Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

[carta de adeus] Àquele que eu não deveria amar

" C.

Escrevo-lhe porque estou com medo. Do presente. Do futuro. De um dia perder você, que se tornou meu chão, minha força, minha inspiração, meu calor. Meu amigo e meu amante. Não sei como começar a dizer o que me incomoda, não entendo esse abismo que se forma cada vez que estamos mais próximos. Pensei ter encontrado minha metade em você, mas me enxergo agora numa grande armadilha muito bem articulada. Na sua pretensa inocência, no seu olhar de menino. Na sua malícia suave, no charme que há em sua maturidade. É muita diferença. São muitos anos, muitos planos, muitas vidas envolvidas. Não dá. Não dá mais para guardar tudo isso dentro de mim. Não consigo mais. Está errado.

Está tudo errado: sua forma descolada de pentear o cabelo, seu jeito charmoso de se vestir ao estilo "certinho", seu corpinho de menino, sua face juvenil que não lhe dá mais que metade da idade que tem. Está errado seu jeito encantador de - me olhando nos olhos - falar perto e bem baixinho, até que não haja mais nenhum pêlo em meu corpo que não esteja arrepiado. Está errado quando me faz pensar em você o tempo todo - mesmo sabendo que a idade é uma barreira, que é de um mundo diferente do meu, que tem outra lhe esperando em casa, que serei sempre uma menininha pra você.  Está errado quando diz que é sério e que não quer me magoar, está errado cada vez que me beija daquela maneira que só nós dois sabemos, está errado !  Está todo errado... Cada milímetro de sua perfeição é um erro: ou não.

 {A verdade é que não cometeu nenhum erro além de existir: a verdadeira errada sou eu. Por quê querer tanto assim a alguém que não posso possuir? A cada dia me sinto mais infantil, boba, ingênua. E ignoro qualquer moralismo ao pensar em você como penso. Traio meus princípios. Você me tira demais do sério; põe minha cabeça na lua, faz com que eu tome atitudes que jamais tomaria com qualquer outro. Acho que passou dos limites da "paixãozinha adolescente", e antes que rume para algo perigoso, isso precisa acabar. Aqui. Agora.}

Deveriam ser proibidos sentimentos assim: que não podemos assumir.
Confesso que não quero ficar longe, nem mesmo perder seu toque, suas palavras, seu carinho. Confesso saber que é errado terminar, mas foi a única solução que encontrei.

Amo você ;
(como nunca amei nenhum outro.)

Sua menininha."
Nica
Enviado por Nica em 05/10/2007
Reeditado em 27/10/2007
Código do texto: T682047

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Nica
São Paulo - São Paulo - Brasil, 27 anos
45 textos (3398 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 03:17)
Nica