Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SEMPRE O IRREVELADO

(para a Ligia Lacerda, preciosa)

Em primeiro lugar agradeço, penhorado, o vocativo ao meu nome na tua crônica REVELAÇÃO E SEUS MEDOS, em http://www.recantodasletras.com.br/cronicas/764809 .

Realmente, de tudo o que conheço de tua lavra, este é o melhor exercício. O mais denso, o mais solto em palavra, o mais profundo no necessário mergulho na dimensão humana.

Tens toda razão, ao examinar o mérito das eventuais revelações pessoais: "... Nosso interior é território inexplorado, cheio de tesouros esperando ser descoberto." É de extraordinária lucidez este lapidar dado. Aliás, se não foras 'poeta', dificilmente poderias cinzelar algo tão bem posto, porque mergulhas no alter ego.

Claro que tens uma postura lírica, romântica, até neste exame. Mas este é o teu psicológico, esperançoso de achados e sempre tocado de perdidos.

E como querer que os nossos afetos nos descubram, se estes dons não são encontradiços no lugar comum da vida?

E como não validar o passar dos dias, neste plano o sofrimento, se este é o substrato psíquico que nos toca mais fundamente, a ponto de não sermos somente ‘sofrentes’, mas, também ‘fingidores’, como queria Fernando Pessoa em seu memorável AUTOPSICOGRAFIA?

É do humano as assertivas de certo e errado, mas o Altíssimo sabe-nos precários. É preciso coragem pra contar a nossa história.

Os "nossos" são sempre possessos de afeição e nos querem para o dia-a-dia, não para a eternidade. É nela que mora a revelação. E pra isso até Deus necessita de tempo. Revelemo-nos, todos, em sabedoria.

Há deuses demais pra nos pensarmos em comunhão com o Alto!

– Do livro CONFESSIONÁRIO – Diálogos entre a Prosa e a Poesia, 2006 / 2007.
http://www.recantodasletras.com.br/cartas/767878
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 06/12/2007
Reeditado em 23/05/2008
Código do texto: T767878
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2776 textos (755052 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 14:31)
Joaquim Moncks