Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O QUE VEM RÁPIDO VEM PARA SEMPRE.

 

 

 

Imaruí, SC 06 de dezembro de 2007.

 

 

 

Querida Luzbel,

 

 

 

Na verdade, eu poderia ter dito ontemtudo o que eu vou te dizer agora, não o fiz naquele momento  porque estavas muito emocionada, e eu não queria tumultuar mais ainda esse teu bondoso coração onde, atualmente, estou graciosamente habitando.

Além de te amar muito e estar seriamente comprometido emocionalmente contigo, eu quero também dizer o quanto te admiro como ser humano, uma mulher guerreira e uma linda amazona de uma perspicácia invejável.

A tua agudeza de espírito é tão abrangente que, eu penso existir em ti uma paranormalidade que pretende florescer, pois quando tu falas  pareces estar profetizando, aí eu sinto que tu estás inexplicavelmente mediunizada por alguma entidade boa, clarividente  e  sábia.

Eu também sei e suponho com muita evidência que, entre a terra e o céu,  existem muitos mistérios que a nossa limitada razão ainda não alcança.

Sabendo dessa condição imponderável, afoitamente eu quero te dizer que, nem tudo o que nasce ligeiro ou rápido, acaba também rápido e ligeiro.

Explico-me:

O que nos aconteceu e está sempre nos acontecendo  é um fato inexplicável, porque o amor verdadeiro se comporta assim mesmo, ele é como um míssil ou um raio que vem certeiro para implodir e contaminar os nossos corações com a radioatividade do amor.

E assim, ficamos imantados, contaminados e radioativos, por essa onda misteriosa que chamamos de amor.

Querida Luzbel, eu creio firmemente que quem arremessou esse projétil em nossos corações sabia diante mão que, nós íamos nos assustar com a magnitude e o impacto desse sentimento, entretanto, acredito piamente que o amor se comporta assim mesmo, impactante e lindo.

Então, o que veio rápido veio decidido para ficar, e quem somos nós para ficarmos questionando a vontade  Desse Magnânimo Artilheiro, (Deus ) que nos escolheu para acolher esse grande e viçoso amor que nos deixa às vezes um tanto confuso?

Minha Linda Luzbel, o amor é assim mesmo, imprevisível, inexplicável e tumultuante, pois ele desarranja de uma vez e, sem a gente querer, todas  as nossas teimosas rotinas, bem como solapa todos os nossos hábitos e até as nossas reduzidas conceituações dele mesmo.

Eu não tenho medo do amor e nem  tão pouco do teu amor que, para mim é tudo, confesso sim, que tenho medo ou certo receio das pessoas invejosas ou das mal amadas que não suportam  nos ver assim tão felizes.

Eu te confesso também que a minha vida, esse evento sutil e sagrado, é totalmente transparente.

Por isso, nada existe em mim que tu ainda não saibas a não ser é claro, que haja algum mistério impactado em mim, tão misterioso que nem eu mesmo tenho conhecimento dele.

Tu sabes do que eu falo!

Adoro-te, isso é um fato visível, pois é só olhares nos meus olhos; amo-te, eu confesso, pois esse sentimento que é totalmente invisível tem a característica de ser plenamente e sinceramente  confessável.

A experiência do amor é o evento mais lindo que a gente pode sentir nesta vida; infeliz daquele que nunca amou, pois uma vida sem amor não vale a pena ser vivida.

A minha experiência de vida está grávida de amor, e agora, esse amor cismou de se atracar em ti.

Receba a minha doce nave de amor, para que, atualmente e futuramente, possamos navegar os lindos dias das nossas vidas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

 

Eráclito Alírio da silveira
Enviado por Eráclito Alírio da silveira em 06/12/2007
Reeditado em 07/12/2007
Código do texto: T766993
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eráclito Alírio da silveira
Imaruí - Santa Catarina - Brasil, 75 anos
889 textos (142150 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 09:27)
Eráclito Alírio da silveira