Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

À PROCURA DE EVILATH

Quereria
Conhecer um dia
Pasárgada
E Utopia!

Em Pasárgada
Passar um dia,
Em Utopia
A vida toda passar.

Você já esteve
Em Shangri-lá?
Ah! Como será
O país de Evilath?
                                               (NAZAREZINHO-PB, em 02/02/2000)
*Evilath: terra de ouro puro, segundo a Bíblia.

Textos interativos:

I - O PAÍS DE EVILATH

     No princípio era tudo escuro, vão e vazio. As trevas cobriam a face do abismo, e eu era muito criança para entender as coisas. Mas, ainda assim, eu percebia que nosso pai não era um homem comum. Ele chegava e saía como se fosse o vento, as águas, o fogo ou o próprio Deus em busca de um sentido para a sua existência.
     Mas pouco a pouco nós fomos crescendo e começamos a entender tudo. Nosso pai procurava o que todos nós haveremos de procurar um dia, se quisermos provar a nós mesmos que estamos vivos. E naquele tempo, como ainda hoje, ele procurava o país de Evilath, onde nasce ouro e todas as pessoas são certamente felizes.
     À noite, sem sono, eu sonhava acordado com esse país estranho. Em Evilath todas as pessoas eram boas e perfeitas. Talvez se comunicassem por sorrisos, quem sabe se beijassem na testa, para dizer bom dia ou boa tarde, quem sabe não houvesse mendigos, nem fome, nem escuridão. Evilath, dizia papai com os olhos brilhando, era um país amplo e largo.
     Às vezes, eu pensava que esse lugar só podia existir na imaginação de papai, mas mesmo assim gostava de fechar os olhos e imaginar todos nós naquele país por onde passava um rio chamado Fison. Era o país do nosso pai, e eu gostava dele.
                           (Luís Fernando Emediato. O outro lado do paraíso.)

II - EU...

     Um lugar ideal? Ora! Sou eu mesma.
     O meu coração, o meu interior.
     O lugar ideal não existe, nunca existiu e nem irá existir... Pois o lugar ideal depende de um ser humano ideal. E o ser humano ideal, depende da perfeição. Mas veja só, que coincidência! A perfeição também não existe!
     Será que o mundo muda por si só?
     Será que só o mundo é que deveria mudar?
     Particularmente, prefiro continuar lutando por melhorias, buscando a integridade e a pureza de cada um, independente de quem seja.
     Eu sou o lugar ideal. O meu pranto quem escuta sou EU. Minhas lágrimas quem enxuga sou Eu. Meus sentimentos quem sente sou EU. É loucura achar que o homem basta a si só? Sim!
     Sabe por quê?
     Porque o homem nunca conseguirá viver sozinho. A insatisfação própria nos faz querer mudar aquilo que já é perfeito por natureza. O nosso mundo foi criado no mais pleno amor de Deus. Mas então, por que queremos mudá-lo a cada instante?
     Que tipo de pessoa somos nós, que não conseguimos nem ao menos admitir nossos erros? Pois é, o mundo muda a (na) medida em que o homem muda. E agora, vamos mudar o quê?
            (Heloisa Estevão do Amaral e Diéssica T. Espíndula Sossmeier)


Francisco Galdino Filho
Enviado por Francisco Galdino Filho em 11/08/2011
Reeditado em 11/08/2011
Código do texto: T3153174

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Galdino Filho
Nazarezinho - Paraíba - Brasil, 48 anos
597 textos (16204 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 20:37)
Francisco Galdino Filho