Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta ao mau leitor.

Quem disse que a boa poesia, precisa de rimas,
dos exageros das terminações.
Versos politicamente corretos, tornar-se-ão imperfeitos;
na visão do contumaz leitor.
Sem a alma poética, não há texto que resista a voraz leitura,
ao atropelo da vírgula, a exclusão mental das metáforas.
“Eis o que sou diante de teus olhos... letras miúdas precipitadas no vazio.”
No vai e vem frenético de seus dedos, o ponto final ficou esquecido,
juntando uma frase a outra e modificando o sentido, transferindo a idéia
central da estória para uma hipótese qualquer.

Então, leia-me verso a verso,
saboreando cada palavra,
com o olhar passivo e contemplador.
Pois, em tua altivez,
terei prazer em ser escrava
e não verás o lamento deste autor:

Ass: A Poesia
Sandro Colibri
Enviado por Sandro Colibri em 09/10/2007
Código do texto: T687505
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sandro Colibri
São Paulo - São Paulo - Brasil, 45 anos
527 textos (53625 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 11:25)
Sandro Colibri