Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os sonhos de Jean e Debora. Parte 20.

O eterno romance de Jean e Debora. Parte 2.
.
.
.
Eu não imaginava que a Rainha iria me colocar pra fazer tanta coisa assim, ela parecia ser tão dócil... A Princesa também não me ajuda, ela nunca fica do meu lado, ela sempre diz que se a Rainha manda, temos que fazer mas acho que ela só diz isso, porque gosta de sair comigo e conhecer à cidade. Todos os dias nós saímos para visitar alguns lugares, costumamos fazer o trabalho pesado mas não está na hora de falar sobre isso, agora está na hora de falar sobre o que aconteceu ontem, sobre aonde nós já visitamos, o que fizemos e como o Príncipe e a Princesa são bobos quando eles estão juntos...
.
.
.
Eu não sabia que a Rainha iria me pedir para fazer isso, mas ontem ela me pediu para visitar o máximo possível de lugares e me pediu para os mostrar ao Príncipe e a Princesa, mas eu não sabia que eles já haviam encontrado o Berçário das flores azuis, eu os levei lá e quando chegamos lá, eles me disseram que já conheciam aquele lugar, me disseram até que deram um novo nome ao lugar, eles disseram que chamavam aquele lugar de: O berçário do amor! Eu achei legal, por isso não falei nada, até comecei à chamar o lugar assim, mas como eles já conheciam o lugar eu os perguntei o porque a cor do rio era azul, mas eles não souberam me responder, então eu contei à eles a história sobre aquele rio. Mas ele ficaram um pouco confusos e me perguntaram o porque só naquele lugar, no meio da floresta, existia aquele lindo paraíso, e ai eu contei à eles o sonho do rio, uma outra história, a história que deu vida ao lugar que eles chamavam de: O berçário do amor!
.
.
Quando eles conheceram a história começaram à entender que tudo naquela cidade, funcionava como mágica, e ficaram ainda mais animados, para irem visitar às outras partes da cidade, mas enquanto isso acontecia a minha amada Debora, estava ao nosso lado, ouvindo tudo atentamente e se perguntando como eu sabia tanto, sobre a cidade. Eu não lhe expliquei o porque mas lhe disse que algum dia, ela ainda saberia sobre tudo...
.
.
.
Peguei na mão da minha amada, e o Príncipe e a Princesa foram com a gente para mais um lugar, o lugar mais desejado pelos que amavam a paixão, era o lugar mais amado pelas pessoas que vivem pelo romance, era o lugar que exalava prazer, de todas as formas possíveis... Chegamos na frente da casa do Sábio do amor e ao chamá-lo, lhe pedi para que contasse ao nosso Príncipe e a nossa Princesa, alguma história de amor. E o Sábio do amor contou a história de um rapaz chamado Paulo, um rapaz que tinha três garotas apaixonadas por ele, vocês conhecem à história... E após essa história, ele nos levou para conhecer o lugar aonde ficavam guardados os beijos mas quando ele abriu aquele lugar, não existiam mais beijos ali. Então ele fechou os seus olhos e deu um beijo no ar, e como das outras vezes um beijo se formou, mas aos poucos ele perdeu à cor e ficou invisível, ele nos disse que por alguma razão, todos os beijos que tinham ali, estavam perdendo cor e que por isso, era impossível conseguir vê-los, mas ele não sabia explicar o porque isso estava acontecendo... Fomos embora dali com algumas perguntas mas então eu contei ao Príncipe e a Princesa, o que acontecia quando eramos tocados, pelos beijos que eram guardados naquele lugar, e parece que conseguir matar à curiosidade deles, mas isso não bastava, eles queriam conhecer mais, então os levei a outros lugares...
.
.
.
Os levei ao lugar mais estranho da cidade, pelo menos o lugar mais estranho, que eles acharam, eles disseram que esse lugar não poderia existir, que era um absurdo mas eu lhes disse que aquele lugar, não poderia deixar de existir... E ao passar pelo portão, eu levantei os braços e falei com paixão, lhes apresento a cidade do faz de conta! Essa é a cidade aonde... E antes que eu falasse, chegou aquele pequeno garoto, o garoto que sempre mostra a cidade aos visitantes, nós nos apresentamos e honrado, ele nos contou como tudo funcionava naquela cidade, o Príncipe e a Princesa ficaram curiosos e foram até as águas daquela fonte, e ao beber se tornaram crianças, eles sorriram bastante e começaram à correr mas o tempo era curto, o tempo era ouro, ainda tínhamos que conhecer muitos outros lugares, eles beberam de novo e de novo, até que voltaram ao normal...
.
.
Debora ficou bastante assustada com essa cidade, ela não sabia que era possível um lugar desses existir mas assim que a gente ia embora, eu apresentei à Debora, o pequeno garoto, como o verdadeiro Sábio do amor, que havia desaparecido da cidade dos Homens de cabelos grisalhos, e ela nem precisou me perguntar o que ele tinha feito para se tornar uma criança, então segurei na mão de Debora, e à levei ao lugar mais belo da cidade...
.
.
Eu, Debora, o Príncipe e a Princesa...
Saímos da cidade do faz de conta...
E fomos conhecer: A cidade do amor!
.
.
Quando a gente chegou nessa cidade, as coisas mudaram um pouco, assim que passamos pelo portão, o coração de Debora começou à palpitar mais forte, a Princesa e o Príncipe se abraçaram e antes mesmo de conhecerem o lugar, me perguntaram o que era aquele lugar, mas antes que eu respondesse, eles viram cúpidos voando e me perguntaram o que era aquilo, e eu lhes disse... Eu lhes apresento, essa é a cidade do amor.
.
.
.
Mostrei à eles as lojas, como compravam às coisas ali, e eles me fizeram a mesma pergunta que eu fiz, no dia que cheguei à essa cidade, eles me perguntaram o porque todas as janelas estavam fechadas e o porque as cortinas, tampavam tudo... E eu lhes disse, essa é a cidade aonde as cortinas se fecham, quando os casais vão conhecer o amor... Essa é a cidade aonde os absurdos são realidade, aonde os balões são de corações, e aonde o relógio não existe porque aqui o tempo para, sempre que alguém é tocado, essa é a cidade aonde tudo é magia e aonde o mágico, é o mais comum possível... Essa cidade é conhecida como a cidade do amor mas não é apenas pelos cúpidos mas sim porque é aqui, aonde existem pessoas que podem nos completar, até o nosso último dia de vida...
.
.
E após conhecer essa cidade, eles se perguntavam que lugar eu iria mostrar, mas já estava ficando tarde, eu não poderia levá-los mais em nem um lugar, então fomos para casa... Tudo ficou marcado para o nosso próximo dia mas quando o próximo dia chegou, não foi bem assim que aconteceu...
.
.
A Rainha nos pediu para fazer outra coisa, ela chamou muitos moradores e me disse que eu iria mostrar à todos, as cidades junto com o Príncipe e a Princesa. Perguntei ao Príncipe e a Princesa se eles queriam ir nos mesmos lugares ou em outros mas eles disseram que queriam conhecer mais cidades e então, fui até a minha casa e peguei a minha linda esposa e ao ficar de joelho na sua frente, lhe disse assim: Minha bela flor azul, gostaria de passar mais um dia ao meu lado? E ela sorriu e com um lindo sorriso me disse assim: É claro meu amor...
.
.
Então fomos todos nós juntos, conhecer mais lugares...
.
.
O primeiro lugar que leveis os moradores, foi na cidade dos Homens de cabelos grisalhos, a cidade que todos diziam ser, a cidade dos Homens sábios... Apresentei esse lugar aos moradores como o lugar aonde eles poderiam ir, sempre que precisassem conversar com alguém, ouvir conselhos, e para pedir qualquer tipo de ajuda. É uma cidade pequena, mas é aqui aonde moram todos os Homens de cabelos grisalhos, da nossa cidade encantada... Era um lugar pequeno mas os Homens que moravam ali, tinham o costume de ajudar todo mundo, é uma cidade incrível e muitos moradores, gostaram de conhecer!
.
.
.
Passamos o dia todo conhecendo os lugares, as cidades, e as histórias sobre a nossa cidade, demorei um certo tempo mas expliquei tudo sobre a cidade, pelo menos tudo o que eu poderia explicar. A Princesa tirou todas as dúvidas que tinha e o Príncipe também, eles já estavam prontos, poderiam dizer que já conheciam bem à cidade, mas eles ainda não conheciam, o incrível lugar das cerejeiras azuis, só faltava esse lugar...
.
.
E eu fui até lá, e mostrei a eles o lugar, deixei eles lá e fui com Debora, visitar a mais bela cerejeira, aquela que ficava bem escondida, a cerejeira que costumava falar com a fada, e sem perceber, aquela linda cerejeira, tentou falar com Debora, eu não conseguia ouvir mas Debora me disse que estava ouvindo uma voz, e eu disse à ela, que aquela voz era daquela Cerejeira.
.
A cerejeira lhe disse que eu sabia de tudo, que eu carregada a história da cidade, que eu sabia de exatamente tudo o que já havia acontecido e que ninguém, sabia mais da história da cidade do que eu... A cerejeira até lhe disse, que eu sabia toda a sua história e infelizmente, isso era verdade. Mas isso me causou um grande problema, porque ela ficou bastante tempo, sempre me perguntando a mesma coisa. Mas como eu já tinha lhe contado uma história, só fiz confirmar, que tudo aquilo era a verdade...
.
.
Quando eu e Debora pegamos o pessoal e fomos embora, chegamos no Castelo do Príncipe e da Princesa, eles me apresentaram à um casal, um casal que eu ainda não conhecia, o nome do rapaz era Leandro e o nome da moça era Lidiane.
.
.
Eles se apresentaram e eu os apresentei à minha esposa...
Todos nos conhecemos e nessa noite... Eu e Debora...
Dormimos no Castelo, da nossa Rainha!
.
.
Mais um lindo dia se passou, ao lado de Debora pude ouvir mais histórias sobre um passado brilhante, sobre um lindo passado que havia acontecido com Leandro e Lidiane, eles narravam uma história muito bonita mas os seus olhos sempre brilhavam, quando falavam o quanto se amavam, aquele amor era tão grande que contagiava as pessoas, era um amor incomum, era muito diferente dos outros, era bem mais forte, não era só um amor platônico... Eu pensei em contar a minha história mas não poderia contá-la toda, então o Príncipe e a Princesa, contaram a sua história também, e mais uma vez eu me senti um estranho, no meio desses dois casais, que se amavam tão intensamente...
.
.
Mas como prova decidir usar a história deles, para criar um lindo livro, com uma linda história, para cada um. Vai ser uma história de amor, uma história que tenta mostrar as pessoas, que o amor nunca deverá ser esquecido, pois ele é forte e é platônico!
.
.
.
Mas ainda não está na hora de conhecermos essas histórias, mas eu irei mostrá-las à vocês... Mas agora vamos continuar entendendo, do início, toda nossa história!
.
.
.
Depois de mostrar as cidades que já haviam sido citadas no meu livro ao Príncipe e a Princesa, fui liberado por algum tempo, o café da manhã havia terminado, fui pra casa e terminei o primeiro livro, é o livro que eu vou dar à Rainha, assim que ela passar a coroa para a Princesa... Então fui para a parte 2, do livro. Essa parte vai continuar a história mas vai ser de uma forma única, porque se qualquer pessoa, pegar uma das partes do livro e ler, não vai conseguir entender, que é mais de uma parte. A menos que pegue o primeiro livro e leia, se pegar a segunda, terceira ou a quarta parte, não poderá entender...
.
.
O Livro Misterioso!
.
.
Esse livro vai ser a continuação da história, esse livro vai contar tudo o que não foi contado nos sonhos de Jean e Debora, vai ser o livro que vai desvendar tudo mas ele vai ser narrado, como uma história fictícia de uma garota, que está dormindo... Apenas o portador do primeiro livro, poderá entender que ainda faltam outras partes para entender tudo sobre a história, os portadores das outras partes, não poderão entender que se trata de apenas uma parte, de um livro...
.
.
Mas para onde será que vai as partes desse livro?
.
.
Passei alguns dias escrevendo, mas enfim terminei esses livros, a minha esposa me perguntou o que eu fazia tanto e ao olhar para ela, tive uma ideia. Pois ela poderia ser a chave, para encontrarem o maior segredo, sobre ela mesmo... Eu lhe entreguei o livro de número 2 e lhe disse que aquele livro, era um presente meu... E ela guardou aquele livro, então peguei o livro de número 3 e entreguei como um presente, para a filha da Princesa, a moça de nome Maria... O livro de número 1, já era da Rainha mas ainda faltava dar o último livro, o livro de número 4, então me perguntei à quem poderia dar e depois de muito pensar, resolvi dar o último livro a Leandro e Lidiane, dei esse livro a eles como uma humilde demonstração, da história que ainda estava fazendo, para eles... Fui até a Rainha e lhe disse que o livro já estava pronto e que já poderia lhe entregar, ela estava muito ansiosa e me disse que iria preparar tudo para passar à coroa para a sua filha e que após passar, iria me pedir o livro...
Jean Frases
Enviado por Jean Frases em 30/07/2017
Código do texto: T6069236
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Jean.Frases). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jean Frases
Jaboatão dos Guararapes - Pernambuco - Brasil
533 textos (6370 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 11:52)
Jean Frases