Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

a um amigo - 2

Caro amigo, volto a ti, não recebi ainda uma resposta sua...e as coisas ruins parecem estar se acumulando ao meu redor...apesar de todo meu esforço, apesar de toda minha persistência, as coisas teimam em não dar certo, mas sou teimoso, creio em um Deus Maior, e sei que ele está apenas a me testar...como fez com Jó, sei que no final, bem no finalzinho, alcançarei a maior das graças...

Amigo, é tão triste a gente se sentir impotente diante do sistema...
não importa nada de voce ser bom, ser uma pessoa integra, honesta,...quem não te conhece, voce é apenas um número, um qualquer...eles tem regras, e nem sempre essas regras são justas, e voce precisa se adequar a essas regras da sociedade atual...precisa do capital, só com o capital voce deixa de ser um número...eu choro com essa pobreza moral de nossa sociedade...choro mesmo...me dá pena...cheguei a rir diante de um absurdo que me foi apresentado, e todos olharam para mim, como se eu fosse de outro planeta....

ò sina maldita essa de sofrer com a mudança do ser humano...será que daqui a cem anos, o ser humano conhecerá o valor da palavra, Integridade? Caráter? Hombridade?

meu amigo, tenho andado muito sismado com o andar da carruagem, onde a humanidade pegou carona...aonde essa carruagem nos levará?
Existirá no futuro não tão distante, lugar para pensadores tolos, que acreditam na bondade? no amor, na humanidade? no homem de bem?

Ler mais, saber mais,,,sem saber como aplicar esse conhecimento, de que adiantará?
O mal cada vez mais se traveste de bem, e o verdadeiro bem, esse fica relegado, esquecido, não mais tem seu lugar aqui conosco...que pena...que pena da humanidade...piedade, caridade, só palavras, pintadas, enfeitadas, mas sem mais valor em atos, apenas palavras...

Lamento pelo teor dessa missiva ser tão pessimista meu amigo, mas me cercam muitas ervas daninhas...e começam a invadir meu corpo, meu coração...e não há ninguém que possa tirar essas heras venenosas de perto de mim...peço socorro, mas ninguém me ouve, quem ouve, não entende....

Fique em paz meu amigo...
Ivair Antonio Gomes
Enviado por Ivair Antonio Gomes em 25/10/2007
Código do texto: T710133

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o email xstranho@pop.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ivair Antonio Gomes
Palhoça - Santa Catarina - Brasil, 48 anos
169 textos (112937 leituras)
8 áudios (23953 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 11:38)
Ivair Antonio Gomes