Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

           Entorpecida
                        Rosa Pena 



Eu não sabia que não teria mais você na primavera, acho que nem ela sabia, por isso confusa teima em hibernar as flores, insiste em molhar as calçadas do meu olhar, imaginando-se águas de março. Eu realmente não supus que ao te perder sentiria tanto frio, mas tenho certeza que o inverno disso supunha, por isso permanece forte e cúmplice da minha solidão, disfarce perfeito pro meu constante tremor. Eu jamais imaginei que sumirias de vista em plena luz de um vagabundo dia em que as folhas amarelavam.
Outonei com elas.
 Triste miopia passou a sofrer meu coração. Se eu soubesse que não mais te veria, optaria por perder a visão de vez, pois eram os teus olhos que me faziam companhia a cada estação de minha poesia.
Maldita meteorologia da saudade que faz meus poemas tão glaciais. 

Lirismo sem flores e nublado, porque não estás ao meu lado. 



(1 de outubro de 2005)

Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 02/10/2005
Reeditado em 11/09/2015
Código do texto: T55650
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Rosa Pena
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
960 textos (1420144 leituras)
48 áudios (24767 audições)
33 e-livros (29060 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 02:38)
Rosa Pena

Site do Escritor