Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A quem se destinam essas palavras

Para um destinatário da primavera!

   Dispensam-se vocativos.
   A quem se destinam essas palavras? O 'alguém'  saberá quando as ler...
   Bem, mas não escrevo por amor. Menos ainda por saudade. Esses sentimentos quase desaparecem quando trancafiados na masmorra do silêncio. E é por este - sim! - que escrevo.
   Escrevo pelo silêncio... tantas são suas faces!
   "No refúgio do silêncio, ninguém me desvenda. Ah, como é bom esse segredo!" - assim te escrevi um dia.
   Nem sei se soubeste por quê. Mas também... que importa se soubeste ou não? Acaso alguma coisa seria modificada?
   O que me inquieta é ter consciência dessa nossa inextirpável transitoriedade humana. Porque um dia não mais aqui estaremos nesta forma de 'sermos gente', fico pensando por que tantas coisas acontecem como as vemos na realidade... A fragilidade nossa de cada dia me faz insegura, ansiosa, irrequieta.
   Depois de vínculos invisíveis estabelecidos, muito difícil se torna desfazê-los. Por quê?  ...Ninguém sabe...
   O silêncio tem múltiplos significados. O de hoje, certamente, não tem nada mais a ver com o de ontem. E não será igual ao de amanhã. Então, por que ficar lamentando? Se nada chegou ao resultado esperado, tratemos de aproveitar as cicatrizes e as experiências para sabermos virar o jogo talvez um dia.
   Mas este silêncio... me faz pesquisar fundo o coração... que sentimentos correm dentro dele?  Se sofrer por isso é aprendizado, todos os verbos do sofrer já foram passaportes para minha reflexão.
   E sabe o que aconteceu?
   - Não encontrei respostas. Mas sei que há sempre uma beleza escondida em cada sofrimento e transformá-lo na beleza da alegria será sempre a glória maior.
   Fica, então e apenas, a eterna dúvida do "se": se tivesse sido assim... se não tivesse sido assim... se o rumo dado fosse outro... se a decisão não tivesse sido esta?... A dúvida do "se" e o seu encanto que faz sentimentos lacrados serem eternos.
   De qualquer forma, quero que saibas: a paixão e o amor nos fortalecem. Nos deixam mais aptos para a vida e suas surpresas.
   Não interessa se este silêncio um dia será entendido, mas ele existe por um valor tão forte, capaz de superar a nós mesmos em todos os desafios e nos fazer  - ainda - crentes no amor.
   Onde estiveres, que estejas totalmente FELIZ!
                                         
                                             Missivista viajante
lilu
Enviado por lilu em 01/11/2007
Reeditado em 04/11/2007
Código do texto: T719330
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
lilu
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil
889 textos (354230 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 00:44)
lilu