Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pedido de natal

Ela estava sozinha,sozinha e com frio.A dor se espalhava pelo corpinho de criança,chamava pela mãe insistentemente,começava a delirar.
Encontrou um beco onde se sentou quietinha a procura de algum calor,tirou um pacote de fósforos do bolso,acendeu o primeiro que quase queimou seus dedinhos já enrijecidos pelo frio,a neve caia sem parar.
A menininha viu então uma janela que mostrava uma bela sala,decorada com enfeites de natal,sobre a mesa um belíssimo peru com nozes e passas o que a fez lembrar de como estava com fome.
Na sala uma farta lareira brilhava e numa confortável poltrona um homem gordo dormia esparramado.A menina arranhou a janela por alguns minutos com a vão esperança que o homem a ouvisse.Desistiu,acendeu outro fósforo fazendo um pedido.Queria estar com sua mãe,queria ser feliz ao menos esse natal...
O fósforo se apagou,o chão já estava cheio de neve e aos poucos a menina foi gastando um a um  todos os fósforos.
Seus olhinhos pesavam e ela já não sentia o calor mesmo que esse lhe queimasse as mãos,ela encostou o corpinho dolorido na parede de concreto sentindo o estomago apertar,as luzes da sala ao lado ainda pairavam na sua mente assim como o delicioso peru.Uma dor forte tomou seu coraçãozinho e finalmente ela fechou os olhinhos sonhando com perus e lareiras ardentes.
Seu corpinho congelado estava perdendo o ultimo sopro de vida naquela noite de natal,enquanto tantas crianças esperavam papai Noel e seus presentes aquela garotinha esperava um milagre...
Com passos lentos um casal surgiu no beco,a mulher tinha longos cabelos loiros e olhos verdes,vestia um sobretudo branco e lágrimas vermelhas eram vistas em seus olhos.O homem mais alto e forte,tinha cabelos cor de palha e mostrava os longos caninos.
Após um silêncio a mulher falou.
- Ela será minha Lot,como eu fui sua naquele dia do parque...Afinal seu eu não velar seu sono quem o fará?
O homem apenas fez um leve aceno de cabeça quando a mulher se adiantou tomando o corpinho magro e frágil da menina.Ela tocou aquele rostinho congelado e sem cerimônia mordeu-lhe o pescoço passando-lhe assim a maldição.
A menina deu um leve gemido,mas aceitou de bom grado quando a vampira cortou o pulso levando-o aos lábios da pequenina que sugou com voracidade.A vampira afastou o pulso limpando a boquinha vermelha da garota.Deu um suave beijo nas faces quando essa abriu os olhos e disse.
- Vamos meu pequeno anjo,sua vida mudará totalmente agora.Lhe darei o nome de Esther como as estrelas do céu...
- Vamos Luana é natal e daremos a menina a vida que ela merece... – Falou o homem voltando a andar.
Ainda com a menina nos braços Luana o seguiu,relembrando sua noite no parque no dia de seu aniversário quando sua vida mudará,agora ela mudaria a vida de sua pequena Esther também.Afinal se ela não velasse seu sono quem o faria?
Hell
Enviado por Hell em 06/12/2005
Código do texto: T81663

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Hell
Maringá - Paraná - Brasil, 26 anos
149 textos (36165 leituras)
1 áudios (287 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:19)
Hell