÉRIA HUMANA.E ELA É COR-DE-ROSA, COM LETRAS BORDADAS EMPÉROLAS:ELA É A BANDEIRA DO AMOR...
             SIGAM!Daqui, apesar de fazer tão pouco, mandaremos
nossos pensamentos positivos para que estejam a salvo, para que nada as impeça de cumprir sua missão...Sintam nosso calor ...
            VOCÊS FORAM TOCADAS PELA GRAÇA-E VAI LEVAR MUITO TEMPO PARA QUE APAREÇA ALGUÉM ASSIM COMO VOCÊS...
            UM ABRAÇO MUITO EFUSIVO, DA CLEVANE
 
clevane pessoa de araújo lopes, com AMOR!
Autoras_de_Presídio_de_Mulheres  wrote:
 
Boa noite!
 
Amigos queridos
 
Ontem, estivemos na Penitenciária do Tatuapé para retirar os textos,que já estão sendo digitados e passaremos a envia-los á partir de hoje.
Ocorre porém, que algo nesta segunda fase é diferente e não sabemos como poderão ser interpretados. Como sempre dissemos, reafirmamos: " Cada Dia é uma incógnita, principalmente dentro de um cárcere..."
Não estamos neste projeto nem  diante do trabalho que procuramos desenvolver, na função de julgarmos ninguém; nem o Sistema, nem tão pouco os que nele habitam. Esclarecemos sempre, estamos numa luta incansável  a favor da sociedade, mantendo a imparcialidade, porém na "cômoda condição de escritoras".
Mas, (pra variar) não somos inertes, impossível não nos mobilizarmos  diante de uma situação seja esta do lado que for, pois Acreditamos na Reabilitação dos que levamos até vocês e de todos os que tivemos a oportunidade de conviver. Em hipótese alguma, buscamos ressocializar os "insanos"  os "famigerados Monstros", que muitas vezes nem no Sistema estão, nem nunca passaram. Pois estes, evitamos...
Claro que um contato ou outro acabamos mantendo, pois vivemos no Sistema Prisional e há muito atravessamos o parlatório e ingressamos para o contato direto com os "exclusos da sociedade".  Assim sendo, torna-se impossível negar uma resposta, ou responder um cumprimento...Independente do que pensamos ou não, pois quando atravessamos os portões e sentimos o frio da CELA FORTE, somos (neste caso-Presídio de Mulheres) Mulheres iguais á todas as que conosco estão. É assim que vivenciamos esta experiência: Não somos melhores nem piores que ninguém, somos como quase todos. Umas erraram de maneira incompreensível, mas não iremos jamais generalizar, da mesma forma que uns nascem com a sorte, outros nascem das desventuras...
O Por que deste discurso? -Para que não reste a menor sombra de dúvidas que estarmos ligadas com algumas das mulheres que delinqüiram, é respeitar a Lei que prevalece no sistema quando lá estamos. Assim, respeitamos o trabalho que cada uma elaborou, como não deixaremos de honrar nossos compromissos firmados, pois a maioria (das Mulheres)  já são o reflexo de um passado muito doloroso e não nos permitimos "achar ou deduzir" nada que não seja para ajuda-las a sair do submundo em que se encontram. Pois vislumbrando o amanhã, atuamos hoje.
Na semana passada, passamos por dois momentos complicados em dois cárceres diferentes e não comentamos, pois sentimos com muita dor o que milhares de pessoas  nem imaginam que possa ocorrer. Em um passamos momentos delicados, e acabamos sentando num cimento gelado pra chorar com uma reeducanda Líder, seu lamento ouvimos até hoje...é o que chamamos de marcas indeléveis...razão de termos ficado afastadas praticamente dois dias...E em outro, uma reeducanda que inclusive esta no zaP! (seu texto já esta pronto para o envio), conseguiu um objeto cortante e pela terceira vez, tentou o suicídio... Ela se "retalhou"...uma  das regiões que mais fora afetada:-"o pescoço"... tentava romper a jugular.
Saímos só quando ela já estava consciente e hoje feliz muito conversamos, ela tenta se punir freqüentemente...pois sua cobrança é a pena que Juiz nenhum jamais poderá prolatar.
Entre milhares de casos, estamos na expectativa com o Tatuapé, pois na verdade, os textos deixam de ser textos e passam a ser cartas na medida que vão sendo lidos...Alguns trazem o desespero, outros o pedido de perdão, pouquíssimos não nos abalaram...São fatos reais, histórias de Vidas que nos fazem declarar o receio do Julgamento.  O Tatuapé, é muito pobre...muitas das celas em dia de chuva, inundam e as camas de cimento, ficam inutilizadas. O PRÉDIO é frio, a comida...muitas estrangeiras...Várias senhoras idosas...e Muuuiiitttaaasssssss
Meninas...Meninas Lindas, com penas pesadíssimas, meninas que são VÍTIMAS SIM, de uma sociedade hipócrita, filhas do abandono, do descaso, do individualismo e da má vontade. Quantas envergonharam-se ao confidenciarem que não sabiam o (a-e-i-o-u-),  e os filhos? É... várias foram detidas em estado gravídico...Quanto as soro positivo,nada mais a falar...
Os textos que serão enviados, estão muito longe do que vimos no Butantã...
Aqui em São Paulo, sempre conceituaram o Tatuapé como um barril de Pólvoras, por que?- Por estar de frente com a Febem? Talvez, muitos englobam e generalizando estende o preconceito e o asco á todos...
Amamos nossas meninas do Butantã, hoje trocamos cartas e o lugar das nossas meninas, que lá estão é reservado...só delas! Mas não podemos esconder no Tatuapé, concentra-se uma população carcerária precária sob todos os aspectos. E Uma equipe F-a-n-t-a-s-t-i-c-a de Funcionários que atuam por amor.
Não  podemos (nem faríamos isso),  alteraremos nenhum dos textos e pedimos a todos os amigos que olhem para cada texto que receber e escolha seu próprio critério, pois hoje se fizéssemos parte da Comissão Julgadora, ao ler cada texto e lembrando de cada detalhe cada conversa, cada lágrima, premiaríamos 90% das NOSSAS MENINAS. Pois nossa sensação de Impotência, somada a revolta e a dor de tanta injustiça, não nos da outra opção...Muito triste...
Obrigada pela atenção. Amamos vocês pelos corações que pulsam unidos e pelos braços abertos e estendidos.
Beth e Lu***
 
http://www.livropresidiodemulheres.com.br/
Elizabeth & Luciane
clevane pessoa de araújo lopes
Enviado por clevane pessoa de araújo lopes em 07/07/2005
Reeditado em 07/07/2005
Código do texto: T32011

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autor e o link para o site "www.sitedoautor.net(Clevane pessoa de araújo lopes;(www.clevanepessoa.net/blog.php)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
clevane pessoa de araújo lopes
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 69 anos
555 textos (176752 leituras)
21 e-livros (13424 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 15:15)
clevane pessoa de araújo lopes