Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CARTA DE SEPARAÇÃO

Oi , permita-me fugir da cordialidade e formalidades pois é inútil dado ao tema desta carta.
Talvez até mesmo eu tenha percebido que o titulo desta carta esteja mal empregado, deveria ser algo mais ou menos assim (Carta do Idiota Apaixonado) ou até mesmo (Carta do Alienado Solitário) mais talvez soe muito dramaticamente o que nas circunstancias não faria diferença alguma, mas tentarei preservar a sanidade desta carta, sobre o titulo empregado... achei tão obvio e simples de escrever o que sinto neste momento que esta decidido, será ele mesmo.

Normalmente qualquer um em sua posição perguntaria o porquê ? Ou ate mesmo o que fez para que eu tomasse esta atitude, é eu sei, e não sorria, você jamais perguntaria tal coisa não é? Mais diga que você  pergunta se, afinal você obviamente faria o favor a si mesma de ver eu explicar as circunstancia ,os meu motivos, mostrando tamanha frieza e deliciando se na minha tremula voz.

Com antecedência passei boa parte do dia separando meus sentimentos dos fatos ilusórios, calei por um tempo as vozes estridentes das legiões dos demônios que habitam em minha mente, lógico ouve uma certa resistência deles , mais nada que uma boa taça de vinho não cala se,  para que pudesse sabiamente distinguir o que estava se passando entre eu você, perdoe me novamente errei empregando a palavra, o que esta acontecendo comigo.

Magnificamente acho a a frase perfeita para expressar todo o sentido desta carta dentro do nosso próprio relacionamento, o relacionamento de uma pessoa só, é meio ridículo pensar que alguém entregue palavras dóceis , louváveis mais se suas atitudes se quer corresponde aos adjetivos que tu mesmo diz de si .
O meu porto seguro ? Não digas tamanha infâmia, me lançaste no mar em meio a tempestade, sim mocinha , me sinto perdido, querendo te ver, mais não a nada . nem você, nem traço de qualquer outra coisa viva

Rejeito seus protestos, o famoso eu não posso, que inevitavelmente se auto traduz para : _Eu não quero .
Ainda não sou telepata para conversar no silencio, para distinguir seus olhos querendo me dizer alguma coisa , fica difícil quando a boca nada tem a dizer.
E sem deixar passar desapercebido, a sua fraqueza mascarada em inocência irrita-me os órgãos vitais.
Não guardo ódio seu, mais sim perplexidade por ironizar o carinho que queria de dar, por que aceitar e depois rejeitar ?

Sim... eu sei, não vou me prolongar é insignificante o que te digo compreendo o real valor da minha vida para ti.

Por sorte meu coração hoje agoniza em dores extremas e brevemente será mergulhado em trevas profundas de onde não tinha que ter saído, sei bem que meu coração não resistira por muito tempo, brevemente se recolhera dentro de si mesmo .
Boa Sorte e até a próxima noite em que meus olhos por você não mais brilhar.
Yargo
Enviado por Yargo em 01/04/2008
Código do texto: T925684
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Yargo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 31 anos
209 textos (54548 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/11/14 15:07)
Yargo



Rádio Poética