Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
*** VOCÊ O MEU TUDO ***


Você tudo que amo
Faço tudo por esse amor
Tenho lhe procurado
Tento lhe encontrar
Nas entranhas do caminho
Cadê você que amo tanto?
Quero apenas conversar
Não fazes assim...
Com um coração sofrido
E aos frangalhos...
Vamos caminhar lado a lado
São tantos os por quês?
Fico procurando os meus
E só encontro os teus...
Venha ponha na balança
Pese e pense esse amor
Faça as contas...
Soma, multiplique
Não diminua, aumente.
Só divida comigo, o seu amor.
Não me deixe assim, tão só.
Sou um verdadeiro sonhador
Sonho um amor, que não existe.
Busco o sonho impossível
Dentro de um sonho, sonhado.
Que vem lentamente na noite
Na calada da noite, de repente.
Até os mais claros dias já viram noites
O sol perdeu seu brilho.
Vejo-me olhando as estrelas
Seu brilho apagado
Tudo fica fosco, sem cor.
Faça a minha vida brilhar
Mais que as estrelas e o sol
Espero-te aqui, sempre.
Vejo tanto rostos na multidão
Onde andas o teu rosto?
Sejas apenas:
A minha menina, adorada.
A minha moça, querida.
A minha mulher, amada.
Talvez você não vá ler
As frases dessa carta, deste ser.
Um ( poeta apaixonado) por você
Se por acaso sonhares comigo
Leias no seu sonho esta carta
Pois são palavras sinceras
De alguém que lhe ama muito
Sofre e até chora por você
A rainha dos meus pensamentos
E a dona dos meus sonhos
Tão presente
Tão ausente
Você é como um negativo
Que não consigo revelar
Por mais que eu tente
A tua cópia não se revela a mim
Por que fazes assim comigo
O nosso sonho ainda, não acabou.
Resta ao autor re-escrever o final feliz
Estamos na fase do sofrimento
Esses capítulos já foram gravados
Reprisados na sessão da tarde
Então vamos ao final feliz:
Atenção...
Silêncio...
Gravando...
Agora sim sou, o seu galã.
Em meus sonhos, já o sou.
E nos pensamentos, idem.
Sei que tu sabes de mim
Da minha paixão por você
Simplesmente me ignoras
Assim como o mar ignoras as andas
E as deixa morrer na praia
Assim sou eu, uma onda a morrer
Na praia da solidão das ondas mortas.
Você o meu tudo
Estou aqui, venha.
Espero-te
Minha amada tão antiga.

José Aprígio da Silva.
Feito: 01/08/07.
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA
Enviado por JOSÉ APRÍGIO DA SILVA em 01/09/2007
Reeditado em 10/07/2011
Código do texto: T633995

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA
Ceilândia - Distrito Federal - Brasil, 57 anos
1698 textos (153731 leituras)
1 áudios (36 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 09:12)
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA