Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CARTA AOS AMANTES DA NATUREZA

Vamos delirar na Casa ´nostra´ do Big Brother das letras de cada dia neste veículo um dos colos da comunicação, ´lixando´ os calos... que temos direito?

Recebi um convite para uma reflexão: O que é ter o pensamento voltado a favor da Ecologia?

O QUE VOCÊ FARIA AO VER UM PÁSSARO LUTANDO PARA SOBREVIVER NO ´SÉRTÃO´ OU NO PANTANAL?

"Vou tentá falá do jetcho que todo o povão daqui intendi... pois quandu a genti fala ´mucho´ baixo e ´bunito´ cum délicadeza nem sempre tódo mundo intendi! Istu qué dizê que própositalmente vou isquecê todas as coloquiais acéntuações (as tais oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas...) propondo as proproparoxítonas... para transportar um dévido valô da energia que me toca". Cum isso você está sendo convidado para ´acompanhá um canto´ fora dos palcos... dançaremos ´nos conformes do show de Alceu (sem ter ele ´pru´ perto?´)

Quando será que as pessoas do sul, vão dar o ´devido valô´ e respeito ao que aos que trazem um pouco da Holanda nas veias? ´Aos cheiros´ na voz de Caetano Veloso (querendo ou não estes homens são acompanhados por milhões de pessoas... e nóis?)

Quem somos nós para retrucar tais manifestações, como anda a nossa capacidade de fazer reviver novos tons dando vida a novos Tons geniais?). Quando a voz do povo irá crescer dentro de si a voz do sentido e dos pensamentos construtivos?

Narrar sobre a fome, a miséria, a guerra, e a peste que assola a humanidade... ´carece´?

- ´Carece mais não, meus amigos bichins di dois pés erectus´! ´pruquê´ ao abrimos as páginas dos jornais da realidade enxergamos os reflexos dos ´dismatamentos tódos os santos´ dias, que ´fulô téra pru distrás desta couve-frô´ai abaixo na letra desta música?

Quer mais do que a essência do Chico Buarque por perto?

Passaredo
(Chico Buarque de Hollanda 
com Francis Hime)

Ei, pintassilgo
Oi, pintaroxo
Melro, uirapuru
Ai, chega-e-vira
Engole-vento
Saíra, inhambu
Foge asa-branca
Vai, patativa
Tordo, tuju, tuim
Xô, tié-sangue
Xô, tié-fogo
Xô, rouxinol sem fim
Some, coleiro
Anda, trigueiro
Te esconde colibri
Voa, macuco
Voa, viúva
Utiariti
Bico calado
Toma cuidado
Que o homem vem aí
O homem vem aí
O homem vem aí

Ei, quero-quero
Oi, tico-tico
Anum, pardal, chapim
Xô, cotovia
Xô, pescador-martim
Some, rolinha
Anda, andorinha
Te esconde, bem-te-vi
Voa, bicudo
Voa, sanhaço
Vai, juriti
Bico calado
Muito cuidado
Que o homem vem aí
O homem vem aí
O homem vem aí

ESTA É A VOZ DA MATANÇA OU UM CANTO EM FAVOR DA FUGA!?!

Particularmente prefiro a força das pessoas que procuram manter na ´guela´ os animais em pé.

Caro Leitor: ´se cunselho fosse bão todos venderiam´: o pouso de quem tira a força dos animais estando ou não próximos da extinção é semelhante ao dos albatrozes, o trem de pouso deles é desengoçado l i te r a l m e n t e.

´Pruquê´? nossa essência deve estacionar os olhos nas telas tristes de algum Franco ´Atiradô´?
Como seria um bom Mata(dooô)?


Aquele que aprendeu com a dor a matar a dor...

Nada adianta ´ficá bizoiando´ os leões-marinhos levando coronhadas em cima dos cangotes nos blocos de icebergs, isto seria compactuar com a crueldade da natureza humana (sádica e real). Choro, revolta mobilizam as pessoas à quais atitudes de CONSCIENTIZAÇÃO?

O animal é atingindo duas vezes no peito. Uma pela realidade indiscreta e outra reforçando a própria dor e os sentimentos de desânimo nos outros.

Estaria na hora dos amantes da natureza (re)direcionar a voz, e as canetas para a salvação das espécies...? Creio que sim. Sorte ´di´ quem tem alma de onça pintada, ´para não ficá passeando com as onças por aí doloridas ou tombar com as bichinhas se estribuchando de raiva, medo dos rifles ou dor´?

... ´Seria como pisá mais numa fulô´ ainda bem que certas ´bichas´ soltam a suas feras freneticamente espumando, ligeiras e ao levar um tiro pelas costas sangram mas se ´récuperam´ na toca, ou na árvore: ´pruquê quem tem os nervos de aço:
r é s s u s c i t a m... na marra.´

"Os poderosos podem matar uma, duas até três rosas, mas nunca deterão a primavera", uma óbservação esta frase atribuída a Che Guevara, apesar de circular em camisetas de rock e na rede (net) por que será que na rede existem inúmeras atribuições internacionais para Pablo Neruda, o dia que encontrar o dono da frase, com certeza voltarei por aqui... 

Quem sabe não estaria na hora de nós sabermos utilizar o poder das palavras com discernimento? Eu me recuso a dar corda à palavras que desencadeiam a ausência da esperança.

Que graça tem em viver as ´létras´ de ´révolta´? Fortalecem a boca do ego de quem??? Hoje sinto a ´nécessidade di reverenciá´ a LUTA da natureza quem sabe assim defino o lado que acredito que seja necessário para ´guérrear´ através das Letras, novamente citando um possível pensamento de Che (sem necessariamente "ser comunista"): `Hay que endurecer pero perder lá ternura jamás´(é preciso endurecer sem jamais perder a ternura...? 
(segue via wikiquote: Che Guevara, citado em "Mi amigo el Ché"‎ - p. 11, de Ricardo Rojo - publicado por Jorge Alvarez, 1968, 2. ed. - 266 páginas)

Geralmente as letras de sucesso ditam Odes de ´A M Ô´ mas quem dá valor à pesquisa?

Isto para mim é ser lindo demais: não sei em quem Caetano se inspirou, contudo compreendo que é muito mais gostoso cantar:

- ´Você é linda! Linda demais´ (do que, ´Você é horrorosa! Horrorosa demais´).

Fico aqui pensando ´cum os cábelos´ arrepiados e aquele ´ólhar´ agateado... o que é mais fácil ´escrevê´ sobre o: ciúmes, a injúria, o cansaço, o desânimo, a traição, as déficiencias`...

Tudo isto é tão preto no branco estando enraizado na mente do homem, quero estar cada vez mais próxima dos contrapontos, para ´provocá´ um processo de ´descristalização em detérminados´ sentimentos, afinal a minha visão desde os tempos da infância inocente já tem estas palavras esmiuçadas na pele.

Escrever sobre animais em extinção é LUTAR para mantê-los vivos dentro da cadeia da vida, existem certas pessoas que se identificam com o fluxo de energia determinados animais (vide Xamanismo), projetar a morte é visualizar os golpes da foice, na minha ´umirde pércepção´. Projetar é plasmar energia... os tiros tem que SER ´CÉRTEIROS´...para ver os BICHOS VIVOS FORA DOS LIVROS!

Manifestações culturais não são para ficar apenas nos palcos ao meu ver...

Se chegou a hora das ´baratas mostrarem suas patas...´que dancem, ´dancem... com a sabedoria de quem canta dance como: Isadora, com ritmo e nos compassos certos´.

Que tipo de AMANTE DA NATUREZA, somos nós???

O QUE VOCÊ FARIA AO VER UM PÁSSARO LUTANDO PARA SOBREVIVER NO ´SÉRTÃO´ OU NO PANTANAL?

Quem luta para ser lindo demais: - OLHA TUIUIÚS, se fosse ao contrário... olharia o que?

Quero ser um daqueles que sempre sentem satisfação e vontade para ver os tuiuiús VIVOS mantendo viva a alma dos tuiuiús (desmantelando o bico dos... urubus). 

Será que nunca ninguém reparou por aí que por detrás de uma matéria sobre a realidade do mundo atual guerras frias e respostas da natureza referente ao desequilíbrio da natureza logo em seguida existem jornalistas que escrevem  sobre movimentos de conscientização à população no que se refere ao respeito e preservação do meio ambiente, do próprio espaço e os habitats dos animais na natureza?

Misturando um pouco mais... vivendo as ´Sem razões de amar` de Drummond: Quero porque quero... amo, porque te amo?...
Vamos finalizar a reflexão com letras que gerem o AMOR?

Quero
Carlos Drummond de Andrade

Quero que todos os dias do ano
todos os dias da vida
de meia em meia hora
de 5 em 5 minutos
me digas: Eu te amo.

Ouvindo-te dizer: Eu te amo,
creio, no momento, que sou amado.
No momento anterior
e no seguinte,
como sabê-lo?

Quero que me repitas até a exaustão
que me amas que me amas que me amas.
Do contrário evapora-se a amação
pois ao dizer: Eu te amo,
dementes
apagas
teu amor por mim.

Exijo de ti o perene comunicado.
Não exijo senão isto,
isto sempre, isto cada vez mais.
Quero ser amado por e em tua palavra
nem sei de outra maneira a não ser esta
de reconhecer o dom amoroso,
a perfeita maneira de saber-se amado:
amor na raiz da palavra
e na sua emissão,
amor
saltando da língua nacional,
amor
feito som
vibração espacial.

No momento em que não me dizes:
Eu te amo,
inexoravelmente sei
que deixaste de ama-me,
que nunca me amaste antes.

Se não me disseres urgente repetido
Eu te amoamoamoamoamo,
verdade fulminante que acabas de desentranhar,
eu me precipito no caos,
essa coleção de objetos de não-amor.

...

São Francisco
Vinicius de Moraes 


Lá vai São Francisco
Pelo caminho
De pé descalço
Tão pobrezinho
Dormindo à noite
Junto ao moinho
Bebendo a água
Do ribeirinho.


Lá vai São Francisco
De pé no chão
Levando nada
No seu surrão
Dizendo ao vento
Bom-dia, amigo
Dizendo ao fogo
Saúde, irmão.


Lá vai São Francisco
Pelo caminho
Levando ao colo
Jesuscristinho
Fazendo festa
No menininho
Contando histórias
Pros passarinhos. 

AVE!!!

...

NOTA: Se restar um pouco
de paciência aproveite para
ler o texto em Crônicas de nome:
Quando eu ´era´ criança...
Obrigada pela atenção,
Rosangela.



São Paulo, 22.III.05




 
Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 22/03/2005
Reeditado em 25/07/2014
Código do texto: T7393
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rosangela Aliberti
Atibaia - São Paulo - Brasil
345 textos (1552280 leituras)
33 áudios (64201 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 15:08)
Rosangela Aliberti

Site do Escritor