Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SILÊNCIO II ( A CARTA)

   Há algum tempo, não muito, para quem acredita que anos, meses, minutos ou segundos separam ações ou fatos. Um homem, com óculos em formato do planeta Terra, falou que a conversa era um dos meios mais primitivos para se conseguir a paz. Na verdade ele tinha toda razão, pois a verdadeira Paz é conseguida entre uma palavra e a sua consecutiva. Quero dizer, sim, que tanto a paz interior ou mundial será conquistada através do SILÊNCIO. O VERBO ou PALAVRA, como alguns ecumênicos proferem, pode, em raríssimas exceções, e nos tempos caóticos de hoje, ser entendido em dois sentidos: o do Bem e do Mal. Sabem por quê? Por que as pessoas não agem de acordo com o seu pensar, estão cada vez mais longe de serem verdadeiras consigo e com outras, é a famosa segunda intenção.
   Não estamos longe de conseguir o Sagrado Silêncio, e a internet veio para testá-lo. No começo dos tempos só UM tinha direito ao VERBO, depois nossos ancestrais, como sons guturais e desenhos na rocha, começaram a entender como PALAVRA era poderosa, surgiu, então, a COMUNICAÇÃO E desta se passou a um querer falar ou escrever mais do que outro, competimos mais e mais até guerrearmos, algumas palavras se tornaram símbolo de morte. Devemos entender que quando se pede um minuto de silêncio nos aproximamos mais do Criador do Verbo. Na minha concepção a "PALAVRA" terá, no futuro, que ser interpretada como uma comunicação silenciosa, uma telepatia, com o mínimo de vibração possível, assim como lemos livros sagrados. Centralizaremos nosso pensamento, abriremos mão da "GUERRA DE AUDIÊNCIA" entre o bem e o mal, pararemos de tentar comandar nossa vida e a de outros, não guerrearemos mais e, sutilmente, nos aproximaremos do INVICTO. Salve o SILÊNCIO, salve a PAZ, ASSIM SEJA.
Milton Roza Junior
Enviado por Milton Roza Junior em 06/12/2005
Reeditado em 03/06/2011
Código do texto: T81588

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Milton Roza Junior
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 49 anos
97 textos (82795 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 06:26)
Milton Roza Junior