Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Lembranças do Nosso Amor

Meu Amor,
Deus está adiando a nossa felicidade. Isso é o que tenho percebido depois de tudo que passamos e estamos passando. São muitas as dificuldades que ele colocou no nosso caminho. Mas como Jó, não vamos perder a fé e quem sabe receberemos em dobro tudo que deixamos de viver todo esse tempo?
Quando olho pela janela e vejo uma lua tão linda como essa de agora a noite fico relembrando de quando colocamos uma cama de solteiro no quintal e deitamos. Ficamos olhando pra cima e sentimos como se estivéssemos voando, aquela brisa que tocava nossos corpos deixando nossa pele arrepiada.
Foram dentre outros, momentos marcantes que nunca vou esquecer. Me lembro da nossa feira na sexta, do nosso almoço sagrado no sábado, do nosso peixe frito no domingo, das coxinhas que comíamos no bar do Zezinho, dos espetinhos em Cota, da nossa farofinha ou pipoca na hora dos filmes em casa. Como esquecer do nosso sono a noite assistindo tv? Das aulas de inglês que eu te dava e você não entendia nada, de como Taylor apareceu quando você abriu o presente, de quando sua sandália caiu da moto, da nossa viagem à Ibiajara que chegamos com os bumbuns adormecidos, de quando te acordava de madrugada para ir pra cama porque adormeciamos no colchão na sala que estava apertado e desconfortável. Amor, você se lembra de quando ia te buscar a pé no trabalho de guarda-chuva porque estava chovendo muito? Engraçado, nós só molhavamos os pés porque o guarda-chuva era imenso, mas mesmo assim era gostoso porque íamos abraçadinhos. De quando você ia de moto na frente e eu de carro atrás, mas você não guardava a moto porque não sabia subir a garagem, mas tinha uma coragem danada de subir a serra do Morro do Fogo agarradinha em mim na garupa da moto naquela estrada tão cheia de pedras, nossas rápidas viagens ao Grama a tardinha onde íamos descansar um pouco naquele silêncio, naquela paz; E os fogos de São João que ficávamos soltando da janela de casa? Ah! E o cachorro que não quis o pão, você se lembra? Lembra como ele fez uma cara de pouco caso? Tenho saudade das nossas gatinhas Aninha, Ivete e Claudinha, das nossas caminhadas na lagoa, do pirão no bar do Sr.Otávio, da nossa caminhada até a serra no domingo de despedidas, até mesmo das nossas brigas nos domingos a tardinha que eu saía para jogar sinuca. Agora me diga a verdade: Você acha que Deus fez tudo isso a tôa, amor? Você acha que ele destruiu tudo? Não foi, claro que não foi! Ele tem mostrado que para sermos felizes não precisamos de muita coisa, só precisamos estar juntos e vamos estar porque ele vai nos dar em dobro.
Amo você!!!

Marcos Batista
25/08/2007

 
MA Ribeiro Batista
Enviado por MA Ribeiro Batista em 30/08/2007
Reeditado em 30/08/2007
Código do texto: T631100

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
MA Ribeiro Batista
Estados Unidos, 50 anos
34 textos (3765 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 07:34)
MA Ribeiro Batista